São Domingos (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde Dezembro de 2011).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou seção contém uma lista de fontes, mas estas não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a verificabilidade. (desde dezembro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Município de São Domingos
Praça SaoDomingos Paraíba Brasil.jpeg

Brasão de São Domingos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 29 de abril
Fundação 29 de abril de 1994 (20 anos)
Gentílico sãodominguense
Prefeito(a) Odaisa de Cássia Queiroga da Silva Nobrega (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de São Domingos
Localização de São Domingos na Paraíba
São Domingos está localizado em: Brasil
São Domingos
Localização de São Domingos no Brasil
06° 48' 50" S 37° 56' 31" O06° 48' 50" S 37° 56' 31" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Sertão Paraibano IBGE/2008 [1]
Microrregião Sousa IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Oeste com Aparecida (Paraíba), a Leste,Norte e Sul Pombal (Paraíba)
Distância até a capital 400 km
Características geográficas
Área 169,103 km² [2]
População 2 851 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 16,86 hab./km²
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,561 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 11 372,994 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 070,51 IBGE/2008[5]
Página oficial

São Domingos é um município do estado da Paraíba (Brasil), localizado na mesorregião do Sertão Paraibano e microrregião de Sousa. Localiza-se a 190 metros de altitude, e sua população em 2010 era de 2855 habitantes. Possui uma área de 169 km². Através da lei municipal nº 132 de 2003, teve seu nome alterado de São Domingos de Pombal para São Domingos.[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Não se sabe com exatidão qual a primeira exploração de terras no município de São Domingos. A região foi desbravada por Teodósio de Oliveira Ledo, seus irmãos e seus filhos, a exemplo da maioria das cidades do sertão paraibano. Naquela época não era fácil a fundação de uma fazenda ou sítio. Segundo o historiador Wilson Nóbrega Seixas, construía-se um curral para criação de gado, de madeira pau a pique, junto do qual se erguia uma casa de taipa para moradia do vaqueiro encarregado de cuidar do rebanho, que começava no mínimo com três novilhas e um touro.

Nos primeiros tempos não eram os próprios sesmeiros que dirigiam e difundiam as fazendas e sítios, e sim, o vaqueiro bravo que arriscava a própria vida enfrentando animais selvagens, bem como tribos indígenas Panatis, Pegas, Coremas e outros valentes e ferozes.

Com a quase extinção dos indígenas e a catequese dos restantes, vieram os proprietários a fixar sua residência nas suas terras e daí nasceu a “Casa Grande”, poderoso foco de irradiação. Em seu arredor agrupavam-se as choupanas dos vaqueiros e dos agregados, que ouviam cegamente a palavra do morador da “Casa Grande”, formando-se assim, a mentalidade de direção cujas bases se firmaram as realidades políticas-sociais do Nordeste. o dono da “Casa Grande” era orientador da população, o defensor dos seus interesses. Em torno das fazendas é que nasceram as povoações. Era a civilização do couro, de que nos fala Capistrano de Abreu. Formava-se condição indispensável para quem queria sesmaria, que construísse um curral de gado em cada légua dentro do prazo de um ano. O regime latifundiário adotado pela família Oliveira Ledo, não impediu que outros colonos fundassem fazendas e sítios.

O arraial de Formiga a Teodoro Alves de Figueredo, sobrinho de Teodósio; São Lourenço pertenceu a Vicente Carvalho de Azevedo; Boa Vista a Jacinto Alves de Figueredo, cunhado de Teodósio de Oliveira Ledo, herança do seu sogro Custódio de Oliveira Ledo.

Em 1863, um filho do Capitão-mor Manoel Ferreira de Sousa (provavelmente Manoel Ferreira Nobre ou José Ferreira Nobre, o Padre Nobre”, citado no hino Oficial de Pombal) comprara o Sítio São Domingos, pertencentes a data Formiga, em que figuravam terras, casas, açudes, cercados, cana de açúcar e mais benfeitorias. Cultivavam-se também naquele tempo o milho o feijão e arroz. Porém antes de qualquer outra atividade, dominava aqui o regime pastoril.

