Gemínidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As Gemínidas, [1] [2] Geminidas, [3] [4] ou Geminídeos, [5] são chuvas de meteoros causadas pelo objeto 3200 Faetonte[6] , que acredita-se ser um asteroide da família Palas[7] , com uma órbita de "cometa rochoso"[8] . Isto faz das Gemínidas, junto com as Quandrântidas, as duas principais chuvas de meteoros que não se originam de um cometa.

Os meteoros destas chuvas são lentos, e podem ser vistos em dezembro, com pico normalmente em torno do dia 13 ou 14, e a data de maior intensidade sendo a manhã do dia 14. Acredita-se que a intensidade das Gemínidas esteja aumentando a cada ano, e as últimas delas apresentaram 120 a 160 meteoros por hora, sob condições ótimas, geralmente em torno de 02:00 a 03:00, hora local.

As Gemínidas foram observadas pela primeira vez em 1862[9] , bem mais recente que qualquer outra chuva de meteoros como as Perseídeas (36 AD), e Leónidas (902 AD).

Radiante[editar | editar código-fonte]

Um meteoro das Gemínidas em 2009, visto de São Francisco
Asteroide (3200) Faéton, o corpo que originou as Gemínidas, registrado em 25 de dezembro de 2010 com o telescópio F14 Cassegrain de 37 cm do Observatório Winer, Sonoita (MPC 857)

Os meteoros destas chuvas parecem vir de um radiante na constelação de Gêmeos (daí o nome). Entretanto, eles podem aparecer em qualquer lugar do céu, e geralmente tem cor amarelada. Ao norte do equador, o radiante se eleva logo depois do pôr do sol, atingindo uma elevação visível do fim da tarde em diante. No hemisfério sul, o radiante aparece somente a cerca da meia noite. Os meteoros viajam a uma velocidade média em relação a outras chuvas, a cerca de 35 km/s, tornando-os fáceis de notar. As Gemínidas são consideradas as chuvas mais consistentes e ativas. Normalmente os meteoros se desintegram a altitudes acima de 38 km[10] .

Em 2005, a observação destas chuvas de meteoros foi limitada devido a uma lua cheia ofuscando os meteoros, bem menos brilhantes. Nas chuvas de 2006, a lua estava crescente a 33%. Em 2007 as chuvas aconteceram durante uma lua nova, com a melhor posição de visualização sendo no hemisfério sul, com a Austrália, Nova Zelândia e Chile recebendo destaque. Em 2008 as chuvas coincidiram com uma lua cheia. Em 2009, o pico ocorreu dois dias antes de uma lua nova.

Ano Período de atividade das Gemínidas Pico máximo THZmax
2006 7–17 de dezembro 14 de dezembro 115[11]
2007 15 de dezembro 122[12]
2008 14 de dezembro 139[13]
2009 13 de dezembro 120[14]
2010 7–17 de dezembro 14 de dezembro 127[15]
2011 14 de dezembro 198[16]
2012 4–17 de dezembro 13 de dezembro 109 [17]
2013 4–17 de dezembro 14 de dezembro 134 [18]
2014 4–17 de dezembro 14 de dezembro 120 (previsão) [19]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Giles Sparrow. O Universo e como Observá-lo. 1ª ed. [S.l.]: Selecções do Reader's Digest, 2003. p. 49. ISBN 972-609-386-4 Página visitada em 2 de março de 2014.
  2. Enxames de Meteoróides (PDF) Dados Astronómicos para os Almanaques em Portugal em 2006. Observatório Astronómico de Lisboa (2006). Página visitada em 2 de março de 2014.
  3. Guilherme de Almeida, Máximo Ferreira. Introdução à Astronomia e às Observações Astronómicas. 7ª ed. [S.l.]: Plátano Editora, 2004. Capítulo: 4 - O Sistema Solar. , p. 118. ISBN 972-770-267-8 Página visitada em 2 de março de 2014.
  4. Jean-Pierre Penot, Philippe de la Cotardière, Santos Tavares, José Augusto Matos. Dicionário de Astronomia e do Espaço. 1ª ed. [S.l.]: Didáctica Editora, 2003. 512 pp. p. 195. 1 vol. ISBN 978-9726506188 (vide verbete «Geminidas.») Página visitada em 2 de março de 2014.
  5. Ronaldo Rogério de Freitas Mourão. Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1987. p. 331. (vide verbete «Geminídeos.») Página visitada em 2 de março de 2014.
  6. Brian G. Marsden (1983-10-25). IAUC 3881: 1983 TB AND THE GEMINID METEORS; 1983 SA; KR Aur International Astronomical Union Circular. Página visitada em 2009-05-18.
  7. Victoria Jaggard (2010-10-12). Exploding Clays Drive Geminids Sky Show? National Geographic News. Página visitada em 2010-10-18.
  8. Jewitt, David; Li, Jing (2010). "Activity in Geminid Parent (3200) Phaethon". arΧiv:1009.2710arΧiv:1009.2710 [astro-ph.EP]. 
  9. Gary W. Kronk. Observing the Geminids Meteor Showers Online. Página visitada em 2012-11-14.
  10. NASA All Sky Fireball Network: Geminid End Heights NASA Meteor Watch on Facebook (2012-12-11). Página visitada em 2012-12-11.
  11. Geminids 2006: visual data quicklook
  12. Geminids 2007: visual data quicklook
  13. Geminids 2008: visual data quicklook
  14. Geminids 2009: visual data quicklook
  15. Geminids 2010: visual data quicklook
  16. Geminids 2011: visual data quicklook
  17. Geminids 2012: visual data quicklook
  18. Geminids 2013: visual data quicklook
  19. Geminids 2014: calendar

Ligações externas[editar | editar código-fonte]