Seleção Brasileira de Rugby Union

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Brazil.svg

Brasil

Confederação Confederação Brasileira de Rugby
Apelido(s) Os Tupis
Técnico Brent Frew
Artilheiro Daniel Gregg
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Titular 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Reserva 
Primeiro jogo internacional
Uruguai Uruguai 8 - 6 Brasil Brasil[1]
(9 de setembro de 1950)
Maior vitória
Costa Rica Costa Rica 0 - 95 Brasil Brasil[2] [3]
(16 de outubro de 2006)
Pior derrota
Argentina Argentina 114 - 3 Brasil Brasil[4] [5]
(2 de outubro de 1993)
Argentina Argentina 111 - 0 Brasil Brasil[6]
(23 de maio de 2012)

A Seleção Brasileira de Rugby é uma equipe de rugby union que representa o Brasil em jogos internacionais e é gerida pela Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). Apesar de ser praticado no Brasil desde o início dos anos 1950, o rugby é um esporte pouco difundido no Brasil,[7] e a equipe nacional masculina está no terceiro grupo do rugby mundial. O melhor resultado até hoje pela seleção foi um vice-campeonato sul-americano em 1964. Até a edição de 2011 da Copa do Mundo, o país não conseguiu a classificação para o principal torneio da modalidade. Nos últimos anos, no entanto, os resultados vêm melhorando consistentemente na medida em que a popularidade do rugby no Brasil aumenta de maneira exponencial.

Símbolo[editar | editar código-fonte]

Assim como todas as equipes têm o seu símbolo, o Brasil buscou sua identidade e se apelidou de "Vitória Régia", uma escolha que nunca ganhou popularidade. Em 2010, a CBRu deu início a um processo de seleção de um novo símbolo para a equipe nacional em substituição deste. Depois de analisadas cerca de duzentas propostas, através de um júri da confederação, os três conceitos finalistas, colocados para votação popular através da internet, foram "as araras", "os tupis" e "as sucuris".[8] "Tupi" acabou sendo o nome vitorioso, com 47,16% dos 9.302 votos.[9]

História[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

O Brasil começou a participar de jogos internacionais de rugby no início dos anos 1950, ocasião em que montou uma equipe para a disputa da primeira edição dos Jogos Pan-Americanos. O primeiro jogo foi contra o Uruguai de quem perdeu por 8 a 6.[1] O Brasil continuou a se envolver em jogos contra o Chile, a Argentina e Uruguai nos anos 1950 e 1960. Em 1964 foi vice-campeão do Campeonato Sul-Americano, o melhor resultado já obtido até hoje.

Em 1974, a Seleção enfrentou os pesados franceses, de quem perdeu de 99 a 7.[10] No final dos anos 1990, o Brasil passou a fazer menos jogos.

Retomada[editar | editar código-fonte]

No início da década de 2000, a Seleção voltou à ativa permanecendo invicta do ano 2000 a 2002, totalizando sete jogos. Em outubro de 2006, a seleção venceu o Campeonato Sul-Americano - Divisão B[11] invicta.[12]

Em 2007, a seleção brasileira conseguiu o bicampeonato no Campeonato Sul-Americano - Divisão B.[13] Por causa desse resultado, a partir de 2008 o Brasil passa a integrar a divisão principal do Campeonato Sul-Americano de Rugby, que comporta apenas os quatro países melhores ranqueados na CONSUR (Confederação Sul-Americana de Rugby).[14]

Com os bons resultados e evolução constante,[15] entre 2008 e 2010, o Brasil subiu consideravelmente no ranking da International Rugby Board (IRB) na categoria, da 45ª para a 27ª posição, e seu planejamento tem como objetivo classificar-se para a Copa do Mundo pela primeira vez na história.[14] Em 2011, consegue feito histórico: Na disputa do torneio Cross Border Norte, disputado em Encarnación, no Paraguai, derrota, pela primeira vez, uma equipe de uma província argentina, quando, na disputa pela terceira colocação, venceu a Unión de Rugby de Misiones por 27 a 11.[15]

