Rosie the Riveter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Geraldine Doyle, estadunidense cuja foto inspirou o cartaz acima em elgoio aos esforços dos operários dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial

Rosie the Riveter (Em português: Rosie, a Rebitadeira) é um ícone cultural dos Estados Unidos da América, criado pelo artista gráfico J. Howard Miller a serviço da Westinghouse Company. Foi usada como base uma imagem da modelo Geraldine Doyle, durante o breve período em que trabalhou como operária em 1942 para outra companhia chamada American Broach & Machine Co. [1] Muitas mulheres, nesta época, tomaram trabalhos inteiramente novos substituindo os homens trabalhadores que estavam na guerra. Porém, é importante notar que na época de sua criação, a imagem nada tinha a ver com o empoderamento feminino e era restringida à Westinghouse, como forma de propaganda anti-absenteísmo e anti-greve, e também a fim de elevar a moral e os esforços dos operários no período da guerra. Somente no início da década de 1980 o cartaz foi redescoberto e ganhou o nome Rosie the Riveter, passando a ser usado como um símbolo do feminismo e do poder econômico das mulheres.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.