Roberto Carlos Ramos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberto Carlos
Conhecido(a) por Ter sua vida contada no filme O Contador de Histórias (2009).
Nascimento 20 de Novembro de 1965 (48 anos)
Belo Horizonte,Minas Gerais, Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação pedagogo
escritor
contador de histórias
Página oficial
Roberto Carlos Contador de Histórias

Roberto Carlos Ramos (Belo Horizonte, 20 de novembro de 1965) é pedagogo e contador de histórias. Sua história de vida inspirou o diretor Luiz Villaça em seu filme O Contador de Histórias. Roberto Carlos deixou de ser menino de rua em Belo Horizonte, tornando-se personagem central de um filme, é contador de histórias reconhecido como um dos dez melhores do mundo, escritor e palestrante.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Roberto Carlos é o mais novo de 10 irmãos, viveu com a família até os seis anos de idade, quando foi conduzido por sua mãe para viver na Fundação para o Bem-estar do Menor(Febem),que mais tarde tornou-se a Fundação CASA, na esperança de garantir um futuro melhor para o filho.[3]

Falava-se na época que a Febem era uma instituição preocupada com o bem-estar das crianças -- era o local onde recebiam boa alimentação e educação escolar. A mãe e o filho estavam esperançosos. O menino pensava que estava deixando para trás uma vida miserável, e a mãe achava que um dia, quem sabe, teria um filho doutor.
 
Roberto Carlos Ramos, [3] .

Até os treze anos Roberto Carlos viveu na Febem entre fugas e retornos. Teve 132 fugas registradas, não se alfabetizou, envolveu-se com drogas e em atos infracionais quando estava livre nas ruas de Belo Horizonte. Foi classificado pela instituição de "irrecuperável", quando foi adotado em 1979 por uma pesquisadora francesa, Margherit Duvas, que estava visitando a Febem para sua tese de Doutorado. Um ano depois, já alfabetizado foi levado por ela para a França, aprendeu a falar francês e concluiu os estudos.Viveu em Marselha 8 anos até completar vinte e um anos, quando retornou ao Brasil para cursar a faculdade na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ao concluir o curso, retornou à Febem como estagiário, e adotou lá o primeiro dos 13 filhos que adotou ao longo de sua vida.[3] [4] . Margherit Duvas morreu na França em 1986 quando Roberto Carlos Ramos tinha 21 anos e já estava no Brasil.

Obra[editar | editar código-fonte]

O pedagogo Roberto Carlos dedicou boa parte de sua carreira como escritor aos livros infantis. Seus livros possuem uma narrativa próxima às histórias narradas oralmente por ele, alguns acompanhados de cd de audio ou DVD's com animações ou com a presença do próprio Roberto Carlos contando as histórias.Sua obra consiste de cinco livros:[4] [5]

  • A Arte de Construir Cidadãos: As 15 lições da Pedagogia do Amor [6]
  • When The Night is Dark in Brazil
  • Marambaia [7]
  • O Contador de Histórias [3]
  • Resgatando e Contando Nossas Histórias Folclóricas
  • O Dia depois de Amanhã em Minas
  • O Morro e a Morte

Prêmios e Condecorações[editar | editar código-fonte]

  • Membro da Associação Internacional de Contadores de História e Valorização da Expressão Oral de Marselha/França;
  • Movimento GNT/A Vida Como Ela Pode Ser – Parque Ibirapuera SP: “Certificado de Participante do Movimento GNT, Paz nas Cidades;
  • Agraciado entre 16 e 17 de agosto, em Seatle (EUA), com o prêmio “The Ten Best”, como um dos dez melhores contadores de história da atualidade;
  • Agraciado com o premi Federasul (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), como melhor palestra proferida em 2000;
  • Agraciado em 3 de março de 2001 com a comenda da Paz Chico Xavier, pelo governo do Estado de Minas Gerais;
  • Agraciado no dia 1º de maio de 2001 com o prêmio Sou Voluntário Sou Minas Gerais, na categoria Exemplos que Motivam;
  • Agraciado em 24 de maio de 2002, com o prêmio máximo da indústria mineira, pela FIEMG, na categoria “Dignificação Humana”.

O Contador de Histórias - O filme[editar | editar código-fonte]

O diretor cinematográfico Luiz Villaça descobriu a história de Roberto Carlos Ramos ao ler para o filho um livro infantil. Impressionado pela vida que Roberto Carlos levara, resolveu transformar a história em um filme, que produziu juntamente com Denise Fraga e estreou em agosto de 2009 no Brasil.[8]

Referências

  1. Conheça o homem que inspirou "O Contador de Histórias" (em português) Terra (31 de julho de 2009). Visitado em 9 de agosto de 2009.
  2. Embaixador é homenageado por alunos da rede pública de Betim (em português) Betim.Org (27 de março de 2005). Visitado em 9 de agosto de 2009.
  3. a b c d RAMOS, Roberto Carlos. O Contador de Histórias (em ). Belo Horizonte: Leitura, 2000. 09-10 pp. ISBN 857358338.
  4. a b Roberto Carlos Ramos (em português) Site Oficial. Visitado em 9 de agosto de 2009.
  5. O menino irrecuperável teve sua redenção nos cinemas (em português) Época (31 de julho de 2009). Visitado em 23 de setembro de 2009.
  6. A Arte de Construir Cidadãos: As 15 lições da Pedagogia do Amor (em ). [S.l.]: Celebris. ISBN 978-85-89219-37-2.
  7. Marambaia (em ). [S.l.]: Dimensão. ISBN 8573191287.
  8. O Contador de Histórias (em português) Adoro Cinema Brasileiro. Visitado em 01 de setembro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.