No final do ano, disputa pela primeira vez na história uma competição fora da América do Sul, a Copa das Nações Emirates Airlines, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos onde consegue uma vitória (contra os anfitriões) e duas derrotas (contra Hong Kong e Quênia), terminando na terceira colocação.[16]

Temporada 2012[editar | editar código-fonte]

Em maio, no Chile, no Campeonato Sul-Americano, o Brasil enfrentou novamente a Argentina, sem precisar passar por Uruguai e Chile para isso.[17] Os Tupis não enfrentava a seleção "A" da Argentina (apelidada de "Pumas") desde 1993.[18] Como parte do planejamento de preparação da seleção para elevação da qualidade técnica e tática, a CBRu fechou um acordo com a Federação de Rugby de Canterbury (região da Nova Zelândia) e com o time profissional neozelandês Crusaders e o Brasil será treinado por Tabai Matson, fijiano-neozelandês em busca de uma grande evolução na modalidade.[19] O resultado foi que nos jogos contra Uruguai e Chile, apesar de derrota para ambos, as partidas tiveram os placares mais apertados das últimas décadas.

Por ter terminado na quarta e última colocação, o Brasil disputou, no dia 27 de outubro, partida contra o Paraguai, campeão do Sul-Americano B. A disputa valeu pela vaga ao Campeonato Sul-Americano de 2013, como pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2015. Em partida realizada no estádio Nicolau Alayon, em São Paulo, os Tupis derrotaram os Jacarés por 35 a 22.[20]

Temporada 2013[editar | editar código-fonte]

Visando o Campeonato Sul-Americano, que valeria vaga tanto para a Copa do Mundo, quanto para o Americas Championship, o Brasil organizou uma preparação que incluiu jogos contra equipes argentinas, em La Plata, onde conseguiu bons resultados, e contra o México, em São Paulo, obtendo vitórias expressivas. Apesar de muita expectativa para o Sul-Americano, o Brasil não resistiu ao Chile em Temuco e perdeu por 38 a 22. Emocionalmente abalado pelo resultado, os brasileiros ainda perderam por uma diferença considerável contra o Uruguai (58 a 7) e para a Argentina (83 a 0), ambas as partidas em Montevidéu. Para o segundo semestre, o Brasil novamente disputa a repescagem contra o vencedor do CONSUR B.

Temporada 2014[editar | editar código-fonte]

A temporada 2014 começou na noite do dia 15 de Fevereiro quando a equipe Brasileira jogou contra a Seleção da União de Rugby da Província de Misiones, Argentina. A partida foi disputada sobre forte chuva no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Rugby em São José dos Campos e terminou com vitória de 22 a 14 para o Brasil.

Uniforme[editar | editar código-fonte]

A partir de dezembro de 2009, a Topper passou a patrocinar as seleções de rugby do Brasil. Durante o SPAC Lions deste ano, a empresa apresentou os novos uniformes.

  • Primeiro Uniforme: Camisa amarela com detalhes verdes; calção verde e meias brancas
  • Segundo Uniforme: Camisa Verde com detalhes amarelos; calção branco e meias verdes
  • Terceiro Uniforme: Camisa branca com detalhes verde e amarelo; calção branco e meias brancas
  • Uniforme de treino: Camisa azul com detalhes amarelos, calção branco e meias brancas
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme Titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme Reserva
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme de treino

Copas do Mundo[editar | editar código-fonte]

Ano Sede Resultado Fase
1987  Nova Zelândia e  Austrália Não entrou
1991  Inglaterra,  Irlanda, Escócia,  País de Gales e  França Não entrou
1995 África do Sul Não entrou
1999  País de Gales Não se classificou Jogo eliminatório simples
2003  Austrália Não se classificou Terceira fase das eliminatórias
2007  França Não se classificou Segunda fase das eliminatórias
2011  Nova Zelândia Não se classificou Segunda fase das eliminatórias
2015  Inglaterra Em disputa
2019  Japão

Campeonato Sul-Americano[editar | editar código-fonte]

Seleções de Brasil e Peru.

