João Romão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

João Romão é personagem do romance O Cortiço (1890) do escritor Aluísio de Azevedo. Para muitos críticos, o próprio cortiço é o protagonista desse romance, tal é a intensidade com que é descrito e somado às vidas dos personagens: uma galeria de figuras comuns do cotidiano, como escravos, comerciantes, prostitutas, malandros e o português João Romão, que entre eles destaca-se.[1]

Ambicioso, pragmático e sem escrúpulos, constrói o cortiço após receber de herança um mercadinho. Consegue agregar ao patrimònio uma pedreira da vizinhança, garantindo ascensão social em um ambienmte marcado pela desigualdade econômica. Romão explora os moradores do cortiço, abusa dos serviços da escrava Bertoleza, para quem forja uma carta de alforria, descartando-a, ao enriquecer, para casar-se com a filha do "concorrente" Miranda.[1]

Aluísio Azevedo, buscando demonstrar a imposição do meio ao destino do homem, retrata a nossa formação onde sobressaem a falta de ética e o oportunismo nas relações pessoais.[1]

Referências

  1. a b c Entre Livros, nº 20, pp. 30-31. São Paulo. Dezembro 2006.
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.