Círculo de Mohr

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O círculo de Mohr, denominado em memória de seu idealizador, Christian Otto Mohr, é um método gráfico bidimensional representativo da lei de transformação do tensor tensão de Cauchy.

Figura 2: Tensão em um corpo material solicitado mecanicamente e assumido como contínuo.

Após realizar uma análise de tensões em um corpo material assumido como um meio contínuo, as componentes do tensor tensão de Cauchy em um determinado ponto do corpo são conhecidas em relação a um sistema de coordenadas. O círculo de Mohr é então usado para determinar graficamente as componentes de tensão em relação a um sistema rotacionado, isto é, agindo sobre um plano de orientação diferente passando sobre o ponto.

A abscissa \sigma_\mathrm{n} e a ordenada \tau_\mathrm{n} de cada ponto do círculo são as magnitudes da tensão normal e da tensão cisalhante atuando sobre um sistema de coordenadas rotacionado. Em outras palavras, o círculo é o locus dos pontos que representam o estado de tensão sobre planos individuais em todas as suas orientações, onde os eixos representam os eixos principais dos elemento de tensão.

Karl Culmann foi o primeiro a conceber uma representação gráfica para tensões, considerando tensões normais e cisalhantes em vigas horizontais sob flexão. A contribuição de Mohr estendeu o uso desta representação para estados de tensão bi e tridimensional e desenvolveu um critério de falha baseado sobre o círculo de tensão.[1]

O círculo de Mohr pode ser apicado a qualquer matriz simétrica 2x2, incluindo os tensores deformação e momento de inércia.

Círculo de Mohr para um estado de tensão tridimensional


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Parry, Richard Hawley Grey. Mohr circles, stress paths and geotechnics. 2 ed. [S.l.]: Taylor & Francis, 2004. 1–30 p. ISBN 0-415-27297-1
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.