Trinidad e Tobago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Republic of Trinidad and Tobago
República de Trinidad e Tobago / Trindade e Tobago
Bandeira
Brasão de armas
Bandeira Brasão de armas
Lema: Together we aspire, together we achieve

("Juntos aspiramos, juntos alcançamos")

Hino nacional: Forges from the Love of Liberty
("Forjado do amor pela Liberdade")
Gentílico: trinitário;[1] trinitino;[2] ;trinitário-tobagense
tobaguiano[1] [2]

Localização de Trinidad e Tobago

Localização do país.
Capital Port of Spain
Cidade mais populosa Chaguanas
Língua oficial Inglês
Governo República parlamentarista
 - Presidente Anthony Carmona
 - Primeira-ministra Kamla Persad-Bissessar
Independência do Reino Unido 
 - Data 31 de agosto de 1962 
Área  
 - Total 5 131 km² (171.º)
População  
 - Estimativa de 2011 1 346 350 hab. (152.º)
 - Densidade 254,4 hab./km² (48.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2011
 - Total US$ 26,538 mil milhões (português europeu) / bilhões (português brasileiro) USD (115.º)
 - Per capita US$ 20 053 USD 
IDH (2013) 0,766 (64.º) – elevado[3]
Moeda Dólar de Trinidad e Tobago (TTD)
Fuso horário (UTC-4)
Org. internacionais ONU, Commonwealth, OEA, CARICOM, AEC
Cód. ISO TTO
Cód. Internet .tt
Cód. telef. +1-868

Mapa de Trinidad e Tobago

Trindade e Tobago,[4] [5] [6] [7] [8] [nota 1] Trinidade e Tobago ou Trinidad e Tobago (apenas em português brasileiro) (em inglês: Trinidad and Tobago), oficialmente República de Trindade e Tobago (em inglês: Republic of Trinidad and Tobago), é um Estado soberano insular das Caraíbas (Caribe em português brasileiro) situado ao largo da costa nordeste da Venezuela e a sul de Granada, nas Pequenas Antilhas. Faz fronteira marítima com os Barbados a nordeste, com a Guiana a sudeste, e com a Venezuela a sul e a oeste.[9] [10] Situa-se na confluência do mar das Caraíbas com o oceano Atlântico.

O país tem uma área de 5 128 km²[11] e consiste nas ilhas de Trindade (ou Trinidad), Tobago, e numerosos ilhéus. A ilha da Trindade é a maior e mais povoada, representando 94% da área do total e 96% do total de habitantes.

As duas ilhas são de clima tropical e terreno montanhoso. A sua localização permite-lhe evitar a chamada "cintura de Furacões", região propensa à ocorrência do fenómeno nas Caraíbas. A principal cidade da ilha de Trinidad é a capital do país, Port of Spain (ou Porto de Espanha) enquanto que a cidade principal da ilha de Tobago é Scarborough. Com mais de um milhão de habitantes, Trinidad e Tobago é o país com a segunda maior população de língua inglesa na região, depois da Jamaica.

A ilha da Trindade foi colónia espanhola desde a chegada de Cristóvão Colombo em 1498 até à capitulação do governador espanhol, Don José María Chacón, aquando da chegada de uma armada britânica composta por 18 navios de guerra a 18 de fevereiro de 1797.[12] Durante esse período a ilha já havia mudado repetidas vezes de mãos entre colonizadores espanhóis, britânicos, franceses, neerlandeses e curlandeses. Trindade, e também Tobago, foram cedidas ao Reino Unido em 1802 de acordo com o tratado de Amiens.[13] O país obteve a sua independência em 1962, tornando-se posteriormente uma república em 1976. Ao contrário do que acontece com a maioria dos países anglófonos das Caraíbas, a economia trinitária é principalmente industrial,[14] com ênfase nas indústrias petrolífera e petroquímica. Atualmente, o território atrai investimentos externos e apresenta uma economia florescente, almejando tornar-se um "Tigre do Caribe", a exemplo dos chamados Tigres Asiáticos.

