Pique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2008). Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Recriação de uma companhia de piqueiros de meados do século XVII.

Pique (também conhecido por chuço) é uma arma de haste medieval, usada pelos piqueiros, que por sua vez constituíam a base da infantaria medieval.[1] O pique consistia de uma lança de aproximadamente 3 à 5 metros, com uma ponta de metal. O pique era a principal arma utilizada contra a cavalaria inimiga.

Mesmo após o surgimento das armas de fogo, o pique continuou a ser usado. Os canhões primitivos, os arcabuzes e os mosquetes tinham disparo muito lento e impreciso, por isto os piqueiros, em ordem cerrada, formaram o núcleo da infantaria européia até meados do século XVII. Sua máxima expressão foi o Terço espanhol. A invenção da baioneta, em meados do século XVII, acabaria por tornar o pique obsoleto, ao fim do mesmo século, pois permitia ao mosqueteiro se defender durante o processo de recarregamento. No exército francês foi totalmente abolido em 1704, embora tenha reaparecido (para compensar a falta de armas de fogo), quando dos primeiros conflitos gerados pela Revolução Francesa. Em Portugal, na época das invasões francesas, foi um recurso bastante usado pelo povo, pois os invasores tinham desarmado completamente o país.

Referências

  1. Verbruggen, Art of Warfare, 151
Ícone de esboço Este artigo sobre armas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.