Bioterrorismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bacilos de antraz (bastonetes púrpura), usados como arma biológica.

Bioterrorismo - é o terrorismo pra(c)ticado por meio da liberação ou disseminação intencional de agentes biológicos, vírus ou toxinas; estes podem ser utilizados in natura ou numa forma modificada pelo homem.

Definição[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos da América[1] :

Um ataque bioterrorista é a liberação deliberada de vírus, bactérias ou de outros germes (agentes) usadas para provocar moléstias ou morte em pessoas, animais ou plantas. Estes agentes são tipicamente encontrados na natureza, mas é possível que possam ter sido alterados para incrementar sua capacidade de causar moléstias, torná-los mais resistentes aos medicamentos existentes ou para incrementar sua capacidade de se disseminar no meio ambiente. Agentes biológicos podem ser difundidos pelo ar, através da água ou de alimentos. Terroristas podem usar agentes biológicos porque eles são extremamente difíceis de detectar e não provocam doenças antes de várias horas ou dias. Alguns agentes de bioterrorismo, tais como o vírus da varíola, podem ser transmitidos de pessoa para pessoa, enquanto outros, como o antraz, não podem.

Carta, enviada por terroristas islâmicos, contendo esporos de carbúnculo (antraz).

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.