A sua capital, Port of Spain (ou Porto de Espanha, na forma portuguesa), é a favorita para sediar o secretariado-geral da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA).

Trindade e Tobago é conhecido pelo seu Carnaval e por ser o país de origem do tambor de aço,[15] dos estilos musicais calipso,[16] [17] soca, chutney e da dança do limbo.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1498, Cristóvão Colombo chega a Trinidad e Tobago.

Depois ocupada pelos holandeses, logo é tomada pelos espanhóis em 1632.

Em 1802, os ingleses conquistam as ilhas, mas 12 anos depois, em 1814 é cedida ao Reino Unido. As ilhas de Tobago passam a constituír uma colônia apenas em 1888.

O jornalista e escritor português Ferreira Fernandes afirma no seu livro Madeirenses Errantes que alguns madeirenses protestantes, radicados em Trinidad e Tobago após a sua expulsão de Portugal por motivos religiosos, se encontram entre os principais responsáveis pela revolução que se deu neste país.

Em 1962 o país tornou-se oficialmente independente.

Política[editar | editar código-fonte]

O nome oficial é República de Trinidad e Tobago, cuja capital é Porto Espanha (Port-of-Spain em inglês), localizada a noroeste de Trinidad. Scarborough é a capital de Tobago.

Trinidad e Tobago tornou-se independente da Grã-Bretanha em 2 de agosto de 1962. Tornou-se uma república parlamentarista e multipartidarista em 1976.

O território é dividido administrativamente em 7 condados, 5 municipalidades (com governo próprio) e um distrito semi-autônomo (Ilha de Tobago).

O chefe de estado é o presidente da república, eleito por um colégio eleitoral.

Anthony Thomas Aquinas Carmona é o quinto presidente de Trinidad e Tobago e está no cargo desde 2013. Anteriormente, era Ministro da Suprema Corte, e serviu como juiz da Corte Penal Internacional de 2012 a 2013.

O Poder Legislativo está institucionalizado por um congresso bicameral, composto pela Câmara dos Representantes, com 36 membros eleitos por voto direto, e o Senado, com 31 membros indicados pelo presidente. Ambos com mandato de 5 anos.

O sistema judicial do país é estruturado à semelhança do britânico, com cortes distritais e uma Suprema Corte, que engloba a Corte Superior de Justiça e a Corte de Apelação. O presidente da Suprema Corte é indicado pelo presidente, por sugestão do primeiro-ministro e do líder da oposição, e outros juízes são indicados pelo presidente por sugestão da Comissão de Justiça. O tribunal de recursos de última instância é o Privy Council, em Londres.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Trinidad e Tobago está dividido politica e administrativamente em 14 corporações municipais (municipalidades) em Trinidad, e uma Assembleia Legislativa regional em Tobago.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Trinidad e Tobago é um país da América Central,[18] embora as ilhas sejam uma extensão geológica da América do Sul.[19] É constituído de duas ilhas incluídas entre as chamadas "Grandes Antilhas". Localizadas no mar do Caribe, em frente à costa leste da Venezuela, Trinidad, a maior das ilhas, possui 4.828 km² enquanto Tobago conta com 330 km². A capital do país situa-se em Trinidad, e é Porto Espanha (Port-of-Spain). O relevo de Trinidad é caracterizado por três cadeias de montanhas baixas que se estendem de leste a oeste ao redor do território em cujo centro existe uma planície onde se desenvolve a cultura da cana-de-açúcar. Partes da costa leste e oeste apresentam formação de terrenos pantanosos. O ponto culminante é o monte del Aripo, com 940 m de altitude integrando a cadeia de montanhas do noroeste. Ao norte do país, as montanhas são cobertas por florestas.

Tobago, cuja capital é Scarborough, possui maravilhosas praias com brancas areias e barrancos de coral ao redor da ilha cujo centro é montanhoso enquanto no sul e na costa oeste localizam-se as planícies. O clima é tropical com temperaturas elevadas durante todo o ano variando entre 25 e 38 graus centígrados. Existem duas estações bem definidas: uma seca, de janeiro a maio, e uma chuvosa, de junho a dezembro. Felizmente, as ilhas estão fora da rota dos furacões que, não raro, assolam vastas áreas da faixa equatorial do oceano Atlântico.

