Arcabuz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Arcabuzes japoneses de Tanegashima.
Arcabuz de 1425 (Clique para ampliar).

Arcabuz (do francês haquebuse, arquebuse e do alemão Hakenbüchse) é uma antiga arma de fogo portátil, espécie de bacamarte, chamada vulgarmente espingarda, nas crónicas portuguesas da época[1]

Foi inventada por volta de 1440 no Sacro Império Romano-Germânico (actual Alemanha). Usado pela infantaria entre os séculos XV ao XVII. Não apresentava diferenças marcantes em relação àquela, sendo uma arma portátil, de peso por volta de 5 kg e com calibre na faixa de 15 a 20 mm. Seu alcance máximo era de até 800 metros, mas nunca era empregada em distâncias superiores a 150 metros, pois as chances de se atingir um alvo a esta distância eram desprezíveis - mesmo que este fosse muito grande, como eram as formações de batalha usadas no período.

Apesar de ser a arma mais utilizada e apropriada para o Brasil dos séculos XVI e XVII, não era a preferida, pelo menos aparentemente: o mosquete, apesar de mais pesado, dava maior status (e soldo) aos soldados, de forma que estes preferiam ser classificados como "mosqueteiros", apesar de usarem a arma mais leve.

Referências

  1. Crónica de Santa Cruz do Cabo de Gué. Chronique de Santa-Cruz du Cap de Gué (Agadir). Texte portugais du XVIeme siècle, traduit et annoté par Pierre de Cenival. Paris, Paul Geuthner. 13, rue Jacob, 13. 1934.


Este artigo relativo a armas de fogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.