Ostensório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ostensório em ouro.

Ostensório, ou custódia, é uma peça de ourivesaria usada em actos de culto da Igreja Católica Romana para expor solenemente a hóstia consagrada sobre o altar ou para a transportar solenemente em procissão. A sua utilização é uma manifestação artística do dogma católico da transubstanciação da hóstia consagrada no corpo de Cristo e da consequente veneração que é lhe devida como presença real de Deus. Na falta de uma custódia, a âmbula pode ser utilizada para o mesmo fim.

Descrição e uso[editar | editar código-fonte]

A custódia é em geral composta por um corpo principal, geralmente ricamente adornado com motivos de ourivesaria, em geral feito de prata dourada ou de ouro, com um centro transparente, de cristal, onde é exposta a hóstia consagrada. Algumas custódias são reputadas obras de arte, muito afamadas, como é o caso da célebre Custódia de Belém, atribuída a Gil Vicente.

As custódias são usadas principalmente durante a exposição permanente do Santíssimo (o lausperene) e nas Procissões do Santíssimo, actos de culto comuns nos países de maioria católica.

Conta-se que Santa Clara de Assis enfrentou um grupo de muçulmanos que pretendia invadir o convento onde se encontrava apenas com uma custódia. No evento, os "infiéis" teriam sucumbido perante a hóstia consagrada.