Cazã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cazã
Казань
Flag of Kazan (Tatarstan).pngBandeira Coat of Arms of Kazan (Tatarstan) (2004).png
Cognome(s): A capital multicultural
Kazan Kremlin at night.jpg
O Kremlin de Cazã, a mesquita de Qol Sharif e a Catedral da Anunciação.
Subdivisão Tartaristão
Área 408,9 km² km²
População 1 560 000 [1] habitantes
Altitude 116 metros
Gentílico cazanita
Fundação 1005
Código telefônico +7 843
Matrículas de automóveis 16, 116
Website mos.ru/
Localização
Localização de Cazã
Cidade da Rússia Rússia

Cazã ou Kazan (russo: Казань, tártaro: Qazan, Казан) é a capital e a maior cidade da república do Tartaristão, na Rússia. Situa-se na confluência dos rios Volga e Kazanka. Tem cerca de 1 milhão e 500 mil habitantes e é um grande centro cultural, comercial e industrial, e um dos mais importantes focos da cultura tártara.

O Complexo Arquitectónico e Histórico do Kremlin de Cazã está classificado pela UNESCO como Património da Humanidade.

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

"Cazã" é a única forma vernácula registrada por José Pedro Machado.[2] Aquele autor rejeita a alternativa vernácula "Casã", única preconizada por Antenor Nascentes,[3] considerando-a "injustificável".

A forma em português foi recebida do francês Kazan ou Karãm.[2] Nascentes afirma que o topónimo advém do termo russo para "caldeira",[4] o que refletiria o fato de a cidade estar situada numa depressão. Machado, porém, rejeita esta etimologia, sem oferecer explicação alternativa para a origem do nome da cidade.

Após o emprego da nova norma da Língua portuguesa, que incluirá as letras K Y e W, a grafia empregada poderá ser Kazã.

História[editar | editar código-fonte]

Pré-história[editar | editar código-fonte]

Há muita discussão sobre a fundação de Cazã, se foi fundada pelos búlgaros do Volga no começo da Idade Média ou pelos tártaros da Horda de Ouro em meados do século XIII, como registros escritos antes do último período são esparsos. Se havia uma cidade búlgara no local, estima-se que sua fundação varie do começo do século XI ao final do século XIII. Foi um entreposto fronteiriço na fronteira entre os búlgados do Volga e tribos finesas (Maris, Udmurts).

Outra questão é onde a cidadela foi construída originalmente. Explorações arqueológicas produziram evidências de assentamento urbano em três partes da atual cidade: no Kremlin, em Bişbalta no local do atual monastério Zilantaw e próximo do lago Qaban. O mais antigo é o Kremlin que pode ser datado do século XI.

Nos séculos XI e XII, Cazã pode ter sido uma rota comercial do Volga da Escandinávia para a Pérsia. Foi um centro comercial, e possivelmente uma cidade importante para colonos búlgaros na região de Cazã, apesar de sua capital ser a cidade de Bolğar, situada mais a sul.

A Universidade de Cazã.

Domínio tártaro-mongol[editar | editar código-fonte]

Nos anos de 1236 a 1237, a região do rio Volga foi anexada pelos exércitos mongóis, liderada por Batu Khan. Após a conquistas, colonos vindos de Bolğar e Bilär vieram para Cazã recolonizá-la. Cazã logo se tornou o centro de um ducado dependente da Horda de Ouro.

Com a fragmentação da Horda de Ouro, Cazã em 1438 tornou-se a capital do poderoso Canato de Cazã. O bazar da cidade Taş Ayaq (Perna de Pedra) se tornou o mais importante centro comercial na região. A cidadela e o canal Bolaq foram reconstruídos, dando a cidade uma incrível capacidade de defesa. Os russos tentaram rapidamente ocupar a cidade, porém se retiraram em 1487.

Conquista e domínio russo[editar | editar código-fonte]

Em 1552, a cidade foi conquistada pela Rússia, sob o reinado de Ivan, o Terrível. Tal conquista pôs fim a mais de 300 anos de domínio tártaro-mongol sobre a região. Durante o governo de Alexander Gorbatyi-Shuisky, houve uma política de limpeza étnica para com os habitantes tártaros da região, tendo sido em sua maioria mortos, reprimidos, presos ou cristianizados à força. Mesquitas e palácios foram arruinados e a população tártara sobrevivente foi movida para um local 50 km distante da cidade, a qual foi colonizada por fazendeiros e soldados russos. Sob o domínio russo elementos tártaros foram estabelecidos na Bistäse Tártara próxima aos muros da cidade. Ainda se estabeleceram na área mercadores tártaros e mestres de artesãos.

Por conta de grandes incêndios Cazã foi fortemente destruída. Após um desses, em 1579, o ícone de Nossa Senhora de Cazã foi descoberto na cidade. Durante o "Tempo Conturbado" na Rússia, a independência do Canato de Cazã foi restaurada com a ajuda da população russa local, porém foi suprimida por Kuzma Minin em 1612.

