Christian Metz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Christian Metz (12 de setembro de 1931 - 07 de dezembro de 1993) foi um francês teorizador de filmes, mais conhecido pelo pioneirismo da aplicação de Ferdinand de Saussure nas teorias da semiologia nos filme. Durante a década de 70, sua obra teve um impacto importante sobre a teoria cinematográfica, na França, na Grã-Bretanha, na América Latina e nos Estados Unidos.

A Semiótica do Cinema[editar | editar código-fonte]

Metz centra-se na estrutura narrativa que propõe o "Grand Syntagmatique", um sistema para categorizar cenas (conhecido como "syntagms") nos filmes.

Metz aplica assim, a psicologia de Sigmund Freud e de Jacques Lacan. Cria a teoria do espelho para o cinema, propondo que o filme é motivo popular como uma forma de arte e reside na sua capacidade de ser um tanto imperfeita a reflexão da realidade e como um método de se aprofundar o inconsciente no estado de sonho.


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

BORDWELL, David. Estudos de cinema hoje e as vicissitudes da grande teoria. In: Pós-estruturalismo e Filosofia Analítica. São Paulo: Editora SENAC, 2005.