Deslocados internos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Deslocados internos, também conhecidos como refugiados internos (em inglês, internally displaced people, IDP), são pessoas forçadas a fugir de suas casas mas, diferentemente dos refugiados, não cruzaram uma fronteira internacional para encontrar um santuário, permanecendo dentro do seu país. Portanto, embora tenham fugido por razões similares às dos refugiados (conflito armado, violência generalizada, violações de direitos humanos), os IDPs permanecem legalmente sob proteção das autoridades do governo do seu país, ainda que esse governo possa ser o causador do seu deslocamento. [1]

[2] Desde 1998, o Internal Displacement Monitoring Centre, sediado na Noruega, tem monitorado os deslocamentos internos decorrentes de conflitos e violência. Naquele ano, o número de pessoas deslocadas era de aproximadamente 17 milhões. Em 2010, esse número passou para 27,5 milhões. [3]

O continente mais afetado foi a África, com 40 % dos deslocados do mundo ou 11,1 milhões de deslocados em 21 países, sendo que mais de 40% dessas pessoas estavam no Sudão.[4]

Nas Américas havia 5,4 milhões de IDPs, a maioria (3,6 a 5,2 milhões) na Colômbia.

No final de 2010, mais da metade dos deslocados do mundo estavam em cinco países - todos com mais de um milhão de pessoas, cada um. [4] :

O Paquistão não foi incluído entre esses países, mas há registro de pelo menos 980.000 pessoas nessa condição, no país.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre demografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre direitos humanos é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.