Fortunato de São Boaventura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

D. Frei Fortunato de São Boaventura (Alcobaça, 1777 - Roma, 1844) cedo entrou na vida cistercience do Mosteiro de Alcobaça, onde fez os primeiros estudos. Mais tarde veio a doutorar-se em Teologia na Universidade de Coimbra, onde foi nomeado Lente, em 1812, vindo até a assinar várias investigações históricas. Nos conturbados anos que se seguiram a 1820, declarou-se acérrimo defensor do regime absolutista.

Mais tarde, já no reinado de D. Miguel, e em plena Guerra Civil, veio a ser nomeado Arcebispo Metropolitano de Évora, no ano 1832. A sua simpatia pelo miguelismo veio a estar na origem de vários conflitos com o Cabido da , devido ao facto de a maioria dos Cónegos serem liberais. O seu governo efectivo da Arquidiocese durou apenas dois anos, pois com a vitória liberal de 1834, forçou-o para o exílio em Roma, de onde não mais voltou, vindo a falecer em 1844, declarando-se sempre perante o governo liberal como o legítimo Arcebispo de Évora.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Collecção de ineditos portuguezes dos seculos XIV e XV, que ou forão compostos originalmente, ou traduzidos de varias linguas, por monges cistercienses deste reino. Ordenada e copiada fielmente dos manuscritos do mosteiro de Alcobaça
  • Historia chronologica, e critica da real abbadia de Alcobaça, da congregação cisterciense de Portugal
  • Commentariorum de Alcobacensi mstorum bibliotheca libri tres in quibus haud pauca ad rem litterariam illustrandam, ac fortassis augendam facienta, hucusque abdita, reserantur
  • Summario da vida, acçoens e gloriosa morte do senhor D. Fernando, chamado o Infante Santo
  • Portugal e Italia : litteratos portuguezes na Italia ou collecção de subsidios para se escrever a historia litteraria de Portugal
  • Um manuscrito de D. Fr. Fortunato de S. Boaventura sobre Diogo Lopes Rebelo
  • A Contra mina; periíodico moral, e político

- Introducçaõ ao Mastigoforo : ou, Exame do discurso sobre amnistias, embutido na Gazeta de Lisboa (nº 25)

  • Oração panegyrica que no dia natalicio do mui alto e poderoso rei o senhor D. Miguel I...
  • Documento original da {[maçonaria]] portugueza : ou, Terceiro ensaio anti-religioso que hum sacerdote Pedreiro Livre dirigio em data de 20 de abril de 1826 para Lisboa ao excellentissimo senhor A. P.
  • Anti-Palinuro ou Defensa, que em abono dos primeiros dous numeros do desengano
  • A religião offendida pelos seus chamados protectores: ou, Manifesto das injurias que o governo francez intruso em Portugal ha feito à religião catholica romana, e aos seus ministros : dirigido, e proclamado a todos os portuguezes
Precedido por
D. Frei Patrício da Silva
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Évora

1832 - 1844
Sucedido por
D.Francisco da Mãe dos Homens Anes de Carvalho