Francofonia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A francofonia é a região linguística descontínua e que corresponde à comunidade lingüística que envolve todas as pessoas que têm em comum a língua francesa, chamadas de "francófonas" ("francoparlantes" e "francofalantes" são grafias também aceitas), e, a partir dela, compartilham de aspectos culturais semelhantes. Integrados nesta comunidade estão também os que têm o francês tanto como segunda língua como língua estrangeira.[1] Essa diáspora provocada pelos falantes iniciais espalhou pelo mundo o idioma francês. Assim foi feita uma distribuição geográfica da língua francesa, que compreende a análise da distribuição dos milhões de francófonos que há no mundo. É o idioma oficial, ou co-oficial, principalmente, de países americanos, africanos e europeus.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Legenda:
  Língua materna
  Língua administrativa
  Segunda língua

Minoria francofônica

Há falantes de francês no Egipto, Índia (Pondicherry), Itália, (Vale de Aosta), Laos, Mauritânia, Reino Unido (Ilhas do Canal), Estados Unidos da América (especialmente Luisiana e Nova Inglaterra) e Vietname.

Geograficamente, os francófonos estão concentrados no litoral atlântico. A Guiana Francesa, as Antilhas francesas e as províncias canadenses francofalantes como Quebeque formam a chamada América francófona; os países africanos colonizados pelos franceses, majoritariamente localizados no Atlântico, compõem a África francófona; e a França e seus vizinhos menores, Bélgica, Suíça, Luxemburgo e Mônaco, localizados na Europa.

Presença da língua francesa na União Europeia e seus candidatos a adesão.
A zona francófona do continente africano.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Língua oficial[editar | editar código-fonte]

O francês é língua oficial nos seguintes países:

País Falantes 1ª língua
(est. aprox.)
População
(est. julho 2003)
Dens. pop.
(h/km²)
Área
(km²)
França (Metropolitana) 60,000,000 60,180,600 105 547,030
República Democrática do Congo 55,225,478 24 2,345,410
Canadá 6,700,000 32,207,000 3 9,976,140
Madagáscar 16,979,900 - 587,040
Costa do Marfim 16,962,500 - 322,460
Camarões 15,746,200 - 422,277
Burquina Faso 13,228,500 - 274,200
Mali 11,626,300 - 1,240,000
Senegal 10,580,400 - 196,190
Bélgica 4,000,000 10,290,000 - 30,510
Ruanda 7,810,100 - 26,338
Haiti 7,527,800 - 27,750
Suíça (milhões) 7,318,638 - 41,290
Burundi 6,096,156 - 27,830
Togo 5,429,300 - 56,785
República Centro-Africana 3,683,600 - 622,984
República do Congo 2,954,300 - 342,000
Gabão 1,321,500 - 267,667
Comores 632,948 - 2,170
Djibouti 457,130 - 23,000
Luxemburgo 100,000 454,157 171 2,586
Guadalupe 442,200 - 1,780
Martinica 390,200 - 1,100
Vanuatu 200,000 - 12,200
Seicheles 80,469 - 455

Segunda língua[editar | editar código-fonte]

Embora não seja oficial, o francês é a principal segunda língua nos países seguintes:

País População Dens. pop. Área
  (est. Julho 2003) (h/km²) (km²)
Argélia 32,810,500 - 2,381,440
Tunísia 9,924,800 - 163,610
Maurícia 1,210,500 - 2,040
Marrocos 31,689,600 - 446,550
Cabo Verde -

Países não-francófonos[editar | editar código-fonte]

Estes são os números de francofalantes em países sem qualquer ou muita ligação ao idioma francês.[2]

