Solvente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este artigo conforme o guia de tradução.

Se denomina solvente, dissolvente ou dispersante aquela substância que permite a dispersão de outra substância em seu meio. Normalmente o dissolvente estabelece o estado físico da dissolução. Por isso, se diz que o dissolvente é o componente de uma dissolução que está no mesmo estado físico que a dissolução. Numa dissolução de água e sal de cozinha, a água é o solvente porque dispersa no seu meio o sal.

A água é um solvente inorgânico, polar, chamado frequentemente de "solvente universal" pois é usado para dissolver muitas substâncias.

Respeita-se a regra de polaridade das moléculas, onde solvente polar dissolve molécula polar, e solvente apolar dissolve molécula apolar. Quando uma certa substância (orgânica por exemplo) possui dois grupos distintos que diferem nas caracteristicas de polaridade, observa-se qual prevalece, e o solvente será semelhante à esse. Mas a interação entre o solvente e o soluto (ou disperso) está relacionada à diferença (ou ausência) de disputa entre as partes polares e apolares.

Muitos solventes utilizados na indústria são substâncias altamente voláteis, isto é, que se evapora facilmente, daí é que pode ser inalada (introduzida no organismo através da aspiração, pelo nariz ou boca). Outra característica é serem inflamáveis, isto é, pegam fogo facilmente.

Propriedades físicas de solventes comuns[editar | editar código-fonte]

Os solventes podem ser classificados em duas categorias: polares e não polares. Geralmente, a constante dielétrica do solvente fornece uma medida aproximada de um solvente de polaridade. A polaridade forte da água é indicada, a 20 ° C, por uma constante dielétrica de 80,10; [carece de fontes?]. Solventes com uma constante dielétrica menor que 15 são geralmente considerados apolares. [3] Tecnicamente, as medidas de constante dielétrica de um solvente são a capacidade que estes têm de reduzir a intensidade do campo elétrico existente em torno de uma partícula carregada que esteja imersa nele. Esta redução é então comparada com a intensidade do campo da partícula carregada em um vácuo. [3] Em termos leigos, a constante dielétrica do solvente pode ser pensado como a sua capacidade de reduzir a taxa interna de soluto.

Constantes dielétricas e momento dipolar representam a polaridade do solvente e a polarização de uma molécula "isolada", respectivamente. Como solventes são utilizados pelos químicos para realizar reações químicas ou observar os fenômenos químicos e biológicos, medidas mais específicas de polaridade são obrigatórios.

O Grunwald Winstein escalar meu polaridade medidas em termos de influência do solvente sobre o acúmulo de carga positiva de um soluto durante uma reação química.

Z Kosower da escala de polaridade medidas em termos da influência do solvente sobre máximos de absorção ultravioleta de um sal, geralmente iodeto de piridínio ou o zwitterion piridínio [4].

Doadores número de doadores e aceitadores escala de polaridade medidas em termos de como um solvente interage com substâncias específicas, como um ácido de Lewis forte ou uma base de Lewis forte [5].

A polaridade, polarizabilidade dipolo-momento, e ligação hidrogênio de um solvente determina que tipo de compostos é capaz de dissolver e com o que outros solventes ou compostos líquidos é miscível. Como regra geral, solventes polares dissolvem compostos polares melhor e solventes apolares dissolvem compostos apolares melhor: "como se dissolve como". Fortemente compostos polares, como açúcares (sacarose, por exemplo) ou compostos iônicos, como sais inorgânicos (por exemplo, sal de mesa) só se dissolvem em solventes muito polares, como água, enquanto compostos fortemente não-polares, como óleos ou ceras dissolver apenas em muito não-solventes orgânicos polares, como hexano. Similarmente, a água e hexano (ou vinagre e óleo vegetal) não são miscíveis uns com os outros e rapidamente separada em duas camadas, mesmo depois de ser bem agitada.

[Editar] próticos polares e aproticSolvents polar com uma permissividade relativa estática superior a 15 pode ser dividido em próticos e apróticos. solventes próticos solvato ânions (carga negativa solutos) fortemente através de ligações de hidrogênio. A água é um solvente prótico. solventes apróticos, tais como acetona ou diclorometano tendem a ter grandes momentos de dipolo (separação parcial de positivas e as cargas negativas dentro da mesma molécula) e solvato carregado positivamente espécies através de seus dipolo negativo. [6] Em reações químicas a utilização de solventes polares próticos favores o mecanismo de reacção SN1, enquanto solventes apróticos polares favor do mecanismo da reação SN2.