Trinidad
  • Posição: Latitude 10 1/2°N, longitude 61 1/2° W
  • Área física: Retangular na forma, medidas 37 milhas (60 quilômetros) por 50 milhas (80 quilômetros).
  • Área total: 1864 milhas quadradas (4828 km²)
  • Cidades principais: Porto de Spain (importante), San Fernando,Arima, ponto Fortin, Chaguanas
Tobago
  • Posição: Latitude 11°N, longitude 60°W
  • Área física: Peixe-dado forma, medidas 26 milhas (42 quilômetros) por 7 milhas (10 quilômetros).
  • Área total: 116 milhas quadradas (300 km²)
  • Cidades principais: Scarborough, Roxborough, Charlotteville

Economia[editar | editar código-fonte]

Trinidad e Tobago conquistou a reputação de ser um local de excelente investimento para as empresas internacionais.[carece de fontes?] Um setor de ponta tem sido, nos últimos quatro anos, o do gás natural. O turismo é um setor em franco crescimento, embora não seja tão importante, proporcionalmente, como em muitas outras ilhas caribenhas. A economia se beneficia de uma baixa taxa de inflação e de superávites comerciais. O ano de 2002 foi marcado por um crescimento sólido no sector do petróleo, parcialmente ofuscado por incertezas políticas domésticas.

Há grandes reservas de petróleo e gás natural, e uma indústria pesada bem desenvolvida - ferro e aço, metanol e fertilizantes, além de do petróleo e seus derivados.

As ligações de transporte pelo ar, do mar e da terra são excelentes, e as ligações das telecomunicações com as Américas e a Europa são modernas.

Durante a década de 1970, os preços de óleo elevados do mundo criaram uma expansão rápida da economia local, com o produto interno bruto real crescendo 72.5% entre 1970 e 1977. Estes foram os anos do crescimento em Trinidad e Tobago e muito da infraestrutura do país foi desenvolvida durante este período. Entretanto, a redução nos preços de óleo, juntamente com os índices elevados de gastos públicos levaram a um período prolongado de retração econômica, que começaram em 1988 e terminaram finalmente em 1993.

Após um período do ajuste econômico radical sob o Fundo Monetário Internacional e a supervisão de Banco Mundial, a política econômica do governo é bem na linha dos princípios que prevalecem no mercado atual: liberalização de comércio, economia aberta, racionalização do setor público, promoção da empresa confidencial e do investimento estrangeiro, e desenvolvimento das exportações e do turismo.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população de Trinidad e Tobago é constituída, principalmente, de etnias africanas e asiáticas, estas últimas consistindo principalmente de indianos e chineses.

As tradições populares mais importantes são o crioulo local e a cultura hindu ocidental. O crioulo mistura elementos africanos com espanhóis, franceses e ingleses. A cultura indiana chegou às ilhas com trabalhadores daquele país que foram recrutados para substituir a mão de obra escrava depois que foi extinto o regime escravista, em 1833 (processo semelhante ao que ocorreu em todo o Caribe). Ao longo das décadas, os orientais passaram a dominar o setor agrícola e muitos tornaram-se comerciantes e profissionais liberais. Os indianos, hinduístas, budistas e muçulmanos, preservaram muitos dos costumes de sua pátria-mãe incluindo práticas religiosas e festas. Na distribuição das nacionalidades, negros, mestiços e brancos perfazem cerca de 61% da população enquanto 31% são de origem asiática.

Línguas[editar | editar código-fonte]

O inglês é a língua oficial do país, mas alguns indo-trinitários falam hindi, que é amplamente usado na música popular. O idioma mais falado, o inglês de Trinidad, é classificado como um dialeto do inglês ou um crioulo inglês (crioulo inglês de Trinidad). A principal língua falada em Tobago é o crioulo inglês de Tobago. Ambas as línguas contêm elementos africanos; o inglês de Trinidad também é influenciado pelo francês e hindi. Estas línguas crioulas são normalmente faladas apenas em situações informais, e não têm um sistema padronizado de escrita.

