Pintarroxo-de-hornemann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPintarroxo de Hornemann
Pintarroxo de Hornemann

Pintarroxo de Hornemann
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Fringillidae
Género: Carduelis
Espécie: C. hornemanni
Nome binomial
Carduelis hornemanni
(Holbøll, 1843)
Sinónimos
Acanthis hornemanni, Carduelis exilipes, Acanthis exilipes
Carduelis hornemanni exilipes

O pintarroxo de Hornemann (carduelis hornemanni) é um Passeriforme da família Fringillidae.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Parecido com o Pintarroxo-de-queixo-preto (Carduelis hornemanni), mas com cores mais claras e o bico mais pequeno. Tem um comprimento de 12–14 cm e um peso de 12-16 g [1] . Testa vermelha, dorso com algumas riscas pardas, uropígio branco, asas e cauda pretas e brancas, peito branco com uma muito ténue mancha cor de rosa nos machos, bico curto. O ninho é construído numa árvore ou arbusto a pouca altura, com raminhos, cascas de junípero, líquenes, raízes finas, pêlos e penas. A fêmea põe entre 3 a 7 ovos entre Maio e Julho, que são incubados de 10 a 12 dias. As crias ficam no ninho entre 12 a 13 dias[1] .

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Conhecem-se duas subespécies carduelis hornemanni exilipes e carduelis hornemanni hornemanni

Subespécies e distribuição[editar | editar código-fonte]

O c.h. hornemanni tem o bico e a cauda maiores que o c.h. exilipes e é também mais branco, parece quase uma bola de neve.

Habitat[editar | editar código-fonte]

O pintarroxo de hornemann encontra-se nos bosques abertos de bétulas, de salgueiros, de amieiros, na tundra, nas charnecas de montanha, mas evita as florestas densas[3] .

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Consome principalmente sementes de árvores e arbustos (bétula, amieiro) mas também plantas herbáceas como erva de S.Marcos (Tanacetum vulgare), uma asterácea.

Filogenia[editar | editar código-fonte]

Obtida por Arnaiz-Villena et al. [4] [5]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Arctic redpoll NatureGate. Consultado em 28 de Agosto de 2012
  2. Arctic redpoll The Internet Bird Collection. Consultada em 29 de Agosto de 2012
  3. Sizerin blanchâtre Oiseaux.net. Consultado em 29 de Agosto de 2012.
  4. Arnaiz-Villena, Antonio; Alvarez-Tejado M., Ruiz-del-Valle V., García-de-la-Torre C., Varela P, Recio M. J., Ferre S., Martinez-Laso J.. (1998). "Phylogeny and rapid Northern and Southern Hemisphere speciation of goldfinches during the Miocene and Pliocene Epochs". Cell. Mol. Life. Sci. 54 (9): 1031–41. DOI:10.1007/s000180050230. PMID 9791543.
  5. Zamora, J; Moscoso J, Ruiz-del-Valle V, Ernesto L, Serrano-Vela JI, Ira-Cachafeiro J, Arnaiz-Villena A. (2006). "Conjoint mitochondrial phylogenetic trees for canaries Serinus spp. and goldfinches Carduelis spp. show several specific polytomies". Ardeola 53(1): 1–17.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]