Guerra Russo-Persa (1826-1828)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra Russo-Persa (1826-1828)
Parte da(o) Guerras russo-persas
Data 1826-1828
Local Sul do Cáucaso e Norte do Irã
Desfecho Vitória Russa Tratado de Turkmenchay
Mudanças
territoriais
Rússia perde, e em seguida, retoma as áreas disputadas
Combatentes
Rússia Império Russo Flag of Agha Mohammad Khan.svg Império Qajar
Principais líderes
Rússia Aleksey Yermolov
Rússia Valerian Madatov
Rússia Ivan Paskevich
Flag of Agha Mohammad Khan.svg Fat′h Ali Shah Qajar
Flag of Agha Mohammad Khan.svg Abbas Mirza
Forças
8.000 35.000

A guerra Russo-Persa de 1826-1828 foi o último grande conflito militar entre o Império Russo e o [[Império Afsharida ]].

Após o Tratado de Gulistan da Guerra russo-persa anterior, em 1813, reinou a paz no Cáucaso por treze anos. No entanto, Fath 'Ali Shah, constantemente a precisar de subsídios estrangeiros, invocou o conselho britânico de agentes, que pressionou ele para recuperar os territórios perdidos para a Rússia e prometeu seu apoio a uma ação militar. A questão foi decidida na Primavera de 1826, quando um partido belicista de Abbas Mirza prevaleceu em Teerão e o ministro da Rússia, Aleksandr Sergeyevich Menshikov, foi colocado sob prisão domiciliar.

Campanha de 1826[editar | editar código-fonte]

Apesar de não haver qualquer declaração formal de guerra, um exército persa de 35.000 homens, liderado por Abbas Mirza, atravessaram a fronteira em 16 de Julho e invadiram os canatos de Talysh e Carabaque. O cã rapidamente trocou os lados e entregou suas principais cidades - Lenkoran, Quba, Baku - para os persas. Aleksey yermolov, era general da Rússia e Governador do Cáucaso, e a sensação era de que ele não tinha recursos suficientes para combater a invasão, as tropas russas recusaram-se a ir para batalha, e a mais populosa cidade do sul do Cáucaso, foi abandonada. Em Shusha, uma pequena guarnição russa conseguiu aguentar até 5 de Setembro quando o General Valerian Madatov chegou com reforço.

Madatov encaminhado dos Persas, nas margens do rio Shamkhor e Ganja em 5 de Setembro. Quando a notícia chegou a, Abbas Mirza ele levantou seu cerco de Shusha e marcharam para Ganja. Um novo reforço russo de Ivan Paskevich chegou a tempo para juntar as suas forças com Madatov e formar um exército de 8.000 homens, sob o comando supremo de Paskevich. Próximo a Ganja os russos atacaram os Persas e os obrigaram a recuar de volta à Pérsia. O ataque foi repelido, mas a guerra continuou por um ano e meio.

Campanha de 1827[editar | editar código-fonte]

O início do inverno levaram à suspensão das hostilidades até Maio de 1827, quando Paskevich avançou para Erevan, tendo Echmiadzin, Naquichevão e Abbasabad em seu caminho.O cenário principal da guerra foi a Arménia Oriental, cuja capital, Erevan, foi invadida e capturada por Paskevich após seis dias de cerco (1 de Outubro). Quatorze dias mais tarde, o General Eristov entrou em Tabriz, forçando o Xá a acabar com a guerra.

Resultado[editar | editar código-fonte]

De acordo com os termos do tratado, os canatos de Erevan e Naquichevão e passaram para a Rússia. O xá prometeu pagar uma indenização de 20.000.000 rublos de prata e permitiu que os armênios migrassem para território russo, sem qualquer impedimento. O Mais importante foi que, o xá concedeu aos russos o direito exclusivo de manter uma marinha no Mar Cáspio e a Rússia concordou que comerciantes tinham a liberdade de comércio, em qualquer lugar que queriam trabalhar na Pérsia.

A curto prazo, o tratado minado e a posição dominante do Império Britânico na Pérsia marcou uma nova etapa no jogo entre os impérios. A longo prazo, o tratado assegurou a dependência do Cáucaso da Rússia, tornando assim possível o eventual aparecimento dos modernos estados da Arménia e do Azerbaijão sobre os territórios conquistados durante a guerra da Pérsia.