Embora o crioulo francês de Trinidad e Tobago já ter sido a língua falada mais difundida na ilha, hoje é raramente ouvida. Devido à situação de Trinidad da costa da América do Sul, o país está lentamente a desenvolver uma relação com os povos hispanofalantes, e, portanto, o governo exige que o espanhol seja ensinado em todas as escolas do ensino secundário, o que faz com que este idioma ganhe terreno dia a dia. Os regulamentos do governo exigem atualmente que o espanhol seja ensinado a todos os estudantes do ensino secundário, e que em um prazo de cinco anos (para 2010) 30% dos funcionários públicos sejam competentes nessa língua. O governo também anunciou que o espanhol, junto com o inglês, se tornará a segunda língua oficial da nação em 2020.[20]

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura de Trinidad e Tobago é caracterizada por variadas expressões de identidade popular que refletem o encontro dos povos que formam o quadro de etnias da ilha. Este sincretismo aparece sobretudo nas manifestações religiosas, nos festejos populares e no ritmo nacional, o som do calipso onde predominam as bandas (os naipes) de metais. Nesse contexto, o Carnaval, que acontece antes da Quaresma, é a festa mais importante e esperada, quando milhares de pessoas usam fantasias e ocupam as ruas democraticamente. Em Tobago, Julho é o mês do Tobago Heritage Festival (Festival da Herança ou da Tradição), uma ampla mostra da memória histórica, do folclore, dos usos e costumes, incluindo as especialidades culinárias.

No cenário musical de Trinidad e Tobago, destaca-se a cantora e rapper Nicki Minaj que conseguiu se tornar numa das principais estrelas da música pop internacional.

Alfred Hubert Mendes, descendente de portugueses presbiterianos expulsos da Ilha da Madeira no seguimento das perseguições a Robert Kalley, foi uma figura pioneira da literatura das Caraíbas.

Destaque também para Eric Eustace Williams (ou apena Eric Wiliams), que foi primeiro ministro do país, além de grande historiador que lecionou na Universidade de Howard, de Washington. Ganhou repercussão acadêmica mundial com seu livro "Capitalismo e escravidão" de 1964, e influenciou muito outros intelectuais pelo mundo, como o historiador brasileiro Fernando Novais.

Religião[editar | editar código-fonte]

As ilhas apresentam um exótico panorama religioso onde co-existem o cristianismo católico e o protestante, o hinduísmo e o islamismo além dos cultos de origem africana, como Shangos (similar ao Tchamba[21] [22] africano, Xambá e ao Xangô do Nordeste do Brasil) o Ourisha, de origem iorubá. Esses afro-cultos assumem feições particulares ali, incorporando não somente símbolos cristãos, mas também elementos das crenças hindu e muçulmana. Mais recentemente, movimentos como o rastafári penetraram nas ilhas. Em Trinidad, existe uma congregação Bobo-Ashanti.

Nos censos de 2000 e de acordo com os dados disponíveis pelo site CIA - The World Factbook a população de Trinidad e Tobago divide-se ao nível religioso da seguinte forma: 57,6% da população é cristã (católicos - 26%, anglicanos - 7,8%, baptistas - 7,2% e várias outras denominações cristãs - 16,6%), 22,5% da população segue o hinduísmo, os muçulmanos são 5,8%, outras religiões são seguidas por 10,8% da população, 1,9% não é religiosa e a religião de 1,4% dos habitantes de Trinidad e Tobago é desconhecida.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Aéreo[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Tobago (código IATA: TAB), dista a 5 km de distância de Tobago, e recebe voos domésticos e de longo curso. Possui serviço de câmbio, táxi, estacionamento, locadoras de veículos e linha de ônibus para a cidade de Scarborough.

