Seleção Uruguaia de Rugby Union

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Uruguay.svg
Uruguai
Confederação Unión de Rugby del Uruguay
Apelido(s) Los Teros
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Titular 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Reserva 
Primeiro jogo internacional
Flag of Chile.svg Chile 21 - 3 Flag of Uruguay.svg Uruguai
(02/06/1948)
Maior vitória
Flag of Paraguay.svg Paraguai 6 - 102 Flag of Uruguay.svg Uruguai
(14/05/2012)
Pior derrota
Flag of South Africa.svg África do Sul 134 - 3 Flag of Uruguay.svg Uruguai
(11/06/2005)
Copa do Mundo
Aparições 2 (Primeira vez em 1999)
Melhor resultado Uma Vitória, 1999, 2003

A Seleção Uruguaia de Rugby Union é a seleção que representa o Uruguai no rugby union mundial. É composta, em sua maioria, por jogadores amadores, mas já existem alguns uruguaios atuando no rugby union profissional europeu. Seus jogadores são apelidados de Los Teros ("os quero-queros"), pássaro comum do país e presente no distintivo. Inicialmente, a ave era outra, o uru, para coincidir com o órgão responsável pelo esporte no país, a Unión de Rugby del Uruguay (U.R.U.).[1]

O Uruguai é tradicionalmente a segunda maior força do rugby union sul-americano, depois da Argentina (Los Pumas). Só os uruguaios, como os argentinos, também já foram campeões do Sul-Americano de Rugby Union.[2] Os dois países também são os únicos da América do Sul que já conseguiram classificar-se à Copa do Mundo de Rugby Union.[3] O jogador mais velho da história das Copas do Mundo deste esporte é uruguaio: Diego Ormaechea, que atuou com 40 anos de idade na edição de 1999, a primeira do Uruguai.

Origens[editar | editar código-fonte]

O esporte começou a ser praticado no país em meados do século XIX, pelo pioneiro Montevideo Cricket Club, que é reconhecido como mais antigo clube de rugby da América do Sul e o oitavo mais antigo do mundo.[4] [5] O Montevideo Cricket, pioneiro também no futebol uruguaio, chegou a ser convidado para participar do torneio da Unión de Rugby de Buenos Aires, criado em 1899.[6] Em 1945, foi novamente convidado pelos argentinos para disputar o primeiro campeonato provincial de rugby no país vizinho. Somente em 1950 é que ocorreu o primeiro jogo de rugby entre dois clubes uruguaios, contra o Carrasco Polo Club.[5] No ano seguinte é que a U.R.U. foi institucionalizada,[7] com seu primeiro presidente sendo Charlie Cat, sócio do Montevideo Cricket.[5]

Uniforme[editar | editar código-fonte]

Historicamente, seu uniforme consiste em camisa celeste com golas brancas e detalhes na manga também em branco, calça branca e meias celestes. No início da década de 1970, foram mais usadas calças e meias na cor preta, utilizada também nos detalhes na camisa que antes eram em branco, mudanças que voltaram a ser efetivadas a partir de 1995 até hoje.[8]

Campeonatos[editar | editar código-fonte]

Los Teros já venceram alguns campeonatos de menor expressão, incluindo alguns torneios na categoria seven a side e o Sul-Americano de 1981. Foi a edição que não contou com participação da Argentina, a seleção dominante do rugby union no continente e que venceu todas as demais 33 edições - os argentinos resolveram não participar pois na mesma época receberiam pela primeira vez a visita da seleção inglesa.[2] Na campanha, o Uruguai venceu o Paraguai por 54-14, o Brasil por 77-0 e o Chile por 33-3.[9]

Jogadores[editar | editar código-fonte]

O Uruguai teve duas aparições em Copa do Mundo, nos mundiais de 1999 e 2003. Em ambas, foi eliminado na primeira fase e venceu apenas um jogo. O personagem uruguaio principal nos torneios foi o oitavo Diego Ormaechea, que no primeiro, aos 40 anos de idade, tornou-se o mais velho jogador, estreante, capitão e marcador de try da história da competição;[10] [11] [12] [13] e, no segundo, foi o técnico do selecionado.[14] Ormaechea era o único remanescente do único título sul-americano dos Teros, em 1981, embora, ainda muito jovem, só tenha sido titular em um dos três jogos, contra o Brasil (77-0, com dois tries dele).[9]

