Pândroso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pândroso foi uma filha de Cécrope I, rei da Ática.

Sua mãe era Agraulo, filha de Acteu, que casou-se com Cécrope, rei de Atenas,[1] cujo corpo era parte humano e parte serpente.[2] Dessa união nasceram três filhas, Agraulo (filha), Herse e Pândroso, e um filho, Erisictão.[1]

Herse, Pândroso e Aglauros, as três filhas do rei da Ática Cécrope I,[3] receberam de Atena uma caixa fechada, proibindo que elas olhassem o que havia dentro.[4] Pandroso obedeceu, mas as outras duas não, e enlouqueceram quando viram Erictônio, se jogando da parte mais íngreme da acrópole.[4] Erictônio era filho da Terra (Gaia) e de Hefesto.[3]

De acordo com Pseudo-Apolodoro, Erictónio poderia ser filho de Hefesto e Átis, filha de Cranau, ou poderia ser filho de Atena, sendo Atena virgem: Atena se aproximara de Hefesto, desejosa das armas que ele fabricava, quando, rejeitado por Afrodite, Hefesto se apaixona por Atena. Ele a persegue, mas ela foge, e quando consegue agarrá-la, ela não permite o ato sexual, e Hefesto ejacula sobre a coxa de Atena. Enojada, ela se limpa, e faz o sêmem cair no chão, e daí nasce Erictónio.[5] Após Erictónio ter nascido, Atena o criou, escondido dos outros deuses, e colocou-o em um baú, entregando-o a Pândroso, filha de Cécrope I, e proibindo-a de abrir o baú. Mas suas irmãs, curiosas, o abriram, e viram uma serpente enrolada no bebê. Segundo alguns autores, elas foram mortas pela serpente, segundo outros, elas enlouqueceram pela ira de Atena e se jogaram da acrópole.[5]

Referências

Árvore genealógica baseada em Pseudo-Apolodoro:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
autóctone
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
autóctone
 
 
 
 
 
 
Acteu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cécrope I
 
 
 
 
 
 
Aglauro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Erisictão
 
 
Aglauro
 
 
Herse
 
 
 
Pândroso