Zi:Kill

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Zi:Kill
Informação geral
País Japão
Gênero(s) [1]
Período em atividade 1987-1994
Gravadora(s)
Integrantes
  • Tusk
  • Seiichi
  • Ken
  • Eby
Ex-integrantes

Zi:Kill (estilizado como ZI:KILL ou ZI÷KILL) foi uma banda japonesa de rock visual kei ativa de 1987 a 1994. Sua formação principal incluía o vocalista Tusk, o baixista Seiichi e o guitarrista Ken. Zi:Kill alcançou certo sucesso na cena visual kei, com três de seus álbuns de estúdio alcançando o top dez da Oricon Albums Chart, além de ter um dos seus álbuns independentes figurando na parada principal.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Formação e primeiros anos (1987-1990)[editar | editar código-fonte]

Zi:Kill (originalmente chamada G-Kill) foi formada em novembro de 1987 pelo guitarrista Ken e baixista Seiichi. O vocalista Tusk entrou em fevereiro de 1988 e logo depois Masami ingressou como baterista.[1] Em 20 de abril se apresentaram ao vivo pela primeira vez, no Meguro Rokumeikan. Em 1989 lançaram seu primeiro álbum, Shin Sekai ~Real of the World~ pelo selo Ghost Disc, limitado a 5000 cópias. Foi relançado em 21 de julho com a faixa extra "Karei", desta vez distribuído pela Extasy Records, cujo fundador Yoshiki foi apresentado à banda por seu colega de banda do X Japan, hide. Depois de um show em 3 de maio no Meguro Live Station, Masami deixou o grupo.[1]

Em 1990, após recrutar o novo baterista Yukihiro e assinar oficialmente com a Extasy, eles lançaram seu segundo álbum em 1 de março, Close Dance. O álbum foi um sucesso ainda maior; alcançou a primeira posição na parada de álbuns independentes da Oricon, com 30.000 cópias pré-encomendadas. Durante um show em 10 de outubro no Shibuya Kōkaidō, Zi:Kill anunciou sua assinatura com a grande gravadora Toshiba EMI, que deu à banda seu próprio subselo, Planet Ground.[1] Depois de uma pequena turnê, Zi:Kill foi para Londres, onde trabalharam em seu lançamento em uma grande gravadora. Ao completar o álbum, Yukihiro foi expulso da banda e o último show que ele participou foi em 28 de dezembro de 1990 no Kawasaki Club Citta.[1]

Estreia major, início do sucesso e separação (1991-1994)[editar | editar código-fonte]

Desert Town, o primeiro álbum do Zi:Kill em uma grande gravadora, foi lançado em março de 1991.[3] Alcançou o top 10 das paradas da Oricon, e seu single de estreia "Lonely" vendeu 40.000 cópias. Em 2004, foi eleito um dos melhores álbuns de 1989 a 1998 em uma edição da revista musical Band Yarouze.[4] Depois de recrutar o novo baterista Tetsu (ex. D'erlanger) e colaborarem com a Kamaitachi, apresentaram-se pela primeira vez no grande Nippon Budokan, em 1 de agosto. No mesmo mês, Tusk foi hospitalizado devido a amigdalite e todos os shows do Zi:Kill até novembro foram cancelados. Em 24 de setembro, Tetsu deixou a banda. No dia 27, o single "Hero" foi lançado. No final de outubro participaram do festival da Extasy Records, Extasy Summit, e neste show Eby entrou como novo baterista. Após enfrentar uma disputa entre gravadoras, lançando um álbum de grandes êxitos pela Extasy (Tomorrow...) e outro pela EMI (Disgrace - The best of Zi:kill), a banda ingressou na King Records.[1]

Em 1993, Rocket foi lançado e se tornou o álbum que alcançou a posição mais alta na Oricon, ficando em número 5.[3] A canção "Calling" foi usada na trilha sonora do anime Fatal Fury 2: O Desafio de Krauser.[5] Tusk estrelou o filme Seth et Holth criado por hide.[1] No ano seguinte, o Zi:Kill anunciou sua repentina separação.[2]

Pós-dissolução (1994-presente)[editar | editar código-fonte]

Em 1995, Seiichi, Tusk e Tetsu formaram a banda CRAZE, que acabou em 2005.[6] Tusk também entrou no grupo The Slut Banks em 1996, que se separou em 2000 e voltou as atividades em 2007.[7] Em 2021, Seiichi formou a banda OXYMORPHONN.[8]

Após brevemente fazer parte da banda Optic Nerve, Yukihiro integrou o supergrupo Die in Cries formado por Kyo do D'erlanger de 1991 a 1995.[9] Em 1998, ele se juntou a famosa banda L'Arc~en~Ciel, onde toca até hoje.[1] Além disso, em 2001 ele formou o projeto solo Acid Android.[10]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

A musicalidade da banda foi influenciada pelo movimento new wave dos anos 70 e 80, assim como thrash metal e punk rock.[2] Além disso, eles também foram incorporam o beat rock de Boøwy.[11]

Membros[editar | editar código-fonte]

  • Tusk Itaya (板谷祐?)vocais (1988-1994)
  • Ken Matsudaira (松平健?)guitarra (1987-1994)
  • Seiichi Iida (飯田成一?)baixo (1987-1994)
  • Makoto "Eby" Ebina (海老名淳?)bateria (1991-1994)

Ex membros[editar | editar código-fonte]

  • Masami - bateria (1989)
  • Yukihiro - bateria (1990)
  • Tetsu Kikuchi (菊地哲?) - bateria (1991)

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Shin Sekai ~Real of the World~ (真世界〜REAL OF THE WORLD〜?) (21 de março de 1989)
  • Close Dance (25 de março de 1990), Posição de pico na Oricon Indies Albums: No. 1[1]
  • Desert Town (21 de março de 1991), Posição de pico na Oricon Albums Chart: No. 10[3]
  • In the Hole (28 de outubro de 1992), No. 8[3]
  • Rocket (9 de junho de 1993), No. 5[3]

Referências

  1. a b c d e f g h i «Zi:kill». JaME. 12 de maio de 2009. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  2. a b c «世界で一番好きなバンドは「ZI:KILL」です | 化猫の生態» (em japonês). 31 de março de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  3. a b c d e «Posição dos álbuns de Zi:Kill na Oricon». Oricon (em japonês). Consultado em 23 de abril de 2011. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2013 
  4. «Top 44 Albums from 1989 - 1998». Jame World (em inglês). 9 de maio de 2004. Consultado em 8 de março de 2013 
  5. «CALLING | ZI:KILL». ORICON NEWS (em japonês). Consultado em 14 de outubro de 2021 
  6. «CRAZE». SYNC MUSIC JAPAN (em inglês). 1 de janeiro de 2011. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  7. «"死霊軍団"を名乗る異形のバンド・THE SLUT BANKS 紆余曲折の活動史を紐解く». Real Sound (em japonês). 24 de setembro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  8. «元ZI:KILLのSeiichiと元THE CHERRY COKESのHIROMITSUが立ち上げたOXYMORPHONN、デビューアルバムを3月リリース». BARKS (em japonês). Consultado em 29 de setembro de 2021 
  9. «DIE IN CRIES profile». vk.gy (ブイケージ). Consultado em 30 de setembro de 2021 
  10. «acid android». JaME. 12 de junho de 2013. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  11. «ファン500人が選んだ「後世に伝えたい90年代ヴィジュアル系伝説の名盤」ベスト50». GALLERY OF VISUAL SHOCK (em japonês). Consultado em 29 de setembro de 2021