Oniromancia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Oniromancia (ou Brizomancia) é a divinação do futuro através da interpretação dos sonhos.

Técnica muito difundida no ocidente, foi citada por Carl Gustav Jung em vários de seus trabalhos[1] como sendo uma forma realmente eficiente de analisar a condição da psique do consulente. Ele considerava os sonhos não só como uma externalização de desejos ocultos, mas também como uma ferramenta da psique que busca o equilíbrio por meio da compensação.

A técnica consiste na análise minuciosa das figuras e fatos ocorridos por parte do oniromante que tece entre eles relações e teias de significado que são supostamente capazes de apontar acontecimentos em um futuro próximo.

A oniromancia é praticada desde tempos imemoriáveis por várias civilizações como a egípcia, grega, maia e bantu, sendo que o mais antigo registro de interpretação dos sonhos, data do início de nossa era, no antigo Egito e Caldea[carece de fontes?].

Sonhos na Bíblia Judaico-Cristã[editar | editar código-fonte]

Os sonhos aparecem ao decorrer de toda a Bíblia como mensagens de Deus:

  • Sonhos de Jacó de uma escada para o céu. (Gênesis 28)
  • Seu filho José sonhou sobre seu seu futuro sucesso (Gênesis 37) e interpretou o sonho do Faraó do Egito (Gênesis 41)
  • Salomão conversava com Deus em seus sonhos.
  • Daniel interpretava sonhos (no Livro de Daniel).
  • José, marido de Maria, foi direcionado a fugir para o Egito (Mateus 2)
  • Paulo foi dito para ir à Macedónia (Atos 16)

Referências

  1. A Dinâmica do Inconsciente; O Homem e Seus Símbolos; Homem à descoberta da sua alma, Livro III

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Quiromancia- Quiromancia é a arte de ler as mãos.
  • Teimancia - Advinhação pelas folhas de chá.
  • Taromancia - Prática divinatória através das lâminas do tarot.
  • Necromancia- Divinação através da consulta a mortos.