Kerim Kerimov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kerim Kerimov
Nascimento 14 de novembro de 1917
Baku, União Soviética
hoje Azerbaijão
Morte 29 de março de 2003 (85 anos)
Moscou, Rússia
Nacionalidade União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Soviético
Azerbaijão Azerbaijão
Ocupação militar, cientista
Serviço militar
Patente tenente-general

Kerim Aliyevich Kerimov (Baku, 14 de novembro de 1917 - Moscou, 29 de março de 2003) foi um general, engenheiro aeroespacial e cientista de foguetes soviético, nascido no Azerbaijão. Um dos fundadores da indústria espacial soviética e por muitos anos uma das figuras centrais do programa espacial do país, apesar de sua importância sempre teve a identidade mantida em sigilo do conhecimento público.[1]

Ele foi um dos líderes por trás da sucessão de sucessos soviéticos no começo da exploração espacial, que surpreendeu o mundo por quase uma década, do lançamento do primeiro satélite Sputnik 1 no fim dos anos 50 às primeiras estações espaciais, como a Salyut e a Mir.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como especialista em tecnologia de foguetes,[3] formado em 1942 pelo Instituto de Tecnologia do Azerbaijão, durante a II Guerra Mundial ele inspecionou o desenvolvimento e utilização dos lançadores múltiplos de foguetes Katyusha, uma das mais devastadoras armas de artilharia usada pelos soviéticos contra os nazistas. Seu trabalho nesta área foi recompensado com a Ordem da Estrela Vermelha. Junto a outros cientistas, em 1946 ele foi enviado à Alemanha para coletar informações sobre a tecnologia dos foguetes V-2 nazistas.

Após a guerra, trabalhou no desenvolvimento do programa de mísseis balísticos intercontinentais da URSS, chegando, em 1960, a posições de chefia dentro do departamento dedicado a mísseis nucleares do Ministério da Defesa da União Soviética, que supervisionava lançamentos secretos de mísseis.

Em 1964, ele tornou-se chefe do recém-formado Diretório Central de Forças Espaciais (TsUKOS) do Ministério da Defesa. Após a morte de Sergei Korolev em 1966, foi indicado como chefe da Comissão Estatal de Voos Tripulados, posição que manteve por 25 anos (1966-1991). Kerimov supervisionou ainda cada estágio de desenvolvimento e operação tanto do programa de voos tripulados quanto das estações e sondas interplanetárias não tripuladas.

Segredo[editar | editar código-fonte]

Como no caso de outros pioneiros espaciais soviéticos, as autoridades do país recusaram-se por muitos anos a desvendar a identidade de Kerimov publicamente. Durante os lançamentos televisados, as câmeras sempre focalizavam os cosmonautas e não o pessoal a quem eles se reportavam para cumprir a missão.[4] Como era um "general secreto", sua imagem nunca era mostrada ao público, apenas sua voz era ouvida nas transmissões. Seu nome permaneceu um segredo de estado até a era da glasnost na União Soviética, quando ele foi mencionado pela primeira no Pravda, em 1987.

Morte[editar | editar código-fonte]

Depois da aposentadoria em 1991, Kerimov tornou-se consultor do Centro de Controle Central de Voos Espaciais da Agência Espacial Russa e escreveu A Estrada para o Espaço, onde conta a história do programa espacial soviético.[4] Tenente-general do exército, morreu em Moscou, em março de 2003, aos 85 anos de idade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Peter Bond, Obituary: Lt-Gen Kerim Kerimov, The Independent, 7 April 2003.
  2. Betty Blair (1995), "Behind Soviet Aeronauts", Azerbaijan International 3 (3).
  3. Kerim Aliyevich Kerimov Enciclopedia Britannica. Página visitada em 05/05/2011.
  4. a b Behind Soviet Aeronauts. Página visitada em 05/05/2011.