Divisão A[editar | editar código-fonte]

Edição Sede Ano Posição
I Argentina Buenos Aires 1951 Quarto lugar
II Chile Santiago 1958 Não entrou
III Uruguai Montevidéu 1961 Quarto lugar
IV Brasil São Paulo 1964 Vice-campeão
De 1967 a 1969 Não entrou
VII Uruguai Montevidéu 1971 Quarto lugar
VIII Brasil São Paulo 1973 Quarto lugar
IX Paraguai Assunção 1975 Quarto lugar
X Argentina San Miguel de Tucumán 1977 Quinto lugar
XI Chile Santiago 1979 Quarto lugar
XII Uruguai Montevidéu 1981 Quarto lugar
De 1983 a 1987 Não entrou
XVI Uruguai Montevidéu 1989 Quarto lugar
XVII Sem sede fixa 1991 Quinto lugar
XVIII Sem sede fixa 1993 Quinto lugar
De 1995 a 1998 Não entrou
De 2000 a 2008 Participou da Divisão B
XXXI Uruguai Montevidéu 2009 Quarto lugar
XXXII Chile Santiago 2010 Quarto lugar
XXXIII Argentina Puerto Iguazú 2011 Quarto lugar
XXXIV Chile Santiago 2012 Quarto lugar
XXXV Chile Temuco e Uruguai Montevidéu 2013 Quarto lugar

Divisão B[editar | editar código-fonte]

Edição Sede Ano Posição
XXII Brasil São Paulo 2000 Campeão
XXIII Sem sede fixa 2001 Campeão
XXIV Peru Lima 2002 Campeão
XXV Colômbia Bogotá 2003 Vice-campeão
XXVI Brasil São Paulo 2004 Vice-campeão
XXVII Paraguai Assunção 2005 Terceiro lugar
XXVIII Venezuela Caracas 2006 Campeão
XXIX Peru Lima 2007 Campeão
XXX Paraguai Assunção 2008 Campeão*

(*) Com o resultado, o Brasil volta à Divisão A.

Dados Gerais[editar | editar código-fonte]

Seu registro de confrontos com outras nações:[21]

Equipe J V E D PF PC Dif
Flag of Argentina.svg Argentina 13 0 0 13 47 1054 -1007
Flag of Chile.svg Chile 20 1 1 18 202 745 -543
Flag of Colombia.svg Colômbia 8 8 0 0 395 34 +361
Flag of Costa Rica.svg Costa Rica 1 1 0 0 95 0 +95
Flag of France.svg França 2 0 0 2 13 140 -127
Flag of Hong Kong.svg Hong Kong 1 0 0 1 3 37 -34
Flag of Mexico.svg México 2 2 0 0 126 19 117
Flag of Kenya.svg Quênia 1 0 0 1 25 27 -2
Inglaterra Oxford e Cambridge 2 0 0 2 13 102 -89
Flag of Paraguay.svg Paraguai 20 11 0 9 385 389 -4
Flag of Peru.svg Peru 9 9 0 0 404 61 +343
Flag of Trinidad and Tobago.svg Trinidad e Tobago 5 4 0 1 75 71 +4
Flag of the United Arab Emirates.svg Emirados Árabes Unidos 1 1 0 0 66 3 +63
Flag of Uruguay.svg Uruguai 19 3 0 16 166 661 -495
Flag of Venezuela.svg Venezuela 9 8 0 1 256 98 +158
Total 113 48 1 64 2271 3431 -1190
  • Atualizado até 5 de maio de 2013

Melhores Resultados[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Outros resultados de destaque[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Convocação para o Campeonato Sul-Americano de 2012.[22]

