Metanol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Dezembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Metanol
Alerta sobre risco à saúde
Methanol-2D.png Methanol-3D-balls.png
Methanol flat structure.png Methanol-3D-vdW.png
Nome IUPAC Metanol
Outros nomes Hidroximetano
Álcool metílico
Carbinol
Identificadores
Número CAS 67-56-1
PubChem 887
ChemSpider 864
Número RTECS PC1400000
SMILES
Propriedades
Fórmula química CH4O
Massa molar 32.04 g mol-1
Aparência Líquido incolor
Densidade 0,79 g·cm-3[1]
Ponto de fusão

-98 °C[1]

Ponto de ebulição

65 °C[1]

Solubilidade em água miscível[1]
Solubilidade miscível com etanol e éter dietílico[2]
Pressão de vapor 129 hPa (20 °C)[1]
Acidez (pKa) ~ 15.5 [carece de fontes?]
Viscosidade 0.59 mPa·s at 20 °C [carece de fontes?]
Momento dipolar 1.69 D (gas) [carece de fontes?]
Riscos associados
Classificação UE Flammable (F)
Toxic (T)
NFPA 704
NFPA 704.svg
3
3
0
 
Frases R R11, R23/24/25, R39/23/24/25
Frases S S1/2, S7, S16, S36/37, S45
Ponto de fulgor 79 °C (151.8 °F)
Compostos relacionados
Outros aniões/ânions Metanotiol
Metilamina
Fluorometano
Clorometano
Outros catiões/cátions Metóxido de sódio
Álcoois relacionados Etanol
Propanol
Butanol
Compostos relacionados Metoximetano
Metanal
Ácido fórmico
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O metanol, também conhecido como álcool metílico, é um composto químico com fórmula química CH3OH. Líquido, inflamável, possui chama invisível, fundindo-se a cerca de -98 °C.

Manufatura[editar | editar código-fonte]

O metanol, ou ainda o álcool da madeira, pode ser preparado pela destilação seca de madeiras, seu processo mais antigo de obtenção, e de onde, durante muito tempo, foi obtido exclusivamente.

Atualmente é obtido pela reação do gás de síntese (produzido a partir de origens fósseis, como o gás natural), uma mistura de H2 com CO passando sobre um catalisador metálico a altas temperaturas e pressões.

Esta reação é uma redução catalítica do monóxido de carbono, e processa-se a temperatura de cerca de 300°C e pressões de 200 a 300 atm. É utilizado como catalisador uma mistura de óxidos metálicos como óxido de cromo (III) (Cr2O3) e óxido de zinco (ZnO).[3]

A equação da reação é:

CO + 2 H2 → H3C-OH

Ele também pode ser produzido a partir da cana-de-açúcar.

Usos[editar | editar código-fonte]

O metanol é principalmente um solvente industrial, pois ele dissolve alguns sais melhor do que o etanol; é utilizado na indústria de plásticos, na extração de produtos animais e vegetais, e como solvente em reações de importância farmacológica, como no preparo de colesterol, vitaminas e hormônios. É matéria prima na produção de formaldeído.

É usado no processo de transesterificação da gordura, para produzir biodiesel.

É usado como combustível em algumas categorias de monopostos dos EUA (ex: Champ Car, IRL, Dragster). As equipes e o piloto são instruidos de como agir diante de um incêndio provocado por um acidente. Como o fogo não é visível é preciso jogar água em todos os cantos onde supostamente está ocorrendo e no próprio piloto e membros da equipe se for o necessário.

Efeitos potenciais à saúde[editar | editar código-fonte]

Inalação[editar | editar código-fonte]

Causa leve irritação às membranas das mucosas. Tem efeito tóxico no sistema nervoso, particularmente no nervo óptico. Os sintomas da exposição incluem dor de cabeça, náusea, vômito, cegueira, coma e até a morte.

Ingestão[editar | editar código-fonte]

Tóxico. Irrita as membranas da mucosa. Pode causar intoxicação e cegueira (que pode ser permanente), Dose fatal: 20 - 25 ml.

Contato com a pele[editar | editar código-fonte]

Pode deixar a pele seca e quebradiça. Se ocorrer absorção; sintomas parecidos com a inalação.

Contato com os olhos[editar | editar código-fonte]

Irritante. A exposição contínua pode causar lesões nos olhos, podendo evoluir para cegeira ao 'dissolver' a retina.

Exposição crônica[editar | editar código-fonte]

Prejudica a visão e causa aumento do fígado (hepatomegalia). Repetidas ou prolongadas exposições podem causar irritação na pele.

Agravo das condições pré-existentes[editar | editar código-fonte]

Pessoas com desordens de pele, problemas nos olhos, ou com função prejudicada dos rins e fígado podem ser mais suscetíveis aos efeitos da substância.

Tratamento da intoxicação[editar | editar código-fonte]

Antigamente, o tratamento da intoxicação por metanol era feito à base de bebidas alcoólicas, principalmente Uísque. Sabe-se que o etanol, forma do álcool nas bebidas, liga-se com muita facilidade ao ácido fórmico tóxico, o principal metabólito do metanol, facilitando sua excreção. Para se alcançar o efeito desejado, é necessário levar o paciente a um estado de embriaguez. Isto equivale a 4 doses de 45ml de Uísque. Atualmente, este método é pouco utilizado devido aos avanços farmacológicos. Nas unidades de saúde com recursos, usam-se o fomepizol um antagonista competitivo da desidrogenase láctica.[4]

Referências

  1. a b c d e Registo de Methanol na Base de Dados de Substâncias GESTIS do IFA, accessado em 9 de Dezembro de 2010.
  2. Thieme Chemistry (Hrsg.): RÖMPP Online - Version 3.5. Georg Thieme Verlag KG, Stuttgart 2009.
  3. SAFFIOTI, WALDEMAR; Fundamentos de Química; Companhia Editora Nacional; São Paulo, Brasil; 1968
  4. HOLTZ, Andrew; A ciência médica de House; Tradução de Adriana Rieche - 7ª edição - Ed. Best Seller, 2008; p.164.