Eléonore Denuelle de La Plaigne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Eléonore Denuelle de La Plaigne
Eléonore Denuelle de La Plaigne por François Gérard, c. de 1807
Nome completo Louise Catherine Eléonore Denuelle de la Plaigne
Nascimento 13 de setembro de 1787
Morte 1868
Nacionalidade França Francesa
Cônjuge Jean-François Revel-Honoré (divórcio em1806)
Pierre-Philippe Augier de Sauzay (morto em 1812)
Conde Charles-Emile-Auguste-Louis de Luxbourg
Filho(s) Carlos, Conde Léon

Eléonore Denuelle (13 de setembro de 1787 - 1868) foi amante do Imperador Napoleão I de França, e mãe de seu filho Carlos, conde Léon. O seu filho foi a prova que Napoleão era capaz de produzir um herdeiro e que sua esposa Josefina de Beauharnais era infértil; como resultado, ele divorciou-se de Josefina e casou-se com Maria Luísa da Áustria.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nasceu como Louise Catherine Eléonore Denuelle de la Plaigne no seio de uma família da classe média. Casou aos 18 anos com um antigo capitão do exército, Jean-François Revel-Honoré. O seu marido foi detido por fraude três meses após o casamento e sentenciado a dois anos de prisão. A 29 de abril de 1806, foi-lhes concedido o divórcio.

Pouco depois ela tornou-se amante do Imperador Napoleão, através de Carolina Bonaparte. Em menos de um ano nasceu o filho ilegítimo do imperador, o Conde Léon. Foi o primeiro filho ilegítimo de Napoleão, e a prova de que ele era capaz de produzir um herdeiro, assumindo-se então que a sua esposa Josefina de Bauharnais era infértil.

Em 1808 o imperador Napoleão arranjou-lhe um casamento com Pierre-Philippe Augier de Sauzay, um jovem tenente, para terminar o caso amoroso real. O imperador pagou-lhe um dote, e o recentemente casado casal partiu para a Espanha. Augier foi dado como desaparecido em combate a 28 de novembro de 1812, durante a campanha da Rússia de Napoleão. Viúva, Eléonore casa com o Conde Charles-Emile-Auguste-Louis de Luxbourg (1814). Manteve-se com o seu marido até a morte deste, 35 anos depois.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.