Há ainda o Aeroporto Internacional de Piarco, na ilha de Trinidad, situado a 27 quilômetros da capital Port of Spain e o Aeroporto internacional Crown Point, distante 10 quilômetros de Scarborough.

Operam no país as empresas aéreas Copa Air, Panamá, Air Canada, American Airlines, LIAT, Surinam, entre outras.

Outras informações[editar | editar código-fonte]

  • O nome indígena de Trinidad, usado pelos nativos desde o ano 1000 d.C., é ieri, ou "Terra do Beija-Flor". Entretanto, oficialmente, o pássaro-símbolo da nação é o flamingo;
  • O país conta com três jornais (The Guardian Trinidad, Trinidad News, NewsDay), cerca de dez estações de rádio, três canais de televisão e uma universidade;
  • A moeda corrente é o Dólar de Trinidad e de Tobago (TT$);
  • Não há horário de verão em Trinidad e Tobago;
  • O perfil étnico divide-se principalmente entre descendentes africanos (39,6%) e de hindus (40,3%). Ainda há mestiços (18,4%), europeus (0,6%), chineses (0,4%) e outras etnias (0,6%).
  • O escritor V.S. Naipaul, ganhador do Nobel de literatura em 2001, nasceu em Trinidad em 1932; em seu romance "Uma casa para o Sr Biswas", baseado em sua infância na Ilha, podemos ter uma ideia do passado daquela região.

Notas

  1. A alternativa Tabago, apesar de etimologicamente correta, é pouco usada.

Referências

  1. a b Dicionário Aurélio;
  2. a b Almanaque Abril
  3. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Visitado em 2 de agosto de 2014.
  4. Rocha, Carlos (18 de maio de 2010). Nomes de países das Caraíbas Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Visitado em 29 de novembro de 2012.
  5. Serviço das Publicações da União Europeia. Anexo A5: Lista dos Estados, territórios e moedas Código de Redacção Interinstitucional. Visitado em 29 de novembro de 2012.
  6. Instituto de Linguística Teórica e Computacional. Trindade e Tobago Dicionário de Gentílicos e Topónimos Portal da Língua Portuguesa. Visitado em 29 de novembro de 2012.
  7. Porto Editora. Trindade e Tobago Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Infopédia – Enciclopédia e Dicionários Porto Editora. Visitado em 29 de novembro de 2012.
  8. Macedo, Vítor. (Primavera de 2013). "Lista de capitais do Código de Redação Interinstitucional". A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 41): 11; 16. Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-7809. Visitado em 23 de maio de 2013.
  9. Treaty between the Republic of Trinidad and Tobago and the Republic of Venezuela on the delimitation of marine and submarine areas (em inglês) Organização das Nações Unidas (18 de abril de 1990). Visitado em 13 de abril de 2009.
  10. The 1990 Accord Replaces the 1942 Paris Treaty (em inglês) Trinidad and Tobago News.
  11. Background note Trinidad and Tobago US Department of State (16 de dezembro de 2011). Visitado em Augosto de 2009.
  12. Carmichael (1961), pág. 40–42.
  13. Carmichael (1961), pág. 52.
  14. Trinidad and Tobago Country brief (em inglês) Banco Mundial. Visitado em Setembro de 2008.
  15. Hill (1993), pág. 203–209.
  16. Hill (1983), pág. 8–10. Ver também pág. 284, n.º 1.
  17. Quevedo (1983), pág. 2–14.
  18. [1]
  19. Sítio do Governo de Trinidad e Tobago (em inglês)
  20. The Secretariat for the Implementation of Spanish, Government of the Republic of Trinidad and Tobago (em inglês). Visitado em 14 de março de 2015.
  21. [2]
  22. [3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Carmichael, Gertrude. The History of the West Indian Islands of Trinidad and Tobago, 1498–1900 (em inglês). Londres: Alvin Redman, 1961.
  • Hill, Donald R.. Calypso Calaloo: Early Carnival Music in Trinidad (em inglês). 2.ª ed. [S.l.]: Temple University Press (2006), 1993. ISBN 1-59213-463-7

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Trinidad e Tobago