Leo Smit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Leo Smit (14 de maio de 1900 - 30 de abril de 1943) foi um compositor e pianista holandês, de ascendência judaico-Português, morto durante o Holocausto.

Leopoldo (Leo), Smit, nasceu em Amesterdão, e estudou composição e piano no Conservatório de Amsterdão, com Sem Dresden (1881-1957) compositor holandês e piano com Ulfert Schults, graduando-se cum laude em composição.[1]

Influenciado por Claude Debussy e Albert Roussel, Smit compôs obra para orquestra e música de câmara. Suas obras tornaram-se conhecidas em finais da década de 1980.

Faleceu em Sobibor um campo de extermínio nazi, localizado na Polónia.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 33 cantos sobre poemas de Emily Dickinson
  • Sexteto para flauta, oboé, clarinete, fagote, corne inglês e piano
  • Quinteto para flauta, violino, viola, violoncelo e harpa
  • Dueto para oboé e violoncelo
  • Trio para clarinete, viola e piano
  • Concerto para contralto e orquestra de cordas (1940)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um compositor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.