Ganga Zumba (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ganga Zumba
 Brasil
1964 • p&b • 100 min 
Direção Cacá Diegues
Roteiro Cacá Diegues
João Felicio dos Santos
Rubem Rocha Filho
Leopoldo Serran
Paulo Gil Soares
Elenco Zózimo Bulbul
Léa Garcia
Eliezer Gomes
Luíza Maranhão
Antonio Pitanga
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Ganga Zumba é um filme brasileiro de 1964, realizado por Cacá Diegues. Ele retrata a vida do primeiro líder do Quilombo dos Palmares, Ganga Zumba. Com música de Moacir Santos e interpretação de Nara Leão, com dança e rituais africanos realizados pelos Filhos de Gandhi [1] , filmados em locações como era a proposta do Cinema Novo. No elenco, a participação do músico Cartola e Dona Zica da Mangueira.

Baseado no livro homônimo de João Felício dos Santos, Ganga Zumba, a história se inicia num engenho de cana-de-açúcar, no nordeste brasileiro, entre os séculos XVI e XVII. Onde uma comunidade de negros fugiram dos senhores portugueses e fundaram aldeias, em destaque o Quilombo de Palmares, situada na Serra da Barriga. Entre eles, se encontra o jovem Ganga Zumba, neto do rei dos Palmares e futuro líder daquela comunidade.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Num engenho de cana-de-açúcar na Capitania de Pernambuco, no século XVII, Antão é um jovem escravo concebido nos porões do navio negreiro que trouxe sua mãe cativa para a colônia portuguesa do Brasil. Quando cresce, é lhe contado que sua mãe (já falecida) era rainha e que ele está destinado a ser Ganga Zumba, rei africano. O escravo veterano e sábio Sororoba lhe conta também sobre Palmares, um reino livre escondido na serra e protegido pela orixá Oxóssi, formado por escravos fugitivos. O rei daquele lugar, Zambi, que está em guerra constante contra os brancos, acabara de perder o filho e agora quer que Ganga Zumba venha para ocupar o lugar de novo líder. Sororoba e Terêncio preparam a fuga com a ajuda de um guia enviado por Zambi, e Antão vai com eles levando a amante Cipriana, que o ajudara a matar um malvado feitor. No caminho, são vistos pelos senhores brancos da vizinha fazenda Pieró, que são mortos quando atiram em Terêncio. Apenas a mucama da senhora, a mulata Dandara, é poupada por atrair Antão. Mas quando chegam ao rio, o grupo não encontra o barco dos guerreiros de Zambi que serviria para a travessia. Agora eles devem construir uma jangada para continuar enquanto os perseguidores, comandados pelo capitão-do-mato Tolentino da Rosa, se aproximam para o confronto.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ligação Externa[editar | editar código-fonte]