Gro Harlem Brundtland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gro Harlem Brundtland
Foto: Harry Wad.

Gro Harlem Brundtland (Bærum, 20 de abril de 1939) é uma política, diplomata e médica norueguesa, e um líder internacional em desenvolvimento sustentável e saúde pública. Foi membro do Partido dos Trabalhadores da Noruega (social-democratas) desde a sua juventude. Em fevereiro de 1981 tornou-se a primeira mulher chefe de governo do seu país, sendo atualmente enviada especial para as Alterações Climáticas da ONU.[1]

Terminou em 1963 os estudos superiores na Escola Médica da Universidade de Oslo e, em 1965 obteve o grau de Mestre em Saúde Pública na Universidade de Harvard. Entre 1966 e 1969, trabalhou como médica do departamento de saúde, (Helsedirektoratet), tendo posteriormente sido responsável pelos serviços de saúde escolar de Oslo.

Em 1974 é nomeada ministra do Ambiente, e em 1981 é nomeada Primeira Ministra da Noruega. Ocupou o cargo entre fevereiro e Outubro, altura que que os sociais democratas saem derrotados nas eleições parlamentares, tendo sido até a data a única mulher a chefiar um governo norueguês. Nas eleições de 1985, o seu partido saiu vencedor, mas a coligação de Kåre Willoch obteve a maioria parlamentar por um só voto de diferença. Entre 1986 e 1989 dirigiu um governo minoritário socialista. Entre 1983 e 1987 presidiu à Comissão Brundtland, da Organização das Nações Unidas, dedicada ao estudo do meio ambiente e a sua relação com o progresso. Em 1990, ocupou novamente a chefia do governo ao derrotar M. Syse.

No dia 18 de março de 1992, numa viagem com uma caravana de jovens noruegueses a Manaus (Amazonas), ela plantou um dos marcos inaugurais do Parque do Mindu, uma sumaumeira. A árvore hoje é um símbolo da defesa da ecologia e do rompimento de limites fronteiriços.

Em 1992 abandonou a direcção do Partido dos Trabalhadores da Noruega.

Em 1992 recebeu um Doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Aveiro[2]

Na consulta popular sobre a integração da Noruega na União Europeia (em 1994) adotou uma posição positiva, apesar do resultado final ter sido desfavorável.

Referências

  1. UN Secretary-General Ban Ki-moon Appoints Special Envoys on Climate Change (maio 2007). Visitado em 24 janeiro de 2009.
  2. Doutores honoris causa pela UA (em português) Universidade de Aveiro. Visitado em 22 de Agosto de 2014. Cópia arquivada em 28 de Julho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]