Canato de Cazã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
História da Rússia
Flag of Russia.svg
Eslavos do Leste
Caganato Cazar
Rússia Kievana
Principado de Vladimir-Súzdal
Bulgária do Volga
Invasão Mongol
Canato da Horda Dourada
Principado de Moscovo
Canato de Cazã
Czarado da Rússia
Império Russo
Revolução de 1905
Revolução de 1917
Revolução de Fevereiro
Revolução de Outubro
Guerra Civil
União Soviética
Era Stalin
Era Khrushchov
Era da Estagnação
Corrida espacial
Perestroika e Glasnost
Federação da Rússia
edite esta caixa

O Canato de Cazã (tártaro: Qazan xanlığı; russo: Казанское ханство) foi um Estado tártaro originário da fragmentação da Horda de Ouro e que existiu entre 1438 e 1552. Situado no território da antiga Bulgária do Volga, tinha como capital a cidade de Cazã. Em seu apogeu abrangia terras dos atuais Tartaristão, Tchuváchia, Mari El, Mordóvia e partes da Udmúrtia e Bachquíria.

Foi fundado em 1438 por Olug Moxammat Khan. A sua religião oficial era o Islamismo. Uma teoria alternativa sugere que entre o final do século XIV e começo do século XV, os antigos territórios da Bulgária do Volga tentaram reconquistar um certo nível de independência. O principado era auto-governado e mantido por uma dinastia de governantes búlgaros. Eis que Olug Moxammat usurpou o trono com o auxílio da nobreza local. Especula-se que a transferência de poder foi finalizada em 1445 por Maxmud, filho de Moxammat.

O Canato de Cazã foi muitas vezes atormentado por turbulências civis e disputas pelo trono. Os cãs foram substituídos 19 vezes em 115 anos, alguns governando duas ou três vezes. Por vezes o cã era eleito de nobres de Cazã ou pelos gengiskânidas e por vezes pelos próprios cidadãos.

A política externa do Canato de Cazã foi fortemente influenciada pela Moscóvia, o Grão Ducado da Lituânia e o Canato da Crimeia. Em 1487 os russos ocuparam a cidade de Cazã, porém rapidamente se retiraram. Durante a guerra contra a ocupação russa (1552-1556) Mishatamaq e Chalem se tornaram capitais do Canato de Cazã.

Em 1552 o canato foi conquistado por Ivan IV da Rússia. Em retaliação, Devlet Giray, cã da Crimeia, atacou Moscou.

População e geografia do Canato[editar | editar código-fonte]

Mapa do Canato de Cazã, na década de 1540.

O território do Canato de Cazã abrangia as terras povoadas por búlgaros muçulmanos Bolğar, Cükätäw, Kazan, Qaşan, ducados e outras terras que originalmente faziam parte da Bulgária do Volga. A maioria da população consistia de Tártaros de Cazã (muçulmanos que adotaram o idioma tártaro). Sua identidade não era apenas tártara; muitos se identificavam simplesmente como muçulmanos ou o povo de Cazã. De acordo com a tradição gengiskhânida, as tribos turcas locais eram ainda chamadas de Tártaras pela nobreza das estepes e depois, pela elite russa. Esta nobreza feudal local era composta por búlgaros étnicos, porém os guarda-costas dos cãs de Cazã pertenciam de Tártaros da estepe, tais como Kipchaks e depois Nogais, que viviam em Cazã. A alta nobreza era ainda advinda da Horda de Ouro. Incluía membros de 4 famílias: Arghyn, Baryn, Qypchaq e Shirin. Territórios submetidos incluíam terras maris, tchuvases, mordvins, Tartar-Mishar, udmurtes e bachquires e as áreas da estepe da Bulgária do Volga. Perm e algumas das tribos komis ainda eram incorporadas ao Canato. As terras colonizadas pelos Mishares, que chegaram na região durante o período da Horda de Ouro, também foram colonizados por Mordvins fineses e burtas, que mais tarde foram assimilados na população residente mishar. Seu território era governado pelos antigos tártaros da estepe. Alguns dos ducados mishares nunca se juntaram a Cazã, em vez disso se juntando ao Canato Qasim ou a Rússia. Fontes russas constatam que aproximadamente cinco idiomas eram usados no Canato de Cazã. O primeiro era o idioma tártaro (consistindo do dialeto médio dos Tártaros de Cazã, antigos búlgaros muçulmanos) e o dialeto ocidental dos mishares (antigos tártaros da estepe que falavam idiomas Kipchak). A língua tchuvase era descendente do idioma Bolgar, o qual era falado ao longo da Tchuváchia pagã. O idioma Bolgar ainda influenciou fortemente o dialeto médio do idioma tártaro. Um terceiro idioma era possivelmente o Mari, idiomas Mordvins e a língua Bashkir, que também se originaram dos idiomas Bolgar e Kipchak. Os principais rios do Canato eram o Volga, o Kama e o Vyatka, assim como as grandes rotas comerciais. A maior parte do território do Canato era coberto por florestas, sendo apenas a região sul consistindo de estepes.

