Forpus xanthopterygius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaForpus xanthopterygius
Forpus xanthopterygius no Vale do Ribeira, em São Paulo, no Brasil

Forpus xanthopterygius no Vale do Ribeira, em São Paulo, no Brasil
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psittacidae
Género: Forpus
Espécie: F. xanthopterygius
Nome binomial
Forpus xanthopterygius
(Spix, 1824)
Um macho saindo de um ninho no Vale do Ribeira. Ao lado, alguns urupês.

O tuim-de-asa-azul (Forpus xanthopterygius) é uma espécie de tuim encontrada em grande parte da América do Sul, especialmente na caatinga e Floresta Amazônica. Mede em média 120 milímetros, tem penas verdes e uma faixa de penas azuis na borda da asa. Alimenta-se de sementes e frutos. Nidificam em buracos escavados nos troncos de árvores ou em cupinzeiros. Põem de 3 a 5 ovos brancos.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

  • Forpus xanthopterygius xanthopterygius: também conhecida como Forpus passerinus vividus[1] e pelos nomes populares tuim, tiú, tuietê, tuitirica, tuiuti, cuiúba, coió-coió, cu-cosido, cu-tapado, bate-cu, quilim, periquitinho e periquito-vassoura. Habita o norte da Argentina, o Paraguai e o centro-oeste e o leste do Brasil. Tem coloração verde, mais clara na parte inferior, como uropígio e dorso inferior azul-vivos e cobertura das asas azul. A fêmea não possui cor azul. Vive em bandos. Nidifica em ocos de pau e até em casas de joão-de-barro. Alimenta-se de frutas e sementes. É o menor periquito brasileiro.[2] O termo "tuim" procede do termo tupi tu'im. O termo "tuietê" procede do termo tupi tu'imeté, "tuim verdadeiro", que designava provavelmente o macho da espécie. O termo "tuitirica" procede do termo tupi tu'imtyryka, "tuim arisco", que designava provavelmente a fêmea da espécie.[3]
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Forpus xanthopterygius

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Aves da Caatinga - István Major (org.) - Edições Demócrito Rocha; Associação Caatinga, 2004.

Referências

  1. Forpus passerinus. Disponível em http://www.aquahobby.com/zeco/especie_g.php?gen=Forpus&esp=passerinus. Acesso em 9 de setembro de 2014.
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 725.
  3. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 480,481.
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.