Spray

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Spray acionado
Diversos sprays de tinta

Spray [sprei]1 é um equipamento de emissão de tinta atomizada do qual, sob pressão, se emite tinta misturada com o gás (ou ar), dando possibilidade de pintura com diversos efeitos como esfuminho, degradês, entre outros. A tinta, ao misturar-se com o gás, torna-se micropartículas. Quando o pino superior é pressionado, o líquido sob pressão é liberado de forma pulverizada. Diversos produtos fazem uso desse sistema: entre eles, desodorante, tintas, inseticidas, buzinas, objetos de diversões como spray de espuma, fluido de isqueiros, entre outros.

Spray de tinta[editar | editar código-fonte]

Sprays de tintas foram criados na década de 19702 para uso em pinturas singulares, o que, mais tarde, foi utilizado por pichadores e grafiteiros.

Restrições a venda[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGnome-globe.svg
Esta página ou seção está redigida sob uma perspectiva principalmente brasileira e pode não representar uma visão mundial do assunto.
Por favor aperfeiçoe este artigo ou discuta este caso na página de discussão.

A venda de tintas em embalagens aerossol conhecida como spray foi proibida em 26 de maio de 2011 para menores de 18 anos de idade. A nova legislação sobre a venda desse material foi definida pela lei 12 408, sancionada pela presidente Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial na mesma data. Para compras em território nacional, será necessário apresentar documento comprovando ser maior de 18 anos. Comerciantes terão, ainda, que colocar a identidade do comprador na nota fiscal. As embalagens das tintas virão com o aviso: "Pichação é crime" O grafite, no entanto, é permitido. Foi realizada uma alteração em uma lei de 1998, determinando que "a prática do grafite realizada com o objetivo de valorizar o patrimônio público e privado mediante manifestação artística" com autorização do proprietário é legal.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 1 200.
  2. (em inglês) Patentes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]