Diário do Povo (China)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

O Diário do Povo (em chinês: 人民日报, pinyin: Rénmín Rìbào) é o jornal em chinês simplificado publicado em todo o mundo com uma tiragem de três a quatro milhões de exemplares. É o jornal oficial do Partido Comunista da China.

Foi publicado pela primeira vez em 15 de junho de 1948, em Pingshan, Hubei. Em março de 1949 foi transferido para Pequim, e declarado órgão oficial do partido comunista em agosto do mesmo ano.

Durante a Revolução Cultural, foi uma das poucas fontes de informação que os estrangeiros e os próprios chineses contavam para saber o que o governo estava fazendo. Durante este período, um editorial do Diário do Povo era considerado um comunicado autorizado da política governamental.

Desde a metade da década de 1990, o Diário do Povo tem enfrentado problemas devido ao decréscimo no recebimento de subsídios governamentais além do aumento da competição com as fontes internacionais de notícias e de outros jornais chineses. Como parte dos esforços para modernizar-se, o Diário do Povo criou uma edição na internet em 1997.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.