Alúmen de potássio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sulfato de alumínio e potássio
Alerta sobre risco à saúde
Alum.jpg
Identificadores
Número CAS 7784-24-09
Propriedades
Fórmula molecular KAl(SO4)2
Massa molar 258.207 g/mol (anidro)
Densidade 1.76 g/cm3
Ponto de fusão

92-93 °C

Ponto de ebulição

200 °C

Solubilidade em outros solventes 36.80 gramas de alúmen/100 gramas de água a 50 °C
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Alúmen de potássio ou alúmen (alume) de potassa ou simplesmente alúmen, é o sulfato duplo de alumínio e potássio.[1] Sua fórmula é KAl(SO4)2. É comumente encontrado em sua forma dodecahidratada, como KAl(SO4)2·12(H2O). Apresenta-se também com vinte e quatro moléculas de água de hidratação, KAl(SO4)2·24(H2O).

O alúmen de potássio é o principal constituinte da pedra-ume (BR)/pedra-hume (PT), historicamente chamada pedra alúmen.[2]

Características[editar | editar código-fonte]

O alúmen de potássio cristaliza em octaedros regulares com bordas planas, e é muito solúvel em água. A solução torna vermelho o azul de tornassol (pH a 5 % = 3,0 a 3,5) e é um adstringente. Quando aquecido ao rubro dá uma massa porosa, a qual é conhecida como "alúmen queimado". Funde-se a 92 °C, dissolvendo-se totalmente em sua própria água de cristalização. "Alúmen neutro" é obtido pela adição de carbonato de sódio a uma solução de alúmen até iniciar-se a separação da alumina.

Como anidro, KAl(SO4)2, possui massa molar de 258.207 g/mol. Na forma KAl(SO4)2·24(H2O), sua massa molar chega a 948.78 g/mol.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

O alúmen de potássio é o principal constituinte da pedra-ume/pedra-hume - mas não o único, pois a pedra-(h)ume pode conter outros alúmens, como alúmen de sódio.

É comumente usado em purificação de água, curtimento de couro, têxteis a prova de fogo, e produção de pão. Tem aplicação em fotografia como endurecedor da gelatina e emulsões. Tem também usos em cosméticos como desodorante e no tratamento pós-barba.

O alúmen encontra aplicação como um mordente, na preparação de lacas para aderir ao papel artesanal e na clarificação de líquidos turvos (como agente floculante).

Ocorrência e formas minerais[editar | editar código-fonte]

Alumiiniumkaaliumsulfaati monokristall.jpg

O alúmen de potássio ocorre naturalmente, geralmente como incrustações em rochas, em áreas de meteorização e oxidação de sulfetos minerais e minerais de rolagem de potássio. Alunita é um associado e igualmente fonte de alumínio e potássio, encontrado no Vesúvio (Itália), leste de Springsure (Queensland), Alum Cave, (Tennessee) e Alum Gulch (Arizona), nos EUA.[3] [4]

Suas formas minerais são conhecidas como calunita (kalunite), na forma de rocha, e calinito (kalinite), na forma fibrosa.

Segurança[editar | editar código-fonte]

O alúmen de potássio não é considerado perigoso, porém pode causar irritação quando em contato com os olhos, ao que se recomenda lavar os olhos e a pele com abundância de água corrente.

Este, inclusive, pode também irritar os pulmões: no caso de cães e outros seres com olfato super-aguçado, o alúmen de potássio pode impedir que o animal identifique um cheiro em específico.

Referências

  1. Obs.- Não confundir com o alúmen de amônio.
  2. A forma latina alúmen transformou-se em aúme (ahume, no século XIV); portanto, "pedra alúmen" tornou-se pedra ahume. Posteriormente, por assimilação do a inicial de ahúme ao a final de "pedra", formou-se pedra-ume (CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, 1982; 2ª ed., 1986).
  3. Potassium Alum: Mineral Data
  4. Mindat

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]