Os Urais ocidentais também estavam sob controle de Cazã.

Economia[editar | editar código-fonte]

A população urbana do Canato produzia mercadorias de argila, madeira e artefatos metálicos, couro, armaduras, arados jóias. As principais cidades eram Cazã, Arça, Cükätaw, Qaşan, Çallı, Alat e Cöri. A população urbana também comercializava com os povos da Ásia Central, Cáucaso e Rússia. No século XVI, a Rússia se tornou o principal parceiro comercial de Cazã, e o Canato participou do sistema econômico utilizado pelos russos. Os grandes mercados eram Taşayaq Bazaar em Kazan e a ilha Markiz, no rio Volga. Propriedades agrícolas eram feitas pelo söyurğal e estatutos hereditários.

Sociedade[editar | editar código-fonte]

O Estado era governado pelo . Suas ações eram baseada nas decisões e conselhos do concílio do gabinete Diwan.

A nobreza incluía bäk (beg), ämir (emir), e o morza (murza). Cargos militares consistiam de uğlan (ulan), bahadir, içki (ichki). Clérigos muçulmanos também desempenhavam um papel importante. Estavam divididos entre säyet (seid), şäyex (sheikh), qazí (qazi), e imames. Os ulemás desempenhavam um papel judicial, e mantinham os madraçais e maktabs (escolas). A maioria da população era dos qara xalıq (povo negro): Uma população livre muçulmana, que viviam nas terras do Estado (a denominação "negro" na cultura turca era comummente utilizada para se referir a pessoas comuns, e não uma denominação racial). As terras feudais eram em sua maioria povoadas por çura (servos). Prisioneiros de guerra eram comummente vendidos para a Turquia ou Ásia Central. Ocasionalmente eles eram vendidos pelo Canato como escravos (qol) e em algumas ocasiões eram estabelecidos em terras feudais para depois se tornar um çura. A população não-muçulmana do Canato era obrigada a pagar o yasaq.

Divisão administrativa[editar | editar código-fonte]

O Canato era dividido em 5 daruğa: Alat, Arça, Gäreç, Cöri e Nuğay. O termo daruğa significa direção. Os daruğa substituíram alguns ducados dos quais o Canato se originou. Alguns senhores feudais tentaram se libertar de Cazã, porém tais tentativas foram depois suprimidas.

Forças militares[editar | editar código-fonte]

As forças militares do Canato de Cazã eram compostas por armamentos e homens vindos das darughas e terras submetidas, guardas dos cãs, e as tropas da nobreza. O verdadeiro número de soldados nunca foi constante, variando entre 20 e 60 milhares. Tropas vindas da Horda Nogai, da Crimeia e até da própria Rússia também chegaram a servir aos cãs de Cazã.

Para defender os muros de Cazã foram utilizadas armas de fogos tais como arcabuzes.