Geologia económica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Geologia económica é um ramo da geologia que trata da detecção e exploração de recursos minerais e energéticos. É um ramo do conhecimento altamente interdisciplinar, necessitando, além do conhecimento profundo de geologia em diferentes ramos, de noções em disciplinas como economia, ecologia, política e direito.

A Geologia Econômica é uma área dentro da Geologia responsável a tratar e aplicar soluções a problemas geológicos relacionados com os interesses econômicos. Visa tratar e explorar os recursos minerais e energéticos. A Geologia Econômica é constituída por conhecimentos interdisciplinares como a economia, ecologia, política e o direito. Lida com situações particulares e específicas ao solo, subsolo e questões a serem resolvidas por um geólogo.

Por exemplo, em sua categoria é responsável pela solução do sistema de abastecimento de água para uma determinada região, implantação e gabarito na construção de edifícios, bem com a localização e construção de barragens, sobretudo, as pesquisas minerais.

A área que mais emprega o geólogo especializado nessa área são as empresas e setores de pesquisa mineral. No dia a dia, a Geologia Econômica está ligada aos preços das commodities minerais em mercados internacionais, na função de interrelacionar os recursos minerais dispostos com a tarefa de identificar, classificar, analisar e prever a sua quantidade para a demanda de mercado.

É uma área de capacitação profissional muito ligada à exploração mineral e de petróleo. Nas pesquisas está envolvida com a metalogênese, pesquisa mineral , avaliação quantitativa e econômica dos depósitos minerais, abrangendo os metálicos e não metálicos, além de petróleo e demais recursos.

A metalogênese é uma área de geologia relacionada com a origem e evolução de jazidas minerais, na definição dos modelos de jazidas e projetos para a sua prospecção.

Também tem a missão de estudar a economia mineral e energética, incluindo a geoestatística na avaliação da quantidade de recursos naturais, geológicos e geoquímicos disponíveis. Visa também ampliar a aproximação com a indústria, sobretudo para alinhar os cursos de capacitação com as necessidades do mercado.

Em nível institucional, há no Brasil, o Serviço Geológico do Brasil que , por sua vez, possui ações desenvolvidas para o setor de recursos minerais que abrangem atividades de geologia econômica, prospecção e gestão de economia mineral, para o levantamento de informações geológicas na detecção do nível de potencial econômico de determinados depósitos de recursos minerais.

A instituição fomenta ações na descoberta e aproveitamento de recursos minerais, priorização de bens minerais e avaliação de sua representatividade econômica.

O curso é oferecido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Veja as disciplinas do curso lecionadas na UFRJ:

Trabalho Final de Curso – IGL-U08 Economia e Planejamento Mineral – IGL-596 Introdução à Geoestatística – IGL-248 Exploração Mineral – IGL 489 Gênese de Jazidas – IGL-590 Geoquímica I – IGL-308 Recursos Minerais Energéticos e Avaliação de Jazidas – IGL-518 Introdução à Geoinformática – IGL-622 Geologia do Petróleo – IGL-508 Geoquímica Orgânica Aplicada À Exploração de Petróleo – IGL-524 Petrologia Orgânica – IGL-623 Lavra de Minas – IGL-507 Microscopia de Minérios – IGL-503 Prospecção Geoquímica – IGL-506 Caracterização Geológica de Reservatórios Petrolíferos – IGL-509 Economia de Minerais não Metálicos – IGL621