Eutrópio (historiador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde setembro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Eutrópio
Nome completo Flavius Eutropius
Nascimento Século IV
Ocupação Historiador
Magnum opus Breviarium historiae Romanae

Eutrópio (em latim: Flavius Eutropius) foi um historiador romano que viveu e trabalhou na segunda metade do século IV d.C. Desempenhou o cargo de secretário (magister memoriae) em Constantinopla, acompanhou o imperador Juliano, o Apóstata (361 - 363) na sua expedição contra os persas (363), e ainda vivia no reinado de Valente (364-378), a quem dedicou o seu Breviarium historiae Romanae. Um outro historiador, Jorge Codino, no De Originibus Constantinopolitanis, afirma que Eutrópio foi secretário de Constantino, mas não é garantido que se estivesse a referir ao mesmo Eutrópio.

Breviarium historiae Romanae[editar | editar código-fonte]

O Breviarium historiae Romanae é um compêndio da história de Roma desde a fundação da cidade até a subida de Valente ao trono e está estruturado em dez livros. Foi realizado com cuidado, baseando-se nas melhores fontes então disponíveis e dá mostras, globalmente, de imparcialidade e de clareza no estilo de escrita. Muito embora por vezes o latim empregado se afaste dos modelos ditos "puros", a obra foi durante muito tempo leitura indispensável para o ensino básico. O seu valor, aferido individualmente, é reduzido, mas mostra-se útil para suprir as lacunas que algumas obras de maior autoridade revelam. O Breviarium foi aumentado e continuado até a época de Justiniano I por Paulo, o Diácono. O trabalho deste último foi, por sua vez, retomado por Landolfo Sagax (c. 1000), e completado até aos dias do imperador Leão V, o Armênio (813-820), na Historia Miscella.

Das traduções para o grego da obra de Eutrópio, aquelas que chegaram até nós em melhores condições de conservação foram as de Capito Lício e de Peânio, estando esta última quase integralmente preservada. A melhor edição de Eutrópio é a de H. Droysen (1879), a qual inclui a versão grega e as edições alargadas por Paulo, o Diácono, e por Landolfo. Existem numerosas edições e traduções em inglês.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]