A primeira missa foi celebrada pelo padre Valeriano Pereira de Sousa debaixo de talada de madeira e palha trazidas pelo senhor Francisco Faustino, natural de Pombal, residente no distrito de Arruda Câmara. Em 1944 foi construída a capela em alvenaria, tornou-se povoado em o nome de São Domingos. No dia 3 de outubro de 1945 foi realizada a primeira feira com a venda de farinha, rapadura, carne e outros gêneros alimentícios existentes na região. Aos quatro dias do mês de agosto de 1949, o monsenhor Vicente de Freitas trouxe a imagem de São Domingos de Gusmão que se tornou o padroeiro do povoado. Nesta mesma data foi realizada a festa de barroca na capela local. No dia 15 de Novembro de 1993 foi realizado um Plebiscito, que foi o primeiro rumo a categoria de cidade o que aconteceu em 29 de abril de 1994 com a Lei Estadual 5.902/94.

A primeira eleição realizou-se em 3 de outubro de 1996 para escolha de Prefeito, Vice-prefeito e Vereadores, sendo eleito José Eudes Honório de Queiroga, primeiro prefeito para representar o Poder Executivo. Para representar o Poder Legislativo a Câmara Municipal de elegeu Juan Douglas Nóbrega de Sousa, seu primeiro Presidente. O hino e a bandeira de são Domingos fazem parte de uma homenagem de seu autor aos anônimos e heróis fundadores, bem como, a todos são-dominguenses de uma forma especial.

O Município possui uma escola municipal na sede do município e 05 na zona rural com ensino da alfabetização ate a 4º série para uma melhor eficiência na qualidade do ensino a Secretaria de Educação fez a nucleação das escolas, isto é, fez a função das escolas em seis localidades: Bom Sossego, Carnaúba, Cachoeira, Grotão, Baldinho sede desta formou eliminar multiseriado, tão prejudicial à qualidade do ensino. Há uma escola estadual de ensino fundamental do ensino da quinta a oitava série. O ensino médio é oferecido pelo poder público estadual na E.E.E.F.M São Domingos, no turno da manhã, bem como a E.J.A no turno noite. Há um centro de saúde na sede do município, com atendimento médico e odontológico diário constando de um médico, um dentista, uma enfermeira, duas atendentes e oito agentes de saúde. São Domingos possui pontos de interesse turístico e histórico, destacando-se a “Casa Grande” de Nova Acauã construção antiga com 21 janelas, onde viveram as suas infâncias o Desembargador Dr. Antonio Elias de Queiroga e o renomado médico Dr. Avelino Elias de Queiroga, ex-prefeito de Pombal e ex-deputado estadual. As serras do Logradouro e do Tigre, assim com o Rio Piranhas em época de enchente, são belezas naturais do Município.

A Serra do Logradouro serviu de esconderijo para o cangaceiro Rio Preto, também conhecido por Negro Luiz que vivia de assaltar os comboios de gêneros alimentícios e violentar mulheres de surpresa nos caminhos ou cercando as casas quando os maridos andavam campeando o gado. Rio Preto foi baleado na Fazenda Saquinhos e escondeu-se no Sítio São Domingos de onde foi pego pela Policia de Pombal, cidade onde faleceu sem que aceitasse a confissão ao Padre Amâncio Leite, preferindo levar para o túmulo o segredo de todos os seus crimes. No setor social, há um centro de geração de renda onde funciona a casa da família com atendimento social e psicológico, com ministração de cursos de capacitação em informática, e várias modalidades de artesanato. As atividades municipais constam de prefeito, Delegado de Policia, Presidente da Câmara Municipal, e as autoridades eclesiásticas: Padre e Pastoris evangélicos.

