Afro-asiático

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
JERO - Cantor afro-americano de Enka com ancestralidade japonesa

Afro-asiático refere-se a uma pessoa com ancestralidade negra e asiática.

História[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a população de afro-asiáticos tem sido mais associada à ocupação americana no Japão durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, ao longo dos anos, houve um aumento entre os casamentos entre negros e japoneses. Há também um grande numero de Afro-Asiáticos na China e na Coreia. Nos Estados Unidos em 1882, o Ato de Exclusão Chinesa foi aprovado e os trabalhadores chineses que optaram por ficar nos EUA não podiam mais ficar com suas esposas que ficaram para trás na China. Muitos americanos brancos olhavam para os trabalhadores chineses com preconceito e devido a isso eles foram perseguidos e discriminados. Devido a esse fato, muitos chineses se estabeleceram em comunidades negras e, por sua vez casaram com mulheres negras.

Na Nigéria[editar | editar código-fonte]

Desde os anos 1970, a Nigéria tem tido um aumento lento, mas constante de imigrantes Filipinos devido a indústria do petróleo do pais. Isto, resultou em um pequeno, mas crescente, número de nigerianos-filipinos. A maioria destas crianças são de mães filipinas e pais nigerianos.

No Japão e nos EUA[editar | editar código-fonte]

Após a Segunda Guerra mundial, muitos americanos permaneceram no Japão, fazendo com que houvesse uniões entre homens americanos e mulheres japonesas. Estas uniões entre soldados americanos e as mulheres asiáticas também contribuiu para o aumento da população afro-asiático nos Estados Unidos da América, como muitas mulheres asiáticas acompanharam seus maridos em seu retorno e estabelecendo-se nos EUA Posteriormente.

Afro-Asiáticos Notáveis[editar | editar código-fonte]


Referências

1. Bird, Stephanie Rose (2009). "Light, bright, and damned near white : biracial and triracial culture in America". ...he is also Blasian (Black-Asian)... (Westport, Conn.: Praeger). p. 118. ISBN 0-2759-8954-2.

2. Reicheneker, Sierra. "The Marginalization of Afro-Asians in East Asia: Globalization and the Creation of Subculture and Hybrid Identity". There are several models for analyzing the marginalization of ethnic minorities. The Afro-Asian population exemplifies Park’s definition of marginalization, in that they are the “product of human migrations and socio-cultural conflict.”15 Born into relatively new territory in the area of biracial relations, there entrance into the culture of these Asian states often causes quite a stir. They also fit into Green and Goldberg’s definition of psychological marginalization, which constitutes multiple attempts at assimilation with the dominant culture followed by continued rejection. The magazine Ebony, from 1967, outlines a number of Afro-Asians in Japan who find themselves as outcasts, most of which try to find acceptance within the American military bubble, but with varying degrees of success.16. Retrieved 4 July 2012.

3. A small cohort of Island Southeast Asian women founded Madagascar Murray P. Cox1,*, Michael G. Nelson1, Meryanne K. Tumonggor2, François-X. Ricaut3 and Herawati Sudoyo4 [1]

4. Evaluation of Group Genetic Ancestry of Populations from Philadelphia and Dakar in the Context of Sex-Biased Admixture in the Americas Stefflova K, Dulik MC, Pai AA, Walker AH, Zeigler-Johnson CM, Gueye SM, Schurr TG, Rebbeck TR - PLoS ONE (2009)[2].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]