=[editar | editar código-fonte]

Os solventes são agrupados em apolar, polar aprótico e polar prótico e ordenados por aumento de porlaridade.

A polaridade pode ser dada pela constante dielétrica. As propriedades dos solventes que ultrapassem aquelas da água estão em negrito:

Solvente Fórmula química Ponto de ebulição[1] Constante dielétrica[2] Densidade Momento dipolar
Solventes apolares
Pentano CH3-CH2-CH2-CH2-CH3 36 °C 1.84 0.626 g/mL 0.00 D
Ciclopentano C5H10 40 °C 1.97 0.751 g/mL 0.00 D
Hexano CH3-CH2-CH2-CH2-CH2-CH3 69 °C 1.88 0.655 g/mL 0.00 D
Ciclo-hexano C6H12 81 °C 2.02 0.779 g/mL 0.00 D
Benzeno C6H6 80 °C 2.3 0.879 g/mL 0.00 D
Tolueno C6H5-CH3 111 °C 2.38 0.867 g/mL 0.36 D
1,4-Dioxano /-CH2-CH2-O-CH2-CH2-O-\ 101 °C 2.3 1.033 g/mL 0.45 D
Clorofórmio CHCl3 61 °C 4.81 1.498 g/mL 1.04 D
Dietil-éter CH3CH2-O-CH2-CH3 35 °C 4.3 0.713 g/mL 1.15 D
Solventes polares apróticos
Diclorometano (DCM) CH2Cl2 40 °C 9.1 1.3266 g/mL 1.60 D
Tetraidrofurano (THF) /-CH2-CH2-O-CH2-CH2-\ 66 °C 7.5 0.886 g/mL 1.75 D
Etilacetato CH3-C(=O)-O-CH2-CH3 77 °C 6.02 0.894 g/mL 1.78 D
Acetona CH3-C(=O)-CH3 56 °C 21 0.786 g/mL 2.88 D
Dimetilformamida (DMF) H-C(=O)N(CH3)2 153 °C 38 0.944 g/mL 3.82 D
Acetonitrila (MeCN) CH3-C≡N 82 °C 37.5 0.786 g/mL 3.92 D
Dimetilsulfóxido (DMSO) CH3-S(=O)-CH3 189 °C 46.7 1.092 g/mL 3.96 D
Solventes polares próticos
Ácido Fórmico H-C(=O)OH 101 °C 58 1.21 g/mL 1.41 D
n-Butanol CH3-CH2-CH2-CH2-OH 118 °C 18 0.810 g/mL 1.63 D
Isopropanol (IPA) CH3-CH(-OH)-CH3 82 °C 18 0.785 g/mL 1.66 D
n-Propanol CH3-CH2-CH2-OH 97 °C 20 0.803 g/mL 1.68 D
Etanol CH3-CH2-OH 79 °C 30 0.789 g/mL 1.69 D
Metanol CH3-OH 65 °C 33 0.791 g/mL 1.70 D
Ácido acético CH3-C(=O)OH 118 °C 6.2 1.049 g/mL 1.74 D
Água H-O-H 100 °C 80 1.000 g/mL 1.85 D

Reciclagem de solventes[editar | editar código-fonte]

Há empresas que atuam na reciclagem de solventes, porém as mesmas devem possuir Licença Ambiental para dispor/reciclar, transportar ou armazenar os resíduos industriais.[3] As indústrias químicas para desenvolver a atividade de recuperação e refino de solventes, óleos minerais, vegetais e animais estão sujeitas ao licenciamento ambiental.[4] A conversão de resíduos em matérias-primas pode gerar inúmeras oportunidades de negócios e empregos para a indústria.[5]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Solvent Properties - Boiling Point
  2. Dielectric Constant
  3. Boletim Informativo Bolsa de Reciclagem, n. 29, ano 5, nov.-dez., 2006. Sistema FIEP. Publicação bimestral. www.bolsafiep.com.br
  4. IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Perguntas frequentes. Licenciamento Ambiental. Disponível em: http://www.ibama.gov.br/perguntas-frequentes/licenciamento-ambiental
  5. Sistema Integrado de Bolsa de Resíduos. Disponível em: http://www.sibr.com.br/sibr/index_cni.jsp


Ícone de esboço Este artigo sobre Química é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.