Yoshiki Hayashi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Yoshiki
Yoshiki 2014 japanexpo.jpg
Informação geral
Nome completo Yoshiki Hayashi
林 佳樹
Origem Tateyama, Chiba
País  Japão
Gênero(s) Rock, metal, pop, música clássica, visual kei
Instrumento(s) bateria, piano
Período em atividade 1982 - presente
Afiliação(ões) X Japan
V2
globe
Violet UK
Skin
Página oficial YOSHIKI OFFICIAL

Yoshiki Hayashi (林 佳樹 Hayashi Yoshiki?) (Tateyama, 20 de novembro de 1965) é o compositor, baterista, pianista e líder da banda X JAPAN. Presidente do selo Extasy Records, também trabalha em inúmeros outros projectos musicais, entre eles Violet UK e Skin.[1]

Atualmente vive na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos.

Infância[editar | editar código-fonte]

Yoshiki Hayashi nasceu em Tateyama, Chiba, Japão. Começou a tocar piano com apenas quatro anos. Alguns anos depois, foi a um show do Kiss no Japão. Yoshiki gostou muito do género musical e desde então começou a interessar-se pelo hard-rock americano. Começou a tocar bateria com 10 anos.

Seus pais eram donos de uma loja de kimonos.[2] O suicídio do seu pai, em 1975, quando Yoshiki tinha apenas 10 anos, influenciou-lhe grandemente a infância e adolescência.[3]

Fundação do X JAPAN[editar | editar código-fonte]

A cabeça por trás do X Japan, Yoshiki é o compositor da maioria das músicas da banda.

Formou a banda com seu velho amigo de escola, Toshi (Deyama Toshimitsu), em 1982, sob o nome "Noise". Somente mais tarde é que a banda assumiu o nome "X", depois de uma mudança total em seus componentes. Em 1985, a banda gravou seu primeiro single, "I'll Kill You", e em 1986, "Orgasm".

Em 1987, estava formada. Nela, estavam hide e Pata (guitarristas), Taiji (baixista), Toshi (vocalista) e ele, como baterista e pianista.

Fundação da EXTASY[editar | editar código-fonte]

Em 1988, sem nenhuma grande gravadora apostando na banda, a mãe de Yoshiki resolveu vender o negócio da família e entregar o dinheiro para ele, apostando na carreira musical do filho.

Com o dinheiro, Yoshiki fundou o selo independente Extasy Records, junto com o álbum Vanishing Vision. Com cerca de 10.000 cópias vendidas nas primeiras semanas, o álbum alcançou o primeiro lugar na Oricon de álbuns indie.

O selo já revelou bandas famosas, como Glay e Luna Sea. Até hoje, a Extasy Records produz bandas, como Dir en grey e a sul-coreana The Trax.

Virginity e X Japan[editar | editar código-fonte]

Em 1992, Taiji sai da banda por motivos pouco claros. Acredita-se que por causa de desentendimentos com Yoshiki. Em seu lugar, entrou o baixista Heath, um músico japonês que por coincidência foi encontrado em Nova York durante uma das viagens da banda.

No mesmo ano, a banda muda de nome para X Japan, ao conhecerem uma banda californiana que também se chamava "X".

Também fez parte do projeto chamado "V2", junto com seu amigo Komuro Tetsuya, lançando apenas o single "Haitoku no Hitomi ~Eyes of Venus~" e o vídeo "Virginity". A musicalidade do projeto destoava do X Japan, por ser algo mais voltado ao pop-romântico.

Fim do X Japan[editar | editar código-fonte]

Foi Yoshiki quem anunciou o fim da banda, dia 22 de setembro de 1997, pouco tempo após Toshi anunciar sua saída da banda, por entrar em um culto religioso que convenceu Toshi de que a banda era maligna.[3]

Foi realizado um show histórico no Tokyo Dome, chamado The Last Live, no dia 31 de dezembro. Em 2007, X Japan voltou à atividade com o lançamento do single "I.V.".

A Morte de hide[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de maio de 1998, hide foi encontrado morto em seu apartamento. A imprensa enfatizou como suicídio, mas foi provado que foi um acidente.

Então, no dia 4 de maio, às 6 da manhã, os quatro membros restantes do já extinto X JAPAN deram uma entrevista coletiva para a imprensa, na qual Yoshiki disse o seguinte:

Agora, eu estou muito chocado com sua morte súbita. Eu ainda não posso acreditar. Ele está dormindo com um rosto muito bonito. Eu tentei acordá-lo de novo e de novo, mas ele ainda está dormindo. hide era a pessoa mais calma de nossa banda. Era sempre hide quem dava calma e conselhos cuidadosos para mim, que tinha pouco controle e agia impulsivamente, mesmo que eu fosse um líder. Claro, ele às vezes perdia o controle quando estava sob muita pressão. Contudo, ele sempre me ligava em casos assim. Nós conversávamos sobre tudo; sobre nossa banda, música, amigos, vida, fãs. Às vezes, ele era como meu irmão mais velho, e às vezes, como um irmão mais novo. Algumas vezes, nós bebíamos e brigávamos, mas ele sempre dizia algo como: 'Yoshiki, o que eu fiz ontem? Desculpe, eu não lembro de nada.' no dia seguinte. Entretanto, ele adormeceu sem dizer nada. Todos os seus fãs, e todos os seus amigos, eu acho que todos estão confusos agora. Eu mesmo não consigo expressar o quanto triste eu estou. Mas nós temos que aceitar o fato firmemente porque não podemos mudar nada. Agora, todos, incluindo seus pais, estão tentando superar essa tragédia. Nós, X JAPAN, estamos tentando também. Então, por favor, todos os seus fãs, tentem também. Por favor, despeçam-se de hide, que sempre nos ajudou e nos deu apoio, de uma maneira maravilhosa. Por favor, enviem-no calorosamente para o Céu.
— Yoshiki

Yoshiki ficou em depressão por três anos após a morte de hide e recentemente afirmou que não conseguiria ter superado a perda de seu amigo sem a ajuda dos fãs.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Com o mesmo Komuro Tetsuya, também estrelou na banda globe, de 2002 até 2005.

Atualmente, faz um trabalho solo chamado Violet UK, onde faz-se uma mistura de tudo o que trabalhou até hoje, desde música clássica, passando por música eletrônica, até ao Hard Rock.

Faz parte da banda Skin, como baterista, ao lado de Sugizo, Miyavi e Gackt.

Compõe e trabalha em bandas sonoras de vários filmes japoneses e americanos, entre eles Catacombs, Repo! The Genetic Opera e Saw IV (com os X Japan).

Continua o seu trabalho com a sua banda de referência, X Japan, após a sua reunião em 2007.

Referências

  1. «Yoshiki Hayashi» (em inglês). Yoshikinet.com. Consultado em 27 de abril de 2012. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2011 
  2. Tietjen, Alexa (24 de abril de 2018). «Yoshiki of X Japan Talks Kimonos, Beethoven and Coachella Debut». WWD (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2020 
  3. a b Aoki, Ryotaro (5 de março de 2017). «Yoshiki: 'We had to make our own world'». The Japan Times (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Yoshiki Hayashi