Orestes de Jerusalém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Orestes de Jerusalém foi o patriarca de Jerusalém entre 986 e 1006 d.C.

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Nada se sabe sobre os primeiros anos da vida de Orestes. Seu patriarcado começou numa atmosfera tranquila por conta de sua amizade com o vizir cristão ‘Isa Ibn Nastur e sua esposa russa, também cristã, que permitiu que ele influenciasse o califa fatímida Abu Mansur Nizar al-Aziz Billah. Porém, a situação logo mudou quando Al-Hakim bi-Amr Allah, filho de al-Aziz, o sucedeu. A mudança foi drástica, pois o novo califa era um muçulmano fanático.

Destruição da Igreja do Santo Sepulcro[editar | editar código-fonte]

Al-Hakim acreditava ser uma encarnação de uma divindade e começou a perseguir tanto os cristãos quanto os judeus através de uma série de ordens que visavam segregá-los. Ele começou em 1004 ao ordenar que todos os cristãos e judeus vestissem um turbante preto e um cinto especial. Em 1008, ele proibiu a fabricação de vinho e proibiu a procissão do Domingo de Ramos, que saía de Betânia até a Igreja do Santo Sepulcro. Ele também começou uma campanha de conversão forçada para o Islã entre todos os oficiais cristãos, dispensando os que se negavam. Adicionalmente, ele ordenou que cristãos e judeus agora vestissem também mantos pretos, que só viajassem em mulas e portassem símbolos de sua fé nos banhos (uma cruz para os cristãos e um bezerro de madeira para os judeus).

Durante os anos de 1006-7, os vários grupos cristãos na Terra Santa comemoravam a Páscoa em dias diferentes. Durante o seu episcopado, Orestes viajou à Constantinopla, deixando o comando do patriarcado de Jerusalém e a gestão da controvérsia com o patriarca de Alexandria Arsênio de Alexandria, que estabeleceu uma data unificada para a celebração depois de ver que os cristãos do egípcios e palestinos seriam incapazes de um acordo. Orestes faleceu enquanto estava em Constantinopla.

A pior afronta ainda estava por vir. Em 1009, após a morte de Orestes, o califa ordenou a destruição da Igreja do Santo Sepulcro. Ela começou em 28 de setembro de 1009 e todos os edifícios adjacentes também foram demolidos. Todos os materiais considerados de valor foram levados pelos muçulmanos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Orestes de Jerusalém
(986 - 1006)
Precedido por: PatriarchsCross.svg
Lista sucessória dos patriarcas de Jerusalém
Sucedido por:
José II 81.º Teófilo I


Ligações Externas[editar | editar código-fonte]