País Francófonos Incluindo expatriados franceses População do país
 Argélia 22 000 000 (25 000) 34 800 000
 Marrocos 17 000 000 (60 000) 34 000 000
 Tunísia 6 000 000 (15 000) 10 000 000
 Estados Unidos (2 000 000) (233 300) 302 000 000
 Israel 1 500 000 (66 000)[3] 7 200 000
 Rússia 705 200 (819) 143 000 000
Sudão 400 000 (500) 36 000 000
 Países Baixos 213 000 (20 300) 17 000 000
 Alemanha 200 000 (165 000) 82 000 000
Uganda 200 000 (200) 28 000 000
África do Sul 100 000 (7 600) 48 000 000
 Turquia 100 000 (3 400) 70 000 000
 Austrália 65 000 (41 800) 20 000 000
 Síria 65 000 (1 900) 19 000 000
 Itália 60 000 (48 000) 59 000 000
Malawi 50 300 (63)[4] 10 600 000
Gâmbia 45 000 (150)[5] 1 700 000
 Brasil 30 000 (25 000) 184 000 000
 Venezuela 20 090 (5 800) 26 000 000
 Colômbia 20 000 (3 800) 45 000 000
 Chile 10 000 (6 500) 16 000 000
 Catar 10 000 (700) 800 000
 Lituânia 8 000 (300) 3 500 000
 Peru 7 600 (2 500)
Nigéria 7 500 (3 000)
Paquistão 6 000 (700)
Equador 5 000 (1 400)
 Bolívia 5 000 (900)
 Noruega 4 500 (3 000)
Costa Rica 4 000 (1 500)
 Hungria 3 000 (1 900)
Filipinas 3 000 (1 600)
 Panamá 3 000 (500)
Omã 3 000 (500)
Iémen/Iêmen 3 000 (300)
 Angola 2 000 (1 200)
 Islândia 2 000 (200)
Nicarágua 1 500 (400)
 Letônia 1 500 (100)
 Etiópia 1 000 (400)
Trinidad e Tobago 800 (600)
 Zimbabwe 700 (400)
Nepal 600 (200)
 Estónia 400 (100)
 Bangladesh 300 (200)
 Porto Rico [6]
Total 48 997 007 (611 319)

História[editar | editar código-fonte]

Mapa do primeiro (azul claro) e segundo (azul escuro) impérios coloniais franceses.

O francês, surgido na França, espalhou-se pelo mundo através da influência, colonizações e descobrimentos dos franceses. Assim, historicamente, ao longo de quase 300 anos, o francês foi também a língua das classes dirigentes e do comércio de Inglaterra desde o tempo da Conquista Normanda até 1362, quando o uso do Inglês foi retomado.

Hoje o poder global da língua francesa já não é o mesmo, diminuiu muito. Contudo, tentativas de recuperação do prestígio vem sendo propostas e realizadas. Nesse sentido, a Aliança Francesa tem um papel muito importante na a expansão do francês pelo mundo, sem falar da Organização Internacional da Francofonia.

Instituição[editar | editar código-fonte]

Bandeira da organização.

A Organização Internacional da Francofonia (em francês: Organisation internationale de la Francophonie, mais conhecida como La Francophonie), cujo acrónimo é OIF, é uma organização internacional de países e governos francófonos unidos pela língua francesa. Nesses países a língua francesa é oficial ou tem um status privilegiado.

Atualmente a organização tem 55 Estados-membros e treze países observadores. O principal pré-requisito para a admissão não é apenas o uso da língua francesa, mas sim a presença consistente da cultura e língua francesas no contexto identitário de um país, geralmente expressado pela relação privilegiada com a França em sua história.

Legalidade nos países[editar | editar código-fonte]

Estatuto legal na França[editar | editar código-fonte]

A França obriga ao uso do francês em publicações oficiais do governo, na educação (embora estas disposições sejam frequentemente ignoradas pelos imigrantes e filhos de imigrantes) e em contratos legais. Ao contrário do que diz um mal entendido frequente nos meios de comunicação americanos e britânicos, a França não proíbe o uso de palavras estrangeiras em páginas web ou qualquer outra publicação privada, o que de resto iria entrar em conflito com as garantias constitucionais de liberdade de expressão.

Estatuto legal no Canadá[editar | editar código-fonte]

O francês é uma das duas línguas oficiais do Canadá, sendo a outra o inglês. Várias alíneas da Carta de Direitos e Liberdades do Canadá lidam com o direito dos canadenses de ter acesso a serviços em inglês e em francês em todo o país. Por lei, o governo federal tem de operar e disponibilizar serviços tanto em inglês como em francês, as actas do Parlamento Canadiano devem ser traduzidas tanto para inglês como para francês e todos os produtos canadenses têm de ser etiquetados tanto em inglês como em francês.

O francês é língua oficial na Nova Brunswick, Territórios do Noroeste, e Nunavut, e é a única língua oficial do Quebeque, segundo a Carta da Língua Francesa.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]