Agência Nacional de Detetives Pinkerton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
We never sleep era a divisa da agência.

A Agência Nacional de Detetives Pinkerton foi uma agência de investigação e segurança particular fundada nos Estados Unidos da América em 1850 por Allan Pinkerton, detetive que ficou famoso ao frustrar uma conspiração para o assassinato do presidente Abraham Lincoln. A maior parte dos contratos da Pinkerton girava em torno de evitar que grevistas (principalmente líderes sindicais) ocupassem ou se aproximassem das fábricas em que trabalhavam. O incidente mais famoso da agência nessa área de atuação foi o da greve de Homestead de 1892, quando centenas de agentes da Pinkerton forçaram truculentamente o fim de uma greve, matando nove pessoas. Também participou de muitas ações famosas nas greves das indústrias metalúrgicas e de carvão nas regiões leste e central dos EUA, e nas greves das ferrovias no sul e no meio-oeste.

O logotipo da agência era um olho circundado pela frase We never sleep (em português, "nós nunca dormimos") e inspirou o termo private eye, sinônimo de detetive particular.

Na década de 1870, a agência foi contratada para investigar sindicalistas que trabalhavam em minas da companhia Philadelphia and Reading. Enviaram o agente James McParland para se infiltrar numa sociedade secreta dos trabalhadores, a Molly Maguires. Usando o pseudônimo James McKenna, o agente conseguiu adentrar e desmantelar a sociedade. A notícia do fato inspirou o conto O Vale do Medo, escrito pelo romancista Sir Arthur Conan Doyle.

Agentes da Pinkerton também foram contratados para perseguir foras-da-lei famosos do Oeste americano, tais como Jesse James, Reno Brothers e a Wild Bunch (gangue formada por Butch Cassidy e Sundance Kid, entre outros).

Atualmente o nome Pinkerton é uma marca registrada da Companhia Securitas AB, que possui uma subsidiária chamada Pinkerton Consulting & Investigations Inc..

Frank Geyer[editar | editar código-fonte]

Em 1895 o detetive Frank Geyer rastreou o assassino de três crianças da família Pitezel, solucionando o caso e levando ao eventual julgamento e execução de um dos primeiros assassinos em série identificados dos Estados Unidos, H. H. Holmes. Geyer escreveu um livro contando a sua história, O Caso Pitezel-Holmes.[1] Agentes da Pinkerton já haviam apreendido Holmes anteriormente em 1894, na cidade de Boston, em razão de um mandato de prisão expedido por conta de fraude de seguros cometida por ele em Chicago.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. ISBN B000RB43NM