Hotel Glória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2010). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

O Hotel Glória é um hotel de luxo localizado na cidade do Rio de Janeiro, foi construído para a Exposição Internacional de 1922, comemorativa do Centenário da Independência do Brasil, pelo empresário Rocha Miranda, por meio da Companhia de Hotéis Palace, no bairro da Glória, no local do palacete do empreendedor inglês John Russel, o pioneiro dos serviços de saneamento na cidade do Rio de Janeiro. O Hotel Glória foi o primeiro hotel cinco estrelas do Brasil.

O seu projetista foi Joseph Gire, o mesmo que desenhou o Hotel Copacabana Palace, sendo o primeiro prédio de concreto armado que existiu na América do Sul e erguido com o auxílio de engenheiros alemães.

Em seu projeto original, em estilo clássico, o Hotel Glória era dotado de teatro, cassino (que hoje já não existe), salões de festas e de jogos, áreas de lazer e 150 quartos, e foi posteriormente ampliado ganhando mais dois andares passando a ter mais de 500 quartos, chegando ao final a cerca de 610 acomodações.

Devido a sua proximidade com o centro financeiro e político da cidade do Rio de Janeiro, o Hotel Glória sempre abrigou grandes artistas do cinema, cantores, políticos e chefes de Estado.

Dotado de amplos salões de convenção, o Hotel Glória sempre sediou convenções, congressos, bailes de formaturas.

Uma de suas marcas foi o concurso de fantasias do carnaval, que tiveram 34 edições até o ano de 2008. Nesse evento se destacavam os artistas Clóvis Bornay e Evandro Castro Lima.

Em 2008, após 50 anos como propriedade da família de Eduardo Tapajós, o Hotel Glória foi vendido ao empresário Eike Batista, que pretende modernizá-lo e transformá-lo novamente em hotel de alto luxo e requinte e também como sede de sua empresa de investimentos.

Em 2009 começou a ser completamente reformado; houve denúncias de crimes graves contra o patrimônio histórico e cultural na obra de reforma do Hotel Glória sem autorização do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural[1] , mas infelizmente a denuncia não foi apurada. Em agosto de 2010, o BNDES anunciou um financiamento de 146,5 milhões de reais para a reforma do hotel, dentro da linha "ProCopa Turismo", visando à Copa do Mundo de 2014.[2]

Em 2014, Eike Batista vende o Hotel Glória por cerca de R$ 500 milhões para a empresa suíça Acron AG, que pretende reabrir o imóvel até 2016.

Referências

  1. [1]. Sônia Rabello (28/02/2012). Página acessada em 8 de Setembro de 2014.
  2. Hotel de Eike recebe R$ 147 milhões do BNDES para a Copa. Folha.com (18/08/2010). Página acessada em 31 Agosto de 2010.


Ícone de esboço Este artigo sobre um hotel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.