Sergei Korolev

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sergei Korolev
Engenharia
Nacionalidade Soviético
Nascimento 30 de dezembro de 1906
Local Jitomir
Morte 14 de janeiro de 1966 (59 anos)
Local Moscou
Atividade
Campo(s) Engenharia
Prêmio(s) Prêmio Lenin (1957)

Sergei Pavlovich Korolev (em russo: Серге́й Па́влович Королёв) (Jitomir, 30 de dezembro de 1906Moscou, 14 de janeiro de 1966) foi um engenheiro ucraino-soviético.[1]

Foi o engenheiro de foguetes que projetou os primeiros foguetes soviéticos, e que tornou-se o engenheiro-chefe do programa espacial soviético.

Sergei Korolev foi, ao contrário do que é propagado, o verdadeiro criador do desafio de levar homens à lua. Embora a URSS nunca tenha admitido publicamente que pretendia este feito, ao contrário dos Estados Unidos, a partir do desafio público lançado pelo presidente John F. Kennedy.

Em 1922, Korolev foi aprovado em um exame de admissão à escola de construção em Odessa, Ucrânia. Lá começou a se interessar pela aviação. Dois anos depois, entrou no Instituto Politécnico de Kiev, onde se aliou a entusiastas de planadores. Em 1926 se transferiu para a Universidade Técnica Estatal Bauman de Moscou (MVTU).

Concluiu seus estudos na MVTU em 1929. Em 1931 entrou no Instituto de Hidrodinâmica e Central Aérea (TsAGI). Em seguida, em julho de 1932, Korolev foi escolhido chefe do grupo de pesquisa em propulsão do jato (GIRD), um dos centros de pesquisas em desenvolvimento de foguetes mais modernos da URSS. Em 1933, o grupo reorganizou o instituto de pesquisa em propulsão do jato (RNII), onde Korolev se tornou chefe. Nela, o engenheiro conduziu o desenvolvimento de um planador equipado de foguete e de mísseis de cruzeiro.

No período de grandes expulsões feita por Josef Stalin, Korolev foi preso e levado para um acampamento em Gulag, na Sibéria, em 27 de junho de 1938. Em março de 1940 Korolev retornou a Moscou e foi levado à prisão de Butyrskaya. Em 10 de julho do mesmo ano, uma comissão especial liderada por Lavrenti Beria, chefe da polícia secreta de Stalin, sentenciou Korolev a oito anos de trabalhos forçados em acampamento, acusado por sabotagem. Porém, em setembro, ele foi transferido para o sharashka, um departamento de projeto de aviação na prisão. Era chamado oficialmente de KB-29. Ao mesmo departamento foi levado Andrei Tupolev, também prisioneiro em Gulag.

Em 8 de setembro de 1945, Korolev viajou a Alemanha para a avaliação e restauração dos mísseis balísticos V-2. Em agosto de 1946, ainda na Alemanha, Korolev foi nomeado chefe de um departamento no NII-88, criado recentemente em Podlipki, nordeste de Moscou. A organização era responsável pelo desenvolvimento e produção industrial do míssil, baseado na tecnologia do V-2 alemão.

Korolev conduziu o desenvolvimento de diversas gerações de satélites lançados por mísseis balísticos, de veículos de lançamento com fins científicos, militares e de comunicações. Ele também desenvolveu projetos de exploração interplanetária e equipou as naves espaciais soviéticas. Ele morreu no auge de sua carreira, em 14 de janeiro de 1966, em decorrência de uma operação cirúrgica para a retirada de pólipos hemorrágicos de seu intestino.

No cinema,em 2013 ele foi interpretado por Mikhail Filippov.[2]

Notas e referências

  1. International Space Hall of Fame. Sergei P. Korolev. Página visitada em 04/06/2010.
  2. http://www.imdb.com/title/tt2856930/fullcredits?ref_=tt_cl_sm#cast

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Sergei Korolev
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) engenheiro(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.