Grandes Jorasses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grandes Jorasses
As Grandes Jorasses e o Glaciar de Leschaux
Grandes Jorasses está localizado em: Alpes
Grandes Jorasses
Imagem dos Alpes
Coordenadas 45° 52' 08" N 06° 59' 17" E
Altitude 4208 m
Posição: Ródano Alpes - Vale de Aosta
Localização Fronteira  França -  Itália
Cordilheira Maciço do Monte Branco
Primeira ascensão 30 de julho de 1868 por Horace Walker, com Melchior Anderegg, Johann Jaun e Julien Grange
Rota mais fácil Face Sul (mista ; AD-) desde o refúgio das Grandes Jorasses

Grandes Jorasses, é o nome dado à montanha formada por um conjunto de seis cumes situados no Maciço do Monte Branco, e que faz de fronteira França-Itália entre o departamento da Alta Saboia da região Ródano-Alpes (França) e a região do Vale de Aosta (Itália).

As Grandes Jorasses, cujo pico mais alto, a ponta Walker, culmina a 4208 m de altitude, fazem parte da lista os 4000 dos Alpes. Em memória da primeira ascensão das Grandes Jorasses em 30 de junho de 1868, o Pico Walker tomou o nome de Horace Walker que o subiu com Melchior Anderegg, Johann Jaun e Julien Grange.

Situação[editar | editar código-fonte]

As Grandes Jorasses são uma aresta de orientação Este-Oeste com cerca de um quilómetro de comprimento e 1200 m de desnível, e da qual sobressaem:

  • a Ponta Walker que com 4208 m, que é o ponto culminante
  • a Ponta Whymper; 4184 m
  • a Ponta Croz; 4110 m
  • a Ponta Hélène; 4045 m
  • a Ponta Marguerite; 4066 m
  • a Ponta Young; 3996 m

Os seis cumes estão enquadrados pelo Colo das Andorinhas, 3480 m, a nordeste, e o Colo das Grandes Jorasses, 3825 m, a oeste, no qual se encontra a Bivouac E. Canzio, e a sua aresta marca a fronteira França-Itália, domina do lado francês o Glaciar de Leschaux, afluente do Mar de Gelo, e do lado italiano, o Vale Ferret e o Vale de Courmayeur.

Ascensões[editar | editar código-fonte]

Vias da face norte das Grandes Jorasses

As Grandes Jorasses[editar | editar código-fonte]

Face Norte das Grandes Jorasses[editar | editar código-fonte]

A Face norte das Grandes Jorasses foi considerada um dos grandes desafios dos Alpes até à sua primeira em 1935, a tal ponto que faz parte das três grandes faces norte dos Alpes. Há 1200 m de desnível desde o pé do esporão norte da Ponta Walker, a 3010 m, até ao seu cume a 4208 m.

Depois de uma competição entre alpinistas e países, a face Norte é subida pela 'primeira pelo itinerário do esporão Croz por Martin Meier e Rudolf Peters, a 28 e a 29 de Junho de 1935.

Ponta Walker[editar | editar código-fonte]

A Ponta Walker com 4208 m, é o ponto culminante das Grandes Jorasses, e para ser lembrada a primeira ascensão das Grandes Jorasses a 30 de junho de 1868, este pico tomou o nome de Horace Walker que o subiu com o guia Melchior Anderegg, Johann Jaun e Julien Grange.

O esporão norte, será conquistada três anos mais tarde, de 4 a 6 de agosto de 1938, pelos alpinistas italianos Riccardo Cassin, Luigi Esposito e Ugo Tizzoni. Este é o itinerário que chamou todos os grandes alpinistas a fazê-la, pelo que há tantas variantes como corridas.[nota 1] - [nota 2]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Altitude mín./máx.: 2020m / 4204m
  • Desnível; +1400m
  • Orientação; SE
  • Tempo de percurso; 1 dia
  • Configuração; percurso glaciar
  • Inclinação; 59 o
  • Cotação global; AD
  • Equipamento local; P3, pouco equipado
  • Cotação técnica; 5.1

Ponta Whymper[editar | editar código-fonte]

A Ponta Whymper foi o primeiro esporão a ser conquistado a 24 de Junho de 1865 por Edward Whymper, Michel Croz, Christian Almer e Franz Biner, que haviam partido do lado de Courmayeur, pois E. Whymper parece ter querido ter uma vista sobre a Agulha Verde que pretendia subir, mas apercebeu-se que esta não é visível desse lugar... e não sobe até ao cume da ponta que de qualquer forma guardou o seu nome, e é considerada a via normal.

Ponta Croz[editar | editar código-fonte]

A Ponta Croz tem o nome de Michel Croz que atacou a face Norte com o outro alpinista que aí deixou também o seu nome nas Grandes Jorasses, Edward Whymper. Com 4110 m de altitude é o pico médio dos cinco que formam esta montanha.

Ponta Hélène[editar | editar código-fonte]

A Point Hélène, de 4045 m, foi vencida por Luís Amadeu de Saboia com Joseph Petigax, Laurent Croux et César Ollier em 1898. A sua face norte foi vencida em 1958 por René Desmaison e Jean Couzy.

Ponta Marguerite[editar | editar código-fonte]

A Ponta Marguerite foi procurada depois da subida da Walker e Croz pelo esporão Norte, e iniciou a corrida dos outros picos pela face Norte como a desta em 1958, por René Desmaison e Jean Couzy; a ponta Young no mesmo ano por Enrico Cavalieri e Andre Mellano; a ponta Whymper em 1964 por Walter Bonatti e Michel Vaucher; e a ponta Hélène em 1970 por uma 'cordée polaca.

Ponta Young[editar | editar código-fonte]

A Ponta Young "" com 3996 m é o mais baixo dos picos das Grandes Jorasses. O nome vem-lhe de Geoffrey Winthrop Young um grande alpinista inglês que primeiro parece ter subido o pico que tem o seu nome, com célebre guia Valaisano, Joseph Knubel, a 10 de agosto de 1907. Não há provas irrefutáveis da sua subida a este esporão, mas atendendo a que em 1911 abriu com o mesmo guia Joseph Knubel uma nova via na face oeste do Weisshorn, na Suíça, que também tem o seu nome, é-lhe reconhecida a primeira.

Imagens[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grandes Jorasses

Notas

  1. Citado de SummitPost; Les Grandes Jorasses are, simply speaking, the most strikingly complex and powerful structure of the entire Mont Blanc massif.
    ...the famous north face, an air of mystery and power that has no rivals in the entire Alps
  2. Citado de SummitPost; The Walker is intimidating, elegant, serious, high, long, dangerous, challenging

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]