Jogador Clube Posição Peso
(kg)
Altura
(cm)
Allan Martins Rio Branco líbero 84 172
André Silva SPAC líbero/ponta 75 170
Carlos Oliveira São José 2ª linha 103 187
Daniel Danielewicz Desterro talonador 98 174
Daniel Gregg Niterói Rugby abertura 85 185
Danilo Lima Rio Branco pilar 122 186
Diego Lopez Pasteur ponta 99 193
Felipe Claro SPAC armador 78 170
Gustavo Krahembühl Pasteur líbero/ponta 75 174
Jardel De Mendonça SPAC pilar 100 175
Jardel Vettorato Novo Hamburgo pilar 118 179
João Luiz da Ros Desterro oitavo 98 186
João Neto SPAC ponta 85 175
Júlio De Mendonça SPAC centro 105 186
Leandro Castiglioni SPAC armador 72 164
Lucas Ceccarelli Ilhabela Rugby 2ª linha 100 190
Lucas Piero Desterro ponta 98 187
Martin Schaefer Rio Branco centro 93 183
Matheus Daniel São José ponta 89 183
Matheus Silva Ilhabela Rugby abertura 83 179
Maurício Costa Jacareí RC 2ª linha/ponta 103 192
Moisés Duque São José centro 92 175
Paulo Santos Ilhabela Rugby centro 108 184
Pedro Manzini Bandeirantes talonador 110 182
Ramiro Mina Bandeirantes pilar 100 177
Thiago Perovic Monte Grande RC Argentina 2ª linha/ponta 96 188

Seleção feminina[editar | editar código-fonte]

Em 2009 se formou a seleção feminina de rugby union, para um amistoso contra a seleção holandesa em Amsterdã, partida essa em que as brasileiras foram derrotadas por 10 a 0.[23] Logo depois, as equipes reservas de ambos os times duelaram, desta vez com triunfo brasileiro. O último jogo do time de 15 jogadoras foi contra a seleção de rugby de Utrecht, com uma vitória de 35 a 6. Após isso, a seleção não realizou mais jogos internacionais em competições de XV.

Equipe J V E D PF PC Dif
Flag of the Netherlands.svg Países Baixos 1 0 0 1 0 10 -10
Flag of the Netherlands.svg Utrecth 1 1 0 0 35 6 +29
Total 2 1 0 1 35 16 +19

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Statistics - All games played by Brazil
  2. Brasil arrasa Costa Rica (95 x 0) e Venezuela perde para a Colômbia! (22 x 28) Rugby Magazine
  3. Brazil - largest victory
  4. Miscellaneous Results from 1993
  5. Brazil - largest defeat
  6. CBRu Argentina venceu o Brasil por 111 x 0
  7. Rugby: Você conhece? BdF Brasil
  8. CBRu Público escolherá entre a arara, o tupi e a sucuri, o novo símbolo para o rugby brasileiro. Acessado em 29/02/2012.
  9. Folha.com - Esporte Após votação, seleção brasileira de rúgbi vai passar a se chamar Tupis. Acessado em 5/3/2012.
  10. portaldorugby.com.br Quando o Brasil enfrentou a França...
  11. Brasil es Campeón Tercer Tiempo
  12. VI Sulamericano ConSuR B de 14 a 22 de outubro de 2006 Caracas - Venezuela
  13. BRASIL bicampeão invicto! Rugby Mania
  14. a b CBRu Sobre o Rugby. Página visitada em 14 de maio de 2011.
  15. a b Canguçu Sports Seleção brasileira de rugby
  16. Rugby Spirit Brasil conquista a medalha de bronze no Emirates Airline Cup of Nations. Página visitada em 29 de dezembro de 2011.
  17. Rugby World Cup - Argentina 2023 South American planning ready for 2012. Acessado em 6/2/2012. (em inglês)
  18. Portal do Rugby Sul-Americano de XV tem datas definidas. Acessado em 14/4/2012.
  19. Portal do Rugby Trabalho de alto rendimento do Crusaders tem início no Brasil. Acessado em 15/4/2012.
  20. Portal do Rugby Brasil supera o Paraguai e avança rumo ao Mundial!
  21. www.rugbydata.com Head to Head summary table for Brazil (em inglês)
  22. www.consur.org Selección brasilera de rugby para el Sudamericano Mayor A (em espanhol)
  23. Portal do Rugby História do rugby. Acessado em 9/11/2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]