Em 1708 o Canato de Cazã foi abolido e Cazã tornou-se o centro de uma guberniya. Após a visita de Pedro, o Grande, a cidade se tornou a base de um estaleiro para a frota do Cáspio. Fora em grande parte destruída por uma grande revolta composta por tropas de fronteira e camponeses liderada pelo ataman (capitão) dos Cossacos do Don Yemelyan Pugachev em 1774, porém logo foi reconstruída. Catarina, a Grande ainda decretou que mesquitas podiam ser novamente construídas, porém a discriminação contra os tártaros continuaram.

No começo do século XIX a Universidade Estatal de Cazã foi fundada durante o reinado de Alexandre I. O Alcorão foi pela primeira vez impresso em 1801, e a cidade se tornou um importante centro para Estudos Orientais na Rússia. No final do século XIX, Cazã se tornou um centro industrial no Médio Volga. Pessoas de vilarejos vizinhos vinham para a cidade procurando trabalho. Em 1875 apareceu uma ferrovia de cavalos apareceu, e em 1899 foi instalado um eléctrico.

Após a Revolução Russa de 1905, os tártaros passaram a olhar Cazã como o centro da cultura tártara. Apareceram o primeiro teatro tártaro e o primeiro jornal tártaro.

Sob domínio soviético[editar | editar código-fonte]

Em 1918, Cazã foi a capital do Estado Idel-Ural, que foi suprimido pelos bolcheviques, e no ano seguinte tornou-se o centro da República Socialista Soviética Tártara Autônoma. Nas décadas de 1920 e 1930, a maioria das mesquitas e igrejas da cidade foi destruída, como parte das campanhas anti-religião na União Soviética.

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitas indústrias e fábricas foram evacuadas para Cazã, e a cidade subsequentemente tornou-se o centro de uma indústria militar, produzindo tanques e aviões.

Na década de 1990, após a dissolução da União Soviética, Cazã recuperou-se como centro da cultura tártaro, e tendências separatistas intensificaram-se.

Vista da cidade de Cazã.

Patrimônio arquitectónico[editar | editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Complexo Arquitectónico e Histórico do Kremlin de Cazã

A cidade antiga é uma pérola arquitectónica que mescla influências ocidentais e orientais. O Kremlin de Cazã é um dos mais belos da Rússia e figura na lista do património mundial. No Kremlin encontra-se o antigo palácio do governador, obra do arquitecto russo Constantin Andreievitch Thon, bem como igrejas do mesmo arquitecto. Após a conquista de Cazã, Ivã o Terrível ergueu na Praça Vermelha (Moscou) a catedral de São Basílio e ordenou a construção de uma pequena igreja dentro do Kremlin de Cazã, erigida em três dias. Mais tarde, a igreja foi substituída pela magnífica catedral da Anunciação. Esta construção é a mais antiga do Kremlin de Cazã. Ao lado da catedral está uma torre de tijolos erguida no século XVIII, a Torre de Söyembikä, nome da última regente do canato de Cazã, morta em Moscou em 1554. Atrás da torre encontra-se um mausoléu contendo o sarcófago de Söyembikä.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2002 a população compunha-se de russos (40%), tártaros (40%), bachquírios (4%), ucranianos (1%) e outros. As religiões mais representadas são o cristianismo ortodoxo e o islamismo - a maior mesquita da Europa foi inaugurada na cidade em 2005. Há minorias católicas, judias e baha'i.

Economia[editar | editar código-fonte]

Os setores econômicos mais importantes da cidade são ligados ao petróleo e à produção de gás natural. A indústria têxtil e a de produtos alimentícios também são relevantes. Com relação à agricultura, 65% do solo é cultivado ou dedicado à criação de gado.

Algumas importantes indústrias aeronáuticas localizam-se em Cazã:

  • KAPO Gorbunov, que construiu diversos aparelhos civis e militares Tupolev.
  • KVZ (Kazanskii Vertoletnyi Zavod, "fábrica de helicópteros de Cazã"), que produz os aparelhos Mil Mi-8 e Mil Mi-17.
  • KMPO (Казанское моторостроительное производственное объединение), que fabrica motores de aeronaves e helicópteros.

O atletismo[editar | editar código-fonte]

Equipes de elite da cidade em divisões russas:

Emigração tártara ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Com o fim do período colonial, após os movimentos abolicionistas, o Brasil estimulou a vinda de europeus ao Brasil, principalmente italianos, alemães e eslavos. Entre esses eslavos vieram tártaros que se dirigiram principalmente ao Paraná e ao Rio Grande do Sul. Esses tártaros trabalharam em pequenas propriedades rurais familiares, principalmente no Rio Grande do Sul. Os que se dirigiram ao Paraná, por sua vez, trabalharam em grandes cafezais, em regimes quase servis, já que eram assalariados porém quase servos da terra. Os gaúchos vindos da Tartária geralmente plantavam culturas como batata, fumo e leguminosas para subsistência e comercialização dos excedentes.

Notas

  1. Экспертная оценке Правительства и Администрации Президента РФ
  2. a b José Pedro Machado, Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa, verbete "Cazã".
  3. Antenor Nascentes, Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, tomo II, verbete "Casã".
  4. Na verdade, trata-se do termo tártaro qazan, "caldeira" ou um tipo de panela.