Be File System

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
bfs
Desenvolvedor Be Incorporated
Nome completo Be File System
Lançamento 10 de Maio de 1997 (BeOS Advanced Access Preview Release[1] )
Identificador da partição Be_BFS (Apple Partition Map)
0xEB (MBR)
Estruturas
Conteúdos de diretório Árvore B+
Alocação de arquivos inodes
Blocos ruins inodes
Limites
Tamanho Máximo de arquivo 260 GB
Número máximo de arquivos Ilimitado
Tamanho máximo do nome de arquivo 255 bytes
Tamanho máximo do volume 2 EB
Caracteres permitidos em nomes Todos UTF-8 exceto '/'
Recursos
Datas salvas acesso (atime), criação (ctime), modificação (mtime)
Faixa de datas Desconhecido
Resolução de datas Nanosegundos
Bifurcações Sim
Atributos POSIX ACLs: Read, Write, Execute
Permissões de sistema de arquivos POSIX (RWX per owner, group and all)
Compressão transparente Não
Criptografia transparente Não
Armazenamento de caso único Não
Sistemas operativos suportados BeOS, Zeta, Haiku, SkyOS, Syllable
Portal das Tecnologias de informação

O Be File System (BFS, ocasionalmente, é impropriamente denominado BeFS, para evitar qualquer confusão com Boot File System - BFS, nome usado no Linux) é o sistema de arquivos nativo para o BeOS.

BFS foi desenvolvido por Dominic Giampaolo e Cyril Meurillon ao longo de um período de dez meses, com início em Setembro de 1996,[2] fornecer para BeOS um sistema de arquivos moderno de 64 bits capaz de journaling.[3] Em caso sensível e capaz de ser usado em disquete, discos rígidos e mídia de somente leitura como CD-ROMs, embora seu uso em pequenas mídias removíveis não é aconselhável, como o arquivo de cabeçalhos do sistema consomem de 600KB a 2MB, tornando os disquetes praticamente inúteis.

Como seu antecessor, OFS (Old Be File System, escrito por Benoit Schillings, também foi chamado BFS quando corrente),[4] que inclui suporte para os atributos de arquivo estendido (metadados), com características de indexação e consulta para fornecer funcionalidade similar ao um banco de dados relacional.

Embora concebido como um sistema de arquivo de 64 bits, o tamanho de algumas estruturas no disco, significa que o tamanho limite prático é de aproximadamente 2 exabytes.Similar o grau de alocação de arquivos baseado reduz o tamanho do arquivo praticamente máximo de cerca de 260 gigabytes no melhor e tão pouco como alguns blocos em um pior caso patológico, dependendo do grau de fragmentação.

Seu processo de projeto, application programming interface e funcionamento interno são, em sua maior parte, documentada no livro Practical File System Design with the Be File System.[2]

Implementações[editar | editar código-fonte]

Além do original BFS usado BeOS em 1996, existem várias implementações para Linux. No início de 1999, Makoto Kato desenvolveu um Be File System Driver para Linux; porém, o driver nunca alcançou um estado de completo, de modo estável em 2001, Will Dyson desenvolveu sua própria versão do Linux BFS driver.[5]

Como parte da tentativa OpenBeOS (agora Haiku) para recriar o sistema operacional BeOS em 2002, Axel Dörfler e outros poucos desenvolvedores criam e lançam um chamado BFS reimplementado OpenBFS.[6] Em janeiro de 2004, Robert Szeleney anunciou que tinha desenvolvido um fork deste sistema de arquivos OpenBFS para uso no SkyOS sistema operacional.[7] A implementação OpenBFS regular também foi portado para Syllable e está incluído desde a versão 0.6.5.

Referências

  1. Scot Hacker (1997-07-01). BeOS Journal 10: A First Look at DR9. ZDNet. Arquivado do original em 1999-10-02. Página visitada em 2007-03-22.
  2. a b Giampaolo, Dominic. Practical File System Design with the Be File System. [S.l.]: Morgan Kaufmann, 1999. ISBN 1-55860-497-9
  3. Andrew Orlowski (2002-03-29). Windows on a database – sliced and diced by BeOS vets. The Register. Página visitada em 2006-12-09.
  4. Henry Bortman. Benoît Schillings, Software Engineer. The BeOS Bible. Página visitada em 2006-09-10.
  5. Will Dyson (2002). BeFS driver for Linux: About BeFS. SourceForge. Página visitada em 2006-12-09.
  6. Daniel Teixeira (2002-09-04). OBFS Reaches Beta. Haiku News. Arquivado do original em 2006-10-04. Página visitada em 2006-12-09.
  7. Robert Szeleney (2004-01-23). Update. skyos.org. Página visitada em 2006-12-09.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]