Bandeira Olímpica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira Olímpica
Bandeira Olímpica
Aplicação
FIAV 000000.svgFIAV normal.svg
Adoção 1914
Cores
  Branco
  Azul
  Amarelo
  Preto
  Verde
  Vermelho

A Bandeira Olímpica foi criada pelo Barão Pierre de Coubertin em 1913.

História[editar | editar código-fonte]

Pierre de Coubertin disse:

Cquote1.svg A Bandeira Olímpica possui um fundo branco, com cinco anéis entrelaçados no centro: azul, amarelo, preto, verde e vermelho. Este desenho é simbólico; representa os cinco continentes habitados do mundo, unidos pelo Olimpismo, enquanto as seis cores são aquelas que aparecem em todas as bandeiras nacionais até o presente momento. Cquote2.svg
Pierre de Coubertin, 1931[1]

É, pois, um engano afirmar que cada cor representa um continente.

Bandeiras específicas[editar | editar código-fonte]

Bandeira olímpica exposta em Victoria, Canadá, em reconhecimento aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010, que foram realizados em Vancouver.

Há bandeiras olímpicas que são apresentadas pelas cidades que sediarão os próximos Jogos. Tradicionalmente, a bandeira é passada do prefeito da cidade sede dos Jogos que se encerram para o prefeito da cidade sede seguinte durante a Cerimônia de Encerramento. A bandeira é, então, levada para a nova sede e exposta na prefeitura.

Bandeira da Antuérpia[editar | editar código-fonte]

A primeira bandeira olímpica foi apresentada pelo COI durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1920 em Antuérpia, Bélgica. Ao final dos Jogos, a bandeira não foi encontrada e uma nova precisou de ser feita para os Jogos de 1924. Em 1997, durante um banquete promovido pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos da América, um repórter estava entrevistando Hal Haig Prieste, que havia conquistado um bronze nos saltos ornamentais nos Jogos de 1920. O repórter mencionou que o COI não sabia dizer o que havia acontecido com a bandeira original. "Eu posso te ajudar", disse Prieste, "Está em minha mala." Ao fim dos Jogos da Antuérpia, Prieste subiu no mastro onde a bandeira estava hasteada e a roubou. A bandeira voltou para as mãos do COI numa cerimônia especial realizada em 2000 em Sydney. A Bandeira da Antuérpia está hoje exposta no Museu Olímpico de Lausanne, Suíça, com uma placa agradecendo a Prieste pela "doação".[2]

Bandeira de Paris[editar | editar código-fonte]

Uma nova bandeira olímpica foi criada para os Jogos de 1924, em Paris, e passada para a próxima cidade sede dos Jogos Olímpicos de Verão ou de Inverno até os Jogos de Inverno de 1952, em Oslo, Noruega, quando uma bandeira em separado foi criada para os Jogos de Inverno. A Bandeira de Paris continuou a ser usada nos Jogos de Verão até os Jogos de Seul, em 1988.

Bandeira de Oslo[editar | editar código-fonte]

A Bandeira de Oslo foi apresentada ao COI pelo prefeito da cidade norueguesa durante os Jogos de Inverno de 1952. Desde então, tem sido passada para a próxima cidade-sede dos Jogos de Inverno.

Bandeira de Seul[editar | editar código-fonte]

A Bandeira Olímpica atual foi apresentada ao COI durante os Jogos de Seul, em 1988. Desde então, ao final de cada edição, é passada ao prefeito da próxima cidade-estado.

Referências

  1. Extraído de: Textes choisis II, p.470. (escrito em 1931). A Bandeira Olímpica.
  2. N.Y. Times. Bandeira Perdida Volta À Glória, Cortesia de um Traquinas.