Outros jogadores célebres são o ponta Roberto Canessa, que atuou entre 1971-79 pela seleção, Gustavo Zerbino (que atuou como ponta, centro e asa), que competiu nos Sul-Americanos de 1973 e 1977, e o pilar Antonio Vizintín, que competiu no de 1975 e no vitorioso de 1981.[8] Os três eram integrantes do time Old Christians Club que sobreviveram à queda do Voo Força Aérea Uruguaia 571 nos Andes, em 1972, tragédia cujas condições impuseram aos sobreviventes a prática de canibalismo. Canessa foi um dos dois sobreviventes que se resolveram se arriscar a caminhar pelas montanhas até encontrar ajuda, o que conseguiram após dez dias. Palestrante motivacional,[15] ele tornou-se em 1980 o único uruguaio incluído na primeira convocação dos Jaguares, a seleção da América do Sul utilizada para excursões à África do Sul na década de 1980.[16]

O quero-quero (tero, em espanhol) é o animal que representa a equipe uruguaia.

Desempenho em Copas do Mundo[editar | editar código-fonte]

Ano Desempenho Jogos Vitória Empate Derrota
1987 Não participou
1991 Não Classificado
1995 Não Classificado
1999 Primeira fase 3 Flag of Spain.svg Espanha Flag of South Africa.svg África do Sul Flag of Scotland.svg Escócia
2003 Primeira fase 4 Flag of Georgia (1990-2004).svg Geórgia Flag of England.svg Inglaterra Flag of South Africa.svg África do Sul Flag of Samoa.svg Samoa
2007 Não Classificado
2011 Não Classificado
2015 As eliminatórias

Referências

  1. REGULES, Ceibal (dezembro 2008). 1951 - Torneo ABCU (Argentina, Brasil, Chile y Uruguay). Todos somos Teros - Bitácora del Rugby Celeste. Montevidéu: Ediciones de la Plaza, p. 11
  2. a b BRANDÃO, Caio (07/09/2012). Histórias dos Pumas – Parte III: O começo na elite Futebol Portenho. Visitado em 18/03/2014.
  3. BRANDÃO, Caio (29/09/2012). História dos Pumas – Parte V: O primeiro sucesso mundial Futebol Portenho. Visitado em 18/03/2013.
  4. Montevideo Cricket, el club más antiguo del país La Red 21 (09/06/2003). Visitado em 18/03/2014.
  5. a b c HISTORIA DEL MVCC Montevideo Cricket Club. Visitado em 18/03/2014.
  6. BRANDÃO, Caio (09/08/2012). 145 anos do primeiro clube de futebol da Argentina (e da América): o Buenos Aires Football Club Futebol Portenho. Visitado em 18/03/2014.
  7. REGULES, Ceibal (dezembro 2008). Un largo recorrido. Todos somos Teros - Bitácora del Rugby Celeste. Montevidéu: Ediciones de la Plaza, pp. 7-8
  8. a b REGULES, Ceibal (dezembro 2008). Todos somos Teros - Bitácora del Rugby Celeste. Montevidéu: Ediciones de la Plaza, 336 p. ISBN 978-9974-48-158-9
  9. a b REGULES, Ceibal (dezembro 2008). 1981 - 11º Sudamericano. Todos somos Teros - Bitácora del Rugby Celeste. Montevidéu: Ediciones de la Plaza, pp. 96-101
  10. Oldest appearance ESPN Scrum. Visitado em 02/04/2013.
  11. Oldest appearance on debut ESPN Scrum. Visitado em 02/04/2013.
  12. Oldest appearance as a captain ESPN Scrum. Visitado em 02/04/2013.
  13. Oldest tryscorer ESPN Scrum. Visitado em 02/04/2013.
  14. Historia Unión de Rugby del Uruguay. Visitado em 02/04/2013.
  15. Biography Roberto Canessa. Visitado em 19/03/2014.
  16. MASCHWITZ, Eduardo ZAGO (1998). 100 Años de la Unión Argentina de Rugby - 1899 - 1999. 1980 - SIC, pero acosado, Los Jaguars y Fidji. Buenos Aires: Manrique Zago Ediciones, pp. 139-141

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]