Há no Município Cartório de Registro Civil, sindicato dos Trabalhadores Rurais, Escritório da EMATER –PB; Posto de Emissão de Carteira Profissional, e Carteira de Identidade, Junta de Serviço Militar e Delegacia de Policia. Na sede do Município há uma Igreja Católica e duas Igrejas Evangélicas; Igreja Assembléia de Deus e igreja Presbiteriana do Brasil. Nos Sítios Umburaninha e São Lourenço. A bandeira Oficial de São Domingos foi idealizada pelo Engenheiro Agrônomo Inácio Marinho das Chagas e criada pela lei Municipal nº 123/2002 de 12 de Setembro de 2005.

A Bandeira é constituída de um retângulo com as dimensões de 1,60 de cumprimento por 1,12 m de largura, com as cores: azul celeste e branca. A cor azul celeste representa 43,75% e a cor branca 56,25%; no campo branco localiza-se o Brasão de cor azul claro e no centro deste, uma planta de algodoeiro e justifica-se com capuchos abertos e na parte superior a expressão latina: “Vincit Omnia Veritas”. No ápice do Brasão há três tochas acesas e na base uma faixa azul clara com a data histórica, 29 de abril de 1994. A cor azul celeste da Bandeira Municipal simboliza o céu do sertão paraibano que em quase todas as horas do dia podemos contemplar sua beleza; a cor branca simboliza a paz que reina no país e em nossa terra; a planta de algodoeiro simboliza a economia municipal representada pela cultura do algodão explorada especialmente as margens do Rio Piranhas que atravessa o município na direção Oeste-Leste; as tochas acesas no ápice do Brasão simbolizam a chama viva que ilumina a sua gente e a expressão latina: “Vincit omnia veritas”, significa: a Verdade vence todas as coisas”, que é um apelo a sua gente para que a verdade seja a regra e razão maior do procedimento de seus filhos; a data histórica de 29 de abril de 1994 refere-se a data de criação do município por força da Lei estadual já mencionada e sancionada pelo respectivo governador anteriormente citado.

O Hino Oficial do Município foi criado pela lei Municipal nº 129/2002, de 28 de Dezembro de 2002. O autor da letra e música é também o Engenheiro Agrônomo Inácio Marinho das Chagas, que numa demonstração de amor pela cidade florescente descreve a posição do município em relação ao Brasil e a Paraíba; o heroísmo dos seus fundadores, embora de forma anônima, a importância do Rio Piranhas; a beleza do céu diurno e noturno, destacando a beleza do seu luar, o cruzeiro do sul, o por do sol; a beleza do céu azul no verão os acidentes geográficos, serras ou serrotes do Tigre e Logradouro, a fertilidade do solo; a economia municipal; exaltação a Bandeira com a intensidade e o significado de suas cores a consciência de liberdade e dignidade de seus filhos; o trabalho e a honradez de sua gente e a necessidade de união de seus filhos para a condução do progresso.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Paisagem da cidade

São Domingos é uma das mais novas cidades do Estado; emancipada pela Lei Estadual nº 5.902 de 29 de abril de 1994, sancionada pelo então Governador Cícero de Lucena Filho. Sua população é de 2.855 habitantes (IBGE,2010) sendo 1.861 na zona rural e 994 na zona urbana; desta população 1.412 são homens e 1.443 são mulheres. O Município de São Domingos está localizado na Mesorregião Sertão Paraibano e Microrregião de Pombal, ins. As coordenadas geográficas da sede são de 6°48’52’’ de latitude sul 37°59’30’’ de longitude oeste, e uma altitude de 190m. A sede do Município dista 400 km da capital do Estado, João Pessoa. Tem uma área territorial de 169 km². Seu território é cortado pelo Rio Piranhas na direção Oeste-Leste e Rede Ferroviária, inaugurada em 1932. O clima é Tropical semiárido com temperaturas entre 17 e 38 °C e precipitação média de 700mm anuais. O relevo é plano com pequenas ondulações e o solo de predominância areno-argiloso.

