Return of the Living Dead Part II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Return of the Living Dead Part II
O Regresso dos Mortos-Vivos 2 (PT)
A Volta dos Mortos-Vivos Parte 2 (BR)
 Estados Unidos
1988 • cor • 89 min 
Direção Ken Wiederhorn
Roteiro John Daly, Derek Gibson
Elenco Michael Kenworthy, James Karen, Marsha Dietlein e Thom Mathews
Género Comédia de terror
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Return of the Living Dead Part II (br: A Volta dos Mortos Vivos Parte 2 — pt: O Regresso dos Mortos Vivos 2), é a continuação da série The Return Of The Living Dead, continuando seu gênero de comédia de terror. Foi dirigido por Ken Wiederhorn contando com o elenco de Michael Kenworthy, James Karen, Marsha Dietlein e Thom Mathews.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Os tambores do filme anterior estavam sendo transportados pelo Exército dos Estados Unidos quando um dos barris acidentalmente se solte de um dos caminhões e cai próximo a um cemitério de uma pequena cidade, três garotos que estavam ali vêem o barril e decidem mexer sem saber do perigo que estava por vir, quando eles abrem o tambor um gás se espalha pelo cemitério fazendo com que os mortos levantem-se de suas covas. Suas primeiras vitimas são dois saqueadores de covas: Ed (James Karen) e Joe (Thom Mathews), onde começa uma corrida para não perderem seus cérebros.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Michael Kenworthy Jesse Wilson
Marsha Dietlein Lucy Wilson
Dana Ashbrook Tom Essex
Thom Mathews Joey
James Karen Ed
Suzanne Snyder Brenda
Philip Bruns Doc Mandel
Thor Van Lingen Billy Crowley
Jonathan Terry Coronel Glover
Allan Trautman Cadáver
Mitch Pileggi Sarge

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • James Karen (Ed) e Thom Mathews (Joey) já atuaram no primeiro filme, em papéis diferentes. Porém, os mesmos morrem da mesma maneira, inalando o gás que antes estava contido nos tanques do exército, e em seguida, tornam-se zumbis. Eles também fazem alusão ao filme anterior durante a parte em que estão fugindo no carro, Joey fala que tudo parece um pesadelo e que tem a impressão de que ja viveu tudo o que está acontecendo com eles.
  • Neste filme descobre-se, acidentalmente, que o choque elétrico intenso é a única maneira segura de destruir os zumbis sem o risco de reanimar mais cadáveres. Ao que parece, a energia elétrica aniquila quaisquer vestígios do gás tóxico presentes nos zumbis e pessoas infectadas, no entanto sem gerar mais vapores do gás nocivo e, com isso, impedindo que mais cadáveres sejam reanimados. Estranhamente, o exército jamais tomou conhecimento disto, já que nos demais filmes da série os personagens nunca se utilizam de descargas elétricas para destruir os mortos-vivos.
  • O filme paródia o cantor Michael Jackson vestido com as roupas de thriller e o músico beethoven .
  • Ficou conhecido no Brasil pelas inúmeras reprises no Cinema em casa nas tardes do SBT durante a década de 90. Isso era possivel, porque o Ministério da Justiça naquela época não era tão severo quanto a classificação indicativa, desde que fosse avisado ao telespectador, qual seria o conteudo apresentado nos filmes (violência, terror, ou suspense).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.