Pilades

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Pílades é filho de Estrófio, rei da Fócida, e de Anaxíbia, filha de Atreu e Aérope.

Quando Orestes, seu prímo, se refugiou em sua casa, viraram grandes amigos. Depois da morte de Agamênon, Orestes matou Clitemnestra e Pílades matou Egisto.

Pílades se casou com Electra e, segundo Helânico de Lesbos, teve dois filhos, Medon e Strophius1 . O mito de Orestes,2 cujos elementos podem ser encontrados na Odisséia, no Catálogo das Heroínas, no poema Oresteia, e na Pítica XI, conta os acontecimentos ocorridos no retorno do rei Agamêmnon a Argos. Após a morte do comandante da guerra de Tróia, Egisto e sua cúmplice a rainha Clitemnestra voltaram-se para Orestes, o filho do rei morto, uma vez que eliminado o herdeiro legítimo do trono ambos estariam seguros e livres da vingança pelo sangue derramado.

Orestes, livre da morte por sua irmã Electra, foi levado para a corte de Estrófio rei de Crisa onde cresceu seguro e pôde conquistar a amizade de Pílades, filho do rei. Atingida a maioridade, Orestes obedeceu às ordens de Apolo e retornou para Argos com Pílades, já então amigo inseparável, para vingar o terrível crime cometido por Egisto e por sua própria mãe, Clitemnestra. Obtendo o auxilio Electra, que o introduz no palácio, e pelo inseparável Pílades, que o instiga a agir no momento em que hesita diante dos seios desnudos da mãe suplicante, Orestes executa a justiça de Apolo.

Surge então no relato do mito aquele gérmen do trágico que inspirou a tantos na antiguidade: a condição do homem frente às demandas de potências que estão além de seu controle, levando às ações cujas conseqüências esmagadoras ele não pode evitar. Diante da execução da mãe sobrevém a loucura e o tormento das Fúrias, as vingadoras dos crimes contra consangüíneos, Orestes havia cometido o matricídio! Purificado do crime por Apolo, em Delfos, e livrado das Fúrias após julgamento em Atenas, presidido pela própria deusa Atena, Orestes recebeu ordem de partir em busca de uma estátua de Ártemis em Táurida, que o poderia livrar da loucura.

Referências

  1. Pausânias, Descrição da Grécia, 2.16.7
  2. "ILÍADA E ODISSÉIA DE HOMERO. Uma biografia. Alberto Manguel. 272pp coleção Livros que Mudaram o. Mundo. EAN:97885378000782 ..."