O Município limita-se ao Norte com o Município de Pombal; ao sul com Pombal; ao leste com o Município de Pombal e a oeste com o Município de Aparecida. Quanto a hidrografia o Município é cortado pelo Rio Piranhas semiperenizado, na direção oeste-leste e pelos riachos: Mineiro, Mofumbo, Águas Belas, Riachão, Figueiras dentre outros. Os Açudes: Navio, Nova Acauã, Figueira, Paissandu, Torrões, Humaitá, Santo Amaro e Grotão, merecem destaque pelo volume de água acumulada. A Serra do Tigre com 532m de altitude é o ponto culminante do Município e está localizada a margem da BR –230 entre Riacho de Pedra e a localidade Tigre. A Serra do Logradouro tem uma altitude de 362m e está localizado entre Jurema, logradouro e Curupati. A Serra da Timbaúba localiza-se na fronteira sudoeste do município no limite com Pombal. Nos mapa antigos São Domingos fazia fronteira com São J. da Lagoa Tapada, mas de acordo com o IBGE hoje não faz mais fronteira, ficando estabelecido os seguintes limites - Leste, Norte e Sul com Pombal e Oeste com Aparecida. As Serras do Tigre e Logradouro não são propriamente serras, são montes, porém na nossa linguagem local denominamos Serras.

A economia Municipal é baseada na agropecuária, exploram-se as culturas do algodão herbáceo, milho e feijão macassar. O algodão já foi a principal cultura econômica do Município, mas entrou em decadência. Hoje, o feijão ocupa o primeiro lugar na agricultura são-dominguense. Na pecuária explora-se a bovinocultura extensiva e semiextensiva. o gado leitero e de corte tem espaço no município. A Caprinovinocultura também esta se explorando em consequência das linhas de crédito rural destinadas a agricultura familiar.

A fauna e a Flora é muito rica em espécies. A flora é nossa caatinga semiárida é composta de ervas, arbustos, subarbustos e arvores. Destacando-se a abundancia de jurema preta, catingueira, angico, mofumbo, pereiro, aroeira, cumaru, umburana, marizeiro, pau d’arco, juazeiro, oiticica, marmeleiro, malva, velame, pinhão, mata pasto, mangirioba, mussambê dentre outras espécies, e uma imensa quantidade de espécies de capins.

Quanto a fauna do município, apesar do desmatamento e queimadas já realizadas; destacam a presença de aves tais como: rolinha, galo de campina, sabiá, Papa sebo, bem-te-vi, teteu, juriti, gangarro, periquito, anum branco, anum preto, casaca de couro, cordoniz, caboclo, bigode, bico de prata, gaturão, pardau, andorinha, seriema, três côco, mãe da lua, golado Maria fita, tisiu, passo preto de arroz, sibito, carcará, caboré de buraco, coruja, fura barreira, salta caminha, fura laranja, espanta boiada, canção, urubu, gavião, garça, soco, galinha d’água, marreca, jassanã, mergulhão e outros, e raramente concriz, asa branca e papagaio. Entre os mamíferos temos o preá, a raposa, guará gato vermelho, gato mirim, veado campeiro, furão, timbú, punaré, rato, gambá tatu e peba. Também registramos a presença de répteis tais como: Tejo, camaleão, lagartixa, calango, víbora, cagado, e cobras peçonhentas e não peçonhentas; entre as não peçonhentas: cobra preta, corre campo, cadarço, cobra verde, cobra de veado, cobra de cipó, falsa coral, cobra de leite, dentre outras. Dentre as peçonhentas: Cascavél, jararaca.

No extrativismo vegetal destaca-se a exploração de madeira para lenha e carvão, embora sem nenhum conhecimento de manejo correto da caatinga; o que tem contribuído para destruição do habitat natural dos animais silvestres: ave, mamíferos e répteis da nossa caatinga. O extrativismo mineral é insipiente, apenas a argila é explorada para confecção de tijolos e telhas. O extrativismo animal pode ser considerado uma agressão à natureza, o tatu, o peba, a codorniz a juriti são caçados; e a asa branca praticamente não mais existe pela ação criminosa de alguns caçadores que insistem em eliminar os últimos exemplares existentes no município. O município está incluído na área geográfica de abrangência do clima semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[7] . Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Histórico do município IBGE Cidades.
  7. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.