Diógenes Laércio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Diógenes Laércio (em grego Διογένης Λαέρτιος, transl. Dioguénes Laértios, 200 - 250), historiador e biógrafo dos antigos filósofos gregos. A sua maior obra é Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres, composta por dez livros, que contêm relevantes fontes de informações sobre o desenvolvimento da filosofia grega.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nada se sabe sobre sua vida, mas Laércio deve ter vivido depois de Sexto Empírico (c. 200), a quem ele menciona, e antes de Estêvão de Bizâncio e Sopatro de Apameia (c . 500), que lhe citam. Sua obra não faz menção ao neoplatonismo, embora se refira a uma mulher que era "uma platônica entusiasmada".[1] Como os filósofos mais recentes que cita são Teodósio, Sexto Empírico e Saturnino, todos do século III, [2] ele é situado como tendo vivido na primeira metade do século 3, durante o reinado de Alexandre Severo (222-235) e seus sucessores.[3]

Referências

  1. Diógenes Laércio, iii. 47
  2. Telmo Brentano, Leituras de Platão, 2004, editora EDIPUCRS, ISBN 978-85-7430-398-7, p.38
  3.   "Diogenes Laërtius". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Cambridge University Press.