Creta otomana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada nos artigos correspondentes noutras línguas e também na página de discussão. (outubro de 2011)
Girit
Creta Otomana

Província (eyalet/vilaiete)
(Império Otomano)

Flag of Most Serene Republic of Venice.svg
1646 – 1898 Flag of Cretan State.svg
Localização de Creta
Creta dentro do Império Otomano no final do século XIX
Continente Europa
Capital Heraclião (Cândia), Chania
35° 20' N 25° 8' E
Governo Não especificado
História
 • 1646 Conquista otomana
 • 1898 Tratado de Constantinopla; criação do Estado de Creta
Divisão administrativa da ilha de Creta até 1827

Creta otomana refere-se ao período de domínio do Império Otomano a Creta.

A ilha de Creta foi declarada um eyalet do Império Otomano em 1646, depois que os otomanos conseguiram conquistar a parte ocidental da ilha como parte da Guerra de Creta,[1] mas os venezianos não se renderiam na capital Cândia até 1669, quando Francesco Morosini entregou as chaves da cidade.[1] As fortalezas de Souda, Gramvoúsa e Spinalonga permaneceriam sob o domínio veneziano até em 1715.[1] Creta tornou-se um vilaiete em 1864 como resultado das reformas do período Tanzimat. O Estado de Creta autônomo foi estabelecido em 1898.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Um dos resultados da conquista otomana foi que uma proporção considerável da população gradualmente se converteu ao Islã, com seus impostos e outras vantagens cívicas no sistema otomano. As estimativas contemporâneas variam, mas às vésperas da Guerra da Independência Grega até 45% da população da ilha pode ter sido muçulmana.[2] Um pequeno número destes foram cripto-cristãos que se converteram ao cristianismo posteriormente. Outros fugiram de Creta por causa da agitação. Pelo último censo otomano em 1881, os cristãos eram 76% da população, e os muçulmanos (geralmente chamados de "turcos", independentemente da língua, cultura e ancestralidade) apenas 24%. Os cristãos foram mais de 90% da população em 19/23 dos distritos da ilha de Creta, mas os muçulmanos foram mais de 60% nas três grandes cidades na costa norte, e em Monofatsi.[3]

Divisões administrativas[editar | editar código-fonte]

Sanjaks de Creta Otomana no século XVII:[4]

  1. Sanjak de Chania
  2. Sanjak de Retimno
  3. Sanjak de Selina

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Gábor Ágoston, Bruce Alan Masters. Encyclopedia of the Ottoman Empire 157 pp..
  2. Excertos de William Yale, The Near East: A modern history by (Ann Arbor, The University of Michigan Press, 1958)
  3. A. Lily Macrakis, Cretan Rebel: Eleftherios Venizelos in Ottoman Crete, Ph.D. Dissertation, Harvard University, 1983.
  4. Evliya Çelebi, Joseph von Hammer-Purgstall. Narrative of travels in Europe, Asia, and Africa in the